A Última Temporada de Raising Hope

5-Raising-Hope

Continua após as recomendações

 

The Last Chance.

Continua após a publicidade

Raising Hope não é o tipo de série que aparece todo dia. Criada por Greg Garcia (My Name is Earl), a premissa chama atenção: Um jovem engravida uma Serial Killer que logo após de ter o bebê é condenada a morte na cadeira elétrica. De tudo isso sai nossa querida Hope Chance que nos acompanhou por quatro divertidas temporadas. Em especial, a última, tema desse post.

Primeiramente, destaco uma das maiores mudanças na série, que para melhor ou pior, foi a mudança de Jimmy e Sabrina para a “mansão” deles. Definitivamente afetou a série já que ali um novo “núcleo” havia sido criado. A individualização das histórias que resultou disso, apesar de não ser ideal, foi necessária, para a evolução dos personagens. Se queríamos levar eles a sério como uma família de verdade, Jimmy não poderia continuar vivendo (e criando) uma criança na casa de sua avó.

Logo no início da temporada temos um maior aprofundamento na mitologia da série. A descoberta do pai de Virginia, Arnold (Jeffrey Tambor), um “idiota”, mostra o planejamento da série que começa uma história aqui, para encerrá-la em seu episódio final. Final este que felizmente, não trouxe mais uma vez a mãe de Hope de volta, mas falaremos disso daqui a pouco.

Apesar de ter um humor as vezes sutil, a série não conseguiu fugir de alguns episódios de temática “clichê”, o que não significa que eles foram ruins. Em retrospecto, podemos citar o episódio estilo “Férias Frustradas” (Ship Happens) ou até o de Natal, estilo Grinch (The Chance Who Stole Christmas). Por outro lado, temos algumas preciosidades no meio disso tudo como o “Murder, She Hoped” trazendo o melhor dos filmes de terror do século passado. Este com certeza foi o episódio mais “diferente” de toda a série, com mudança até nos tons de cores durante o episódio.

Ciente de que esta temporada poderia ser a última vemos o esforço de deixar a história encaminhada, por assim dizer, e se fechando aos poucos na reta final. A promoção que Virginia ganha, deixa a vida dos Chance’s garantida. Burt agora pode se dedicar a sua paixão, paisagismo, mais como um hobbie do que como um trabalho.

O último episódio, traz de volta um Arnold que tenta se redimir (mesmo que por meios duvidosos), dando o casamento dos sonhos para sua filha. A Royal Wedding. O que nos dá a deixa para rever pela última vez, os vários rostos que passaram pela série, como o advogado Wally, Lucy e a melhor banda de Kazzo de Natesville, Jazoo. A promessa de levar Hope para a Universidade, olha para o futuro (que não teremos a chance de ver) e enche os personagens de esperança, além de trazer certo protagonismo para a criança, que passou parte da temporada meio escondida.

Para complementar o clima de despedida e nos deixar nostálgicos, a participação de Kenny Loggins, nos faz lembrar do piloto, lá em 2010, aonde tudo parecia fora de controle para Jimmy, mas que depois que seus pais cantaram aquela música, ele soube que também poderia ser um pai.

PS:E mesmo sem a intenção de fazer um Series Finale, o último episódio de Raising Hope é muito melhor que o de How I Met Yout Mother. #CampanhaPlanteUmaNeyde