American Horror Story – 5×02 – Chutes and Ladders

AHS

Imagem: Gaga Galaxy

Continua após as recomendações

 

Gente, o que aconteceu aqui? Depois de um primeiro episódio bem apelativo, mas de tirar o fôlego, com um milhão de coisas acontecendo ao mesmo tempo, nesse temos uma desaceleração absurda, de pelo menos 20 minutos de quase nada.

Continua após a publicidade

O detetive protagonista está hospedado no quarto 64 do hotel (aquele que parece ser o foco da piração), para tentar entrar na mente do assassino serial. Ele começa a ter pesadelos malucos, e nós também, pois somos obrigados a ver 10 minutos de enrolação com ele só andando pelo hotel. Sem contar a chatíssima conversa dele com a gêmea siamesa do Freak Show, que vou passar a chamar de Sally (o nome real da personagem nessa temporada), pois “gêmea siamesa do Freak show” é grande demais pra ficar repetindo.

Está acontecendo um desfile no hotel, organizado pela Naomi Campbell. Como se já não fosse estranho ter a Poker Face no elenco, agora temos a maior top model dos anos 80 também. Prevejo que lá pela décima temporada, vai ser raro ter um ator de verdade em AHS. Pelo menos uma coisa é certa: Para esse desfile, a Lady Gaga levou o figurino de casa, já que aparece com um pato morto na cabeça.

Lembram do pirado mimadinho que matou uma monte de aberração no final de Freak Show? Em Hotel ele é Zoolander, outro mimado, mas dessa vez um modelo famoso que cheira o suficiente pra fazer inveja ao Rafael Ilha. Em determinado momento, Lady Gaga diz que sente cheiro de ódio nele… e eu senti cheiro de chorume, com o lixo que está o roteiro até aqui.

Um garoto (com cabelo de comercial de shampoo) leva a filha do policial para ver as crianças do filme “Cidade dos Amaldiçoados” que vivem em caixões de vidro. Tem o clássico momento sustinho, com um dos moleques abrindo o olho bruscamente, aquele tipo de coisa que acontece em todo filme de terror… Só faltou um gato pulando na cena.

AHS

Imagem: Hollywood Take

Eu não sabia que cocaína dava larica, até ver Zoolander todo cheirado pegando um sanduba e devorando, com direito a larva e tudo. Depois de sentir nojinho, ele entra num quarto e dá de cara com quem? Sim, o Mercúrio dos X-Men, com um sotaque bizarro e a garganta cortada. Depois que o Mercúrio mata uma prostituta a sangue frio, Zoolander sai correndo pelo hotel até dar de cara com a Lady Gaga. Ela o transforma em vampiro (e você achando que a moda tinha acabado com Crepúsculo). Muito obrigado, moça, eu não estava aturando esse cara antes, imagina agora que ele é imortal.

A filha do policial John Lowe (finalmente descobri o nome dele) pega um ônibus e volta para o hotel, pois reconheceu o irmão desaparecido em um dos caixões de vidro. Ela acha estranho o moleque não ter crescido, enquanto eu acho que estranho mesmo é ele estar jogando Atari. Além disso, eu preciso desabafar: como esse garotinho atua mal!

Gostaria de fazer uma pausa para aplaudir de pé os roteiristas. Nada fazia sentido até aqui, mas ao colocarem a Lady Gaga nos anos 70, entrando numa discoteca montada num cavalo, olha… vocês se superaram, estão de parabéns!

Kathy Bates conta para o policial toda a história do hotel. E a primeira bomba: Mercúrio foi quem construiu esse pequeno recanto do mal, em 1925. O cara cometia todo tipo de atrocidades ali, uma psicopatia de fazer inveja ao Charles Manson. E lembram do corte que ele tinha no pescoço quando assustou o Zoolander, alguns parágrafos acima? Pois é, ele se suicidou antes de ser pego pela polícia cortando a própria garganta. O tão famoso quarto 64 é especial, porque o Mercúrio cometia seus assassinatos ali.

Depois de ouvir todo o blá blá blá da Bates sobre o hotel, o detetive Lowe tem uma epifania, desvendando o modus operandi do serial killer que ele procura: O assassino escolhe suas vítimas de acordo com os dez mandamentos (e com isso, o seriado acaba de colocar uma oferenda ao deus supremo dos clichês). O episódio termina com uma pegação gay no elevador e a Lady Gaga substituindo o Adam Lambert pelo Zoolander em suas orgias sangrentas.

Capítulo fraquíssimo se comparado ao anterior, mas confio no potencial da série. Vamos lá, não me decepcione “História do Americano Horroroso” (tradução em inglês nórdico). Eu assisto o show pra sentir medo, mas hoje, infelizmente a responsável por me fazer ter pesadelos vai ser mesmo a Mc Melody, depois que a vi cantando em falsete no Youtube.

Por favor, AHS, melhore.

2 comentários

Adicione o seu

Post a new comment