A visão de Gotham através do cinema

Quando Gotham estreou na fall season passada, muito se duvidou sobre a qualidade que a série apresentaria ao público. A proposta do show era mostrar uma Gotham City antes do Batman, colocando o detetive Jim Gordon como centro das atenções. Para isso, seria também explorado a origem dos vilões que um dia perturbariam o sono do Homem Morcego.

 

batman_1989_logo_recreation_by_space_ace_sco-d39f67s

 

Continua após a publicidade

É uma proposta inovadora, que de certa forma acabou dando certo. A série já pode ser considerada um sucesso de audiência na FOX, e está renovada para um segundo ano.

Quando digo que a proposta é inovadora, devo salientar o fato de que esta é a primeira adaptação do Batman que explora essa passagem da história do herói com mais calma. Isso porque, nos cinemas, geralmente o assassinato dos pais de Bruce Wayne e todo esse período pós-traumático era apresentado por formas de flashs.

Existem algumas semelhanças mas também há diferenças a serem destacadas entre as adaptações do cinema e o universo que Gotham vem mostrando até agora para nós, que valem a pena ser mencionadas.

O próprio assassinato dos pais de Bruce Wayne, é algo que sempre moveu as adaptações de Batman. No longa metragem de 1989, por exemplo, Tim Burton apresentou fragmentos daquela noite nas lembranças do herói – interpretado por Michael Keaton. Lá, o pequeno Bruce e os pais saiam de um cinema, e logo em seguida eram assaltados por Jack Nipier, que futuramente se transformaria no Coringa, vilão do longa metragem.

 

Batman 1989

 

A mudança foi bem drástica. Nos quadrinhos, Joel Chill, um homem comum que sofria pela crise que Gotham City enfrentava, é o responsável pelo assalto e morte dos pais do garoto. Tim Burton resolveu trazer a tona esta mudança, justamente para dar um efeito maior na rivalidade entre Batman e Coringa (e também para a utilização das frases de efeito “Nunca dançou com demônios sob a luz do luar?” e “Eu criei você, mas você me criou primeiro!”).

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=4F9RzLqKu2g[/youtube]

 

Já em Batman Begins (2005), dirigido por Christopher Nolan, tivemos algo mais fiel às representações clássicas das HQs – principalmente a de Batman – Ano Um de Frank Miller. A morte se dá pelas mãos de Chill, após a saída de uma peça de teatro.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=VP4KLs_1G6I[/youtube]

 

A cena em si lembra muito a de Gotham. E a fotografia de ambas remetem muito a o que foi mostrado no volume escrito por Miller. Talvez a série da FOX tenha realmente acertado ao mostrar a cena logo no piloto.

 

Gotham Bruce Wayne

 

A menção a infância de Bruce Wayne a partir deste ponto é bem remota. Apenas em Batman Forever (1995) é que vemos o funeral dos Wayne e a menção a um livro vermelho que era algo que atormentava o herói crescido. Em Batman Begins, algumas passagens da adolescência do jovem Wayne também são mostradas, mas Gotham veio para preencher a lacuna do dia-a-dia do pequeno Bruce assim que fica órfão.

É interessante na série vermos um ar de detetive no garoto. Ele fica obcecado com a morte dos pais e quer por quer fazer justiça, ajudando na investigação do crime – algo que o Detetive Gordon não consegue fazer. O fato de segurarem a investigação de quem matou os pais do garoto pode entretanto fazer o caso esfriar em Gotham. Em Batman Begins por exemplo, a prisão e o julgamento do ladrão se dão em sequência ao assassinato, mas volta a ser o centro das atenções quando Chill anos depois resolve denunciar um esquema de corrupção de Falcone, e assim ser libertado por “bom comportamento”. Até agora, nenhuma menção a Falcone e Joe Chill apareceu na adaptação televisiva.

Porém, temos nossas exclusividades em Gotham. Esta é a primeira vez que Alfred é mostrado de uma forma mais “militar”, diferente do mordomo mais simplório, que foi utilizado nas adaptações da franquia dos anos 1990 e de Christopher Nolan. Interpretado aqui por Sean Pertwee, esta versão é baseada na Terra Um, em que Alfred serviu na Marinha e tem conhecimentos de luta e defesa.

 

Alfred Batman

 Três gerações de Alfred: da esquerda pra direita, Michael Gough (1989 – 1997), Michael Caine

(2005 – 2012) e Sean Pertwee (2014 – atual)

 

Os vilões são um destaque a parte. Talvez o verdadeiro roubo seja o do protagonismo, que em Gotham acontece a cada episódio. Destaque para o Pinguim, bem interpretado aqui por Robin Lord Taylor, que se diferencia da criatura grotesca de Danny DeVitto no filme Batman Returns (1992). Ambas as representações são válidas, mas na série vemos algo mais fiel às HQS, mostrando um Pinguim mafioso, que busca comandar o tráfico e o crime organizado em Gotham City.

 

Pinguim

 

A Mulher-Gato, ou apenas Selina Kyle na série da FOX, tem uma mistura de todas as versões da ladra. Muito de sua essência é vista nas HQs do Homem Morcego, e também na versão de Anne Hathaway em The Dark Knight Rises. Mas o humor, e até mesmo a aparência, é bastante inspirado na versão de Michelle Pfeiffer no filme de 1992.

 

Mulher Gato GOtham

 Cara de uma, focinho da outra: incrível semelhança entre as atrizes Carmen Bicondova e Michelle Pfeiffer.

 

Ainda temos alguns clássicos vilões como o Charada – que em nada lembra a versão de Jim Carrey para Batman Forever (1995) -, um Harvey Dent bem distinto do formidável Aaron Eckhart em The Dark Knight (2008), e uma pequena versão da Ivy, a futura Hera Venenosa, que, convenhamos, é melhor do que a bizarra versão de Uma Thurman para Batman & Robin (1997).

Entretanto, um vilão que tem muito destaque em Gotham é Falcone. Criado por Frank Miller para Batman Ano Um, nos cinemas ganhou uma versão pelas mãos de Christopher Nolan em Batman Begins, mas ficou bem apagado com o protagonismo de Ra’s Al Ghul. Na série da FOX, Falcone tem uma inspiração maior nas HQs, e é o grande chefe da família mais poderosa de criminosos em Gotham City.

 

Falcone Gotham

 Tom Wilkinson (Batman Begins) e John Doman (Gotham) deram vida a Carmine Falcone.

 

Existem alguns elementos que ainda faltam na série, como o pequeno Bruce descobrir a caverna debaixo da mansão e o seu medo de morcegos – algo que deveria ter acontecido antes da morte de seus pais.

Cada versão tem sua visão, mas todas elas souberam tratar alguma parte da história de Batman de forma bem fiel. No cinema, o herói passou por anos tendo suas histórias contadas e agora chegou a vez da TV mostrar um pouco desse passado de Bruce Wayne e da cidade em que ele fará justiça com as próprias mãos.

O que vocês tem achado das adaptações dos personagens em Gotham? As versões do cinema são melhores que as da TV?

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

No comments

Add yours