Amor e Gelato, a verdade por trás: filme tem história real?

Amor e Gelato é um popular filme romântico da Netflix. Mas ele tem história real?

amor e gelato
- Publicidade -

O filme de romance para jovens adultos de Brandon Camp, Amor e Gelato sai como um caso doce cheio de bondade pegajosa e o ambiente de um diário de viagem.

- Publicidade -

O filme acompanha o amadurecimento de Lina, de 17 anos, que chega à Toscana apesar de sua melhor intenção, atendendo aos últimos desejos de sua mãe. Lá, ela encontra uma família entre estranhos e participa de aventuras desajeitadas com dois pretendentes encantadores. Enquanto isso, Lina se apaixona pelo zelo comemorativo da Itália, guiada pela voz de sua mãe. Quando tudo dá errado, no entanto, uma colher de sorvete melhora o humor de Lina.

Após a estreia, o filme atraiu grande parte do público jovem adulto, graças à sua caracterização e cenário autêntico. No entanto, você deve se perguntar se há alguma verdade no conto de romance. Eis o que sabemos.

- Publicidade -

Amor e Gelato é uma história verdadeira?

Amor e Gelato história real
Imagem: Divulgação.

Indo direto ao ponto, não, Amor e Gelato não é uma história real. O filme da Netflix, aliás, é uma obra de ficção e não procura projetar a documentação de eventos reais.

Brandon Camp, o escritor de ‘Benji’ e ‘Dragonfly’, dirigiu o filme a partir de um roteiro baseado no romance best-seller homônimo de Jenna Evans Welch. Os fãs de Welch adoraram o livro e estavam ansiosos para experimentar uma adaptação para a tela, e Camp fez um excelente trabalho ao mudar o meio.

Para Welch, o romance é bastante extraordinário, pois esconde uma parte do autor. Como ela relembrou, a história estava com ela por mais da metade de sua vida antes de sair na forma final de livro. Em entrevista ao Publisher’s Weekly, Welch revelou: “Eu frequentei uma escola internacional em Florença e uma de minhas amigas cresceu em um cemitério americano, onde seu pai era o zelador. Meu amigo costumava correr entre as lápides todas as manhãