American Idol – 15×22/23 – Series Finale

Imagem: Youtube/Reprodução

american-idol-series-finale

Continua após publicidade

Chegou o grande momento. Na última quinta-feira chegou ao fim um dos programas mais populares da TV americana. Depois de quinze temporadas, American Idol saiu de cena, com um desfecho memorável.

Continua após a publicidade

Com apresentações inesquecíveis, o series finale do reality show nos proporcionou momentos únicos. Diversos participantes, vencedores ou não, de edições passadas passaram pelo famoso palco pela última vez, nos proporcionando momentos de nostalgia, emoção e saudade.

Continua após publicidade

Além disso, Kelly Clarkson e Carrie Underwood, as vencedores que mais fizeram sucesso fora da atração, também participaram, comovendo ainda mais o público. E para lacrar a noite de uma vez por todas, o trio de jurados original da bancada marcaram presença também de forma triunfal. Quem não surtou ao ver Randy Jackson, Paula Abdul e Simon Cowell juntos novamente?

Vem com a gente , e já prepara o lencinho.

Continua após publicidade

 

WINNER SINGLE PERFORMANCE

 

Trent Harmon – “Falling”

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=XcZ-cZZoMMU[/youtube]

Edu: Essa final já começou me destruindo emocionalmente. Que música maravilhosa e gostosa de se ouvir, tem uma pegada que fazia muito tempo que não encontrava numa produção. Independente de Trent ganhar ou não baixarei essa música, e já entrará em minhas playlists.

Let: Como não amar essa música maravilhosa? American Idol raramente erra nas winners songs. Ela ficou perfeita para Trent, e destacou o que ele tem de melhor, sua voz e sua maneira incrível de cantar. Amei e quero baixar também!

Lucas: Música perfeita pro Trent gente! Combinou demais com a voz dele e abriu o episódio da melhor maneira possível. Estou apostando firme que vai cair no gosto do público, porque realmente ficou maravilhosa!

 

Dalton Rappatoni – “Strike A Match”

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=3GHiefydCfA[/youtube]

Edu: A música não é de todo mal, mas soou muito genérica. É algo padrão de se ouvir em pop/rock voltado para adolescentes, e talvez se ele investir nesse público pode e muito se dar bem.

Let: Sem graça, por isso combinou perfeitamente com Dalton. Foi bem pop/rock basicão, que não traz nada novo e nem conquista.

Lucas: Acho que também combinou com o Dalton. Talvez o fato de estar torcendo para ele sair logo e deixar só Trent e Porsha de uma vez, me fez gostar um pouco menos, mas ele fez um bom trabalho na performance.

 

La’Porsha Renae – “Battles”

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=DsOeLvXyp6E[/youtube]

Edu: La’Porsha já subiu ao palco como uma verdadeira diva. Uma música de atitude, que eu já fiquei viajando aqui num lindo videoclipe que o mesmo renderia. Adorei essa pegada, totalmente atemporal, bastante radiofônica, e nada de farofadas. A canção valorizou sua voz, que permaneceu equilibrada do começo ao fim, com uma vibe positiva e cheia de atitude.

Let: Olha, para mim ficou bem claro que até a produção quer La’Porsha e Trent na final, porque só eles tiveram músicas maravilhosas. A winner song da rainha foi perfeita, destacou sua voz e valorizou seu estilo, e o melhor é que foi toda empoderadora e nada drama queen. AMEI!

Lucas: Eita mulher maravilhosa! Perdi até a conta de quantas vezes comecei meus comentários dessa forma. Assim como Trent, essa música caiu como uma luva para ela, porque ficou lindo demais. Que ela tem uma voz absurdamente espetacular não é mais novidade né? Aí vem com esse single pra me ganhar ainda mais!

 

 

TERCEIRO COLOCADO

Dalton Rappatoni acabou se tornando o último eliminado do programa, ficando então em terceiro lugar.

Edu: Namaria Braga nem tinha que estar aqui né? Era para ser MacKenzie ao lado de Trent e La’Porsha, e até mesmo Tristan ou Sonika. Dalton começou muito bem, mas quando chegou aos live shows a decepção se tornou constante. Graças a Deus ele ficou em terceiro, o que já é muito. Louro José te espera.

Let: Eu pulei de alegria, porque também tive medo do loirinho ser um Nick Fradiani e acabar ganhando o programa. Para mim ele foi tarde, poderia ter ido antes de Sonika, já que nunca evoluía e voz também não era o seu forte. Com um estilo mega batido, foi injusto ver MacKenzie ir embora antes dele. Pelo menos agora ele disse adeus.

