Agents of S.H.I.E.L.D. – 1×16 – End of the Beginning

shields

E foi com a junção dos melhores agentes da SHIELD que o episódio dessa semana começou. Depois dos agentes Garrett e Triplett serem atacados em um esconderijo por Mike Peterson, que agora é obra da iniciativa Deathlok. Coulson, que já queria respostas sobre várias coisas, inclusive como ele voltou literalmente à vida e quem seria a – ou o – Clarividente, desde o último episódio quando falou com Skye (e a agente May escutou deixando todos não com a pulga trás da orelha, mas com um ninho inteiro pensando o que raios ela tava fazendo!), chama para o BUS os agentes Hand, Blake, Garrett, Triplett e Sitwell, e lhes conta o plano de como identificar o possível inimigo e achá-lo, claro que para isso eles precisam da Skye, e ela, para ter acesso as informações, enfim vira uma agente!!!

"Acredito que algumas coisas estão predestinadas"-Ward

“Acredito que algumas coisas estão predestinadas”-Ward

Agora é a hora, porém os agentes Hand e Sitwell tem que sair da missão, de acordo com a Hard ela terá que ficar em campo, caso algum agente se machuque nessa empreitada do Coulson e Jenna – minha nerdizinha londrinha favorita – aproveita para ficar em terra e examinar melhor o sangue da Skye e descobrir o que foi injetado nela. E assim Skye consegue bolar maravilhosamente a estratégia, deixando cada um em par: Coulson e Garrett, Ward e Triplett, May e Blake, e dando a cada um desse pares informações sobre o alvo que só seriam conhecidas chegando as coordenadas dadas ( parece confuso e de fato é um pouco, mas para uma 0-8-5 não é nada). Toda a questão é que quem quer que seja o Clarividente, ou a Clarividente, já sabe que estão atrás dele/dela, e manda Mike, agora um completo robô-ciborgue-estranho para dar um jeito, e sobra para Blake, e May é quase acertada nesse fogo cruzado, enquanto os outros agentes são emboscados, logo, o inimigo sabia de tudo!

Porém nem tudo está perdido, graças ao Fitz – meu nerdizinho londrino favorito – que criou balas com localizadores, e uma delas foi atirada contra Deathlok, agora toda a equipe pode ir atrás dele, em um tipo de local que costumava ser pista de corrida de cavalos, eles chamam de “facilite”, que poderia ser fábrica também. De qualquer maneira, Deathlok leva os agentes direto para o Clarividente (ou é o que parece, assim como a May prestativa….), e ele seria Tomas Nash, que fala através de máquinas, e literalmente ameaça Coulson, mas o fato de falar que terá Skye, e ela vai morrer depois, parece deixar Ward um pouco fora de si, e ele acaba matando Nash. Por essa ninguém esperava.

Ninguém esperava também Fitz descobrir a linha criptografada de May, Skye descobrir que Nash provavelmente não era Clarividente nenhum e sim um mero brinquedo, de algum agente da própria SHIELD, e avisar ao Coulson. Logo tudo vira um tipo de agentes contra agentes no BUS, Fitz, Skye e Coulson vão logo para cima de May e perguntam a quem ela responde, claro que Coulson pergunta a Ward também, foi muito estranho ele matar alguém a sangue-frio. O episódio termina com o Bus sendo guiado por ninguém menos que a Hand, falando para acabarem com todos, que o Coulson era dela! E agora? Bom…esperar próxima terça!

Lembrando que na próxima semana estréia Capitão América-Soldado Invernal, logo podemos e devemos esperar uma participação em SHIELD.

Obs1: Coulson e Garrett lembrando os velhos tempos e esperando terem mais histórias para contar, muito tudo!

Obs2: Ward em clima de romance com Skye, shipadores enlouquecendo!!!

Obs3: A Agente Hand tem uma estória longa nas HQ’s, e nem sempre ela é a legal, então vamos ver o que será dela na série!

Avatar

1 comment

Add yours
  1. Avatar
    Diógenes Ternero 8 abril, 2014 at 00:08 Responder

    Eu gostei bastante do episódio, principalmente das participações especiais. Gostei também do rumo que a série vem tomando, na qual melhorou. Meu único problema com SHIELD é a Skye. Que menina chata. É uma pena saber que ela é importante para a série, pois na minha opinião, ela aparece e tudo fico tão chato.

Post a new comment