Lucas: Mesmo sendo óbvio ainda deu aquele medo de acontecer alguma trollada com a minha cara e Dalton acabar levando o prêmio. Vocês sabem que com o povo americano num dá pra garantir nada né? Mas felizmente não foi bem o que aconteceu, e Dalton ficou com o terceiro lugar, o que pra mim é muito mais do que ele realmente merecia. Vou torcer pra que ele consiga se manter no mercado, porque realmente tem talento.

 

PERFORMANCES

 

Trent Harmon – “If You Don’t Know Me By Now”

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=tssEATJ_jmI[/youtube]

Edu: Desisto por aqui. Trent mais uma vez sendo destruidor, e não há mais o que falar sobre esse cara. Vou ser sincero que estou totalmente dividido – 50/50 – entre ele e La’Porsha.

Let: Eu quase morri vendo essa apresentação, foi incrível demais. Trent só evolui, só lacra, me arrepia, destroça, me deixa no chão. Foi perfeito demais, sei nem o que dizer mais.

Lucas: Mas gente, Trent nunca erra mesmo né? Mesmo Porsha sendo minha preferida, não tem como deixar de torcer pro cara também. Mais uma performance maravilhosa dele!

 

La’Porsha Renae – “A House Is Not A Home”

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=TlNpIRDIm7s[/youtube]

Edu: MEU PAI AMADO! La’Porsha veio destruidora, com uma belíssima música, promovendo uma performance extremamente emocionante, e uma de suas melhores de toda a competição. Separem o desfibrilador, por gentileza.

Let: PQP mesmo! Que apresentação maravilhosa foi essa? Eu to destruída de novo, arrepiada, falecida. La’Porsha é rainha demais.

Lucas: Ainda to arrepiado aqui viu?! Que música perfeita o Simon escolheu pra La’Porsha, e que emoção ela entregou nessa performance!

 

REPRISE PERFORMANCES

 

Trent Harmon – “Chandelier”

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=y-VStB8t4Q0[/youtube]

Edu: ELE CONSEGUIU MANTER A QUALIDADE DA PRIMEIRA APRESENTAÇÃO. Eu estou extasiado até agora com essa apresentação magnífica, extraordinária e poderosa. Eu estou totalmente sem estruturas, e quero muito que ambos vençam.

Let: FOI MELHOR QUE A PRIMEIRA APRESENTAÇÃO, SEGURAA BERENICEE! Raramente vi um candidato masculino com a qualidade de Trent, acho que somente consigo compará-lo com o Adam Lambert, que também evoluiu demais. Ele tem uma voz poderosa e delicada ao mesmo tempo, além de não se prender em rótulos de estilo, no caso de Trent o country seria uma saída natural, coisa boa que ele é mais do que isso. Essa apresentação foi tão boa, ele canta essa música com tanta melancolia, que arrisco dizer que ficou melhor que a própria versão original da Sia. Certeza que, assim como eu, ela chorou feito criança vendo essa apresentação.

Lucas: Quando Trent cantou essa música pela primeira vez, eu falei que essa tinha sido minha performance preferida dele e olha, o cara voltou e conseguiu fazer algo ainda melhor. Assim como a plateia, também aplaudi em pé, porque foi um tiro tão grande que nem tem mais o que dizer. ESPETACULAR!

 

La’Porsha Renae – “Diamonds”

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=fI9hqTEMcKY[/youtube]

Edu: Essa segunda apresentação de “Diamonds” foi infinitamente melhor que a primeira. Eu estou totalmente boquiaberto com a qualidade impecável que foi tudo, do começo ao fim. Não paro de tremer aqui. Chorei junto com ela aqui. MARAVILHOSA! PERFEITA!

Let: DE ONDE ESSA MULHER TIRA TANTA VOZ? Eu to no chão destruída, acabada, pisoteada depois dessa apresentação. Tem nem muito o que dizer, porque já cansei de exaltar todas as qualidades de La’Porsha. Musa master, ela alcança notas impossíveis e brinca com a voz, tudo com a cara mais calma do mundo, com uma facilidade impressionante. Tem nem mais o que falar, já que ela nunca erra mesmo.

Lucas: Também foi coisa linda gente! Com “Diamonds” La’Porsha teve um de seus melhores momento do show e cantando novamente a música não foi diferente! Também arrepiou aqui. Aquela voz, aquela emoção toda! Num dá gente, to aqui destruído com esses dois finalistas.

 

SPECIAL PERFORMANCE

 

La’Porsha Renae & Trent Harmon – “It Takes Two”

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Kkgz31z3IJE[/youtube]

Edu: Quando cantaram juntos pela primeira vez, nossos finalistas já haviam proporcionando uma apresentação única. Agora então foi demais novamente, eles são os novos Justin & Kelly do Idol, aliás amei tal referência.

Let: Adorei a comparação com Justin e Kelly, é bem isso que vejo nesses dois, candidatos tão perfeitos e tão diferentes. Nunca antes na história de um reality, eu torci pelos dois finalistas, nunca. E é totalmente sincero quando eu digo que não me importa quem ganhe, os dois merecem. Com vozes cheias de força e que não tem nada a ver uma com a outra, eles fizeram uma apresentação linda, no tom, para lacrar com chave de ouro esse programa incrível. Essa última temporada merecia mesmo candidatos assim.

Lucas: Ah gente, que perfeição esses dois juntos! Como o próprio Duh comentou logo a cima, ficou algo totalmente 50/50, o que NUNCA tinha acontecido comigo. Performance maravilhosa!

 

 

VENCEDOR

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=4t267JTtalw[/youtube]

Edu: Quando a temporada de Idol começou eu jurava que Tristan ou MacKenzie tinham grandes chances, mas o fenômeno La’Porsha foi surpreendendo com apresentações impecáveis. E Trent então? Lembro perfeitamente até hoje quando ninguém quis cantar com ele e, o grupo que o rapaz fazia parte, todos foram eliminados. O candidato, por sua vez, cantou a mesma música, e simplesmente HUMILHOU. Como é bom o mundo dar voltas, não acham? Trent foi evoluindo desde então, e fui achando que ele chegaria no máximo no Top 5, até o dia em que veio a apresentação de “Simple Man”, para destruir quaisquer estruturas. Quando cantou essa música, já comecei a alimentar a hipótese do rapaz ser finalista, mas foi na performance de “Chandelier” que eu tive a certeza definitiva que era o único capaz de tirar o possível e quase dado como certo trono de La’Porsha, como último Idol. E foi isso que aconteceu. O programa se encerrou de forma única e, pela primeira vez, achei justa a formação de uma final de reality show, onde ambos mereciam 50/50 vencer. Fiquei feliz por La’Porsha que, pode não ter vencido essa temporada final de American Idol, mas fechou contrato com gravadora também. Quero logo o álbum deles, e quem sabe um dueto.

Let: Então gente, eu fiquei é bem feliz. Pulei comemorando a vitória de Trent, como pularia caso a vitória tivesse sido de La’Porsha. No fim, eu realmente achei que ele mereceu mais, mas deixa eu explicar: La’Porsha foi rainha desde o início, poderosa, empoderada, ela se manteve constante no seu caminho, não tinha muito o que evoluir, apenas soltou mais a voz e aumentou minha lista de apresentações inesquecíveis. Já Trent era meio ovelha negra lá no início. Ele sofreu bullying, se retraiu no comportamento (nunca na voz), e mostrou uma evolução incrível, uma libertação sem precedentes. Ele não chegou pronto, foi se moldando. Diferente da rainha, o crescimento dele foi constante e bem marcante. Claro que, como mulher, eu deveria preferir uma irmã ganhando, mas há umas duas semanas Trent conquistou minha torcida e respeito. Vitória merecida e que coroa o talento provindo da própria intervenção do Idol. Foi no programa que ele cresceu, e isso fecha com honra esse ciclo de sucesso do American Idol.

Lucas: Confesso que na minha cabeça La’Porsha levava a temporada tranquilamente. Fiquei com esse pensamento a muitas semanas atrás, mas Trent foi crescendo de uma forma tão absurda que se igualou. O cara tem uma voz espetacular e entregou performances inesquecíveis, além de se superar a cada semana. “Chandelier” e “Simple Man”  jamais sairão da minha playlist, porque foram minhas preferidas e olha, a vitória foi merecia, assim como torço para que a carreira dele seja cheia de conquistas. Estou aguardando absurdamente pelo álbum de estreia não só dele, mas também da La’Porsha!

american-idol-series-finale-1

O programa terminou em grande estilo, e queremos aproveitar esses últimos momentos para declarar o que American Idol influenciou em nossas vidas.

Edu: Eu já tinha ouvido falar do American Idol, e conheci Kelly Clarkson, ao saber que ela venceu a primeira edição. Apesar disso, só fui acompanhar pra valer o programa a partir da quinta temporada, onde até hoje rolou a vitória mais injusta da história, na minha opinião, pois ali era Katharine McPhee que deveria ter levado a bola da vez. Desde então acompanhava tudo quanto era notícia, tentava acompanhar a carreira dos participantes pós Idol, comecei a caçar na internet as edições anteriores e tudo mais. O impacto que esse programa gerou foi tão grande que, graças a ele, que The X FactorThe Voice estão em cena e fazem sucesso. Kelly Clarkson, Jennifer Hudson, David Cook, Jordin Sparks, Adam Lambert são apenas alguns que passaram no reality que sigo tudo o que fazem até hoje. Já ri, chorei e tive raiva assistindo a atração, e esse legado não chegou ao fim. É óbvio que voltará algum dia, mas espero que demore um pouco para sentirmos saudades e, quem sabe, voltar reformulado, com um formato inovador, e pronto para conquistar uma nova geração. Esse series finale foi simplesmente épico, muito mais além das minhas expectativas. Ryan se despedindo no minuto final e não conseguindo controlar a emoção foi destruidor pra mim, mas aquele “for now” foi o que me confortou um pouco. A ficha ainda não caiu.

Let: É fácil e difícil falar do American Idol. Ele foi o meu primeiro reality musical, e sempre teve uma influência muito forte em mim e na minha vida. Sem apostar em formatos fechados, como o The Voice faz ou o The X Factor, AI nunca teve medo de se reinventar, de apostar em coisas novas. Eles foram moldando o programa com a audiência ao longo desses 15 anos, que passaram tão rápido. Ali eu sempre vi sinceridade, diferente dos outros realities. A bancada sempre foi amiga (tirando a season 12) e unida, só lembrar dos originais, Simon, Paula e Randy – que me fizeram chorar com suas aparições -, ou então pensar em JLo, Keith e Harry, match perfeito. Outro ponto positivo era a aproximação com os candidatos, e toda aquela paixão e verdade em cantar, não é à toa que saiu tanta gente cheia de talento e sucesso daqui. Falando em sucesso e carisma, é impossível não citar Ryan, o melhor apresentador de realities musicais do universo. Eu chorei junto com ele, em todos os momentos dessa final. Por ora o programa acabou, mas viverá para sempre aqui dentro de mim. Foi tudo lindo, Idol!

Lucas: Gente, eu fico tentando pensar no que escrever aqui, em como descrever o que esse programa fez comigo ao longo desses anos. Foi uma jornada maravilhosa, temporadas que emocionaram e me fizeram conhecer cantores que vou levar pra vida! Carrie Underwood, Kelly Clarkson, Kris Allen (ME JULGUEM), Trent, La’Porsha, tantos e tantos outros que ao longo essas quinze temporadas surgiram e me ganharam. Mas não foi só isso, American Idol é mais do que um programa musical, esse negócio brincou com meu emocional muitas e muitas vezes, sempre me deixando destruído em cada hometown visit, rendendo momento épicos naquela bancada ou seja em qualquer outro VT que rolava. Não consigo expressar direito tudo que sinto por esse programa e o quanto vai fazer falta quando chegarmos no janeiro próximo e não tivermos outra temporada. Essa finale foi algo absurdamente de outro mundo, o melhor desfecho que já vi em algum programa de TV. Foi lindo, emocionante, agoniante, não sei. Coroou o último Idol e deixou ainda mais claro o quanto o programa revolucionou o negócio todo! Só sei que pretendo ficar com aquele “For Now” que o Ryan disse no último segundo do episódio, na certeza de que num futuro não muito distante teremos essa maravilha de volta e ainda melhor.

a-idol-original-judges

Queremos agradecer a companhia de todos vocês, ao Anderson Narciso, editor chefe do Mix, por ter dado essa chance de cobrirmos o American Idol, mesmo num momento em que o programa já não fazia mais o sucesso estrondoso de antes. A Letícia BastosLucas Santtos, meus parceirões não só desse, mas como também de outros realities. Como se diz, time que está ganhando não se mexe. E não posso esquecer também ao Fábio Farias que, apesar de não fazer mais parte do time de colaboradores do site, acompanhou Let e eu no começo da cobertura, no ano passado.

Obrigado por tudo gente! (Por Eduardo Nogueira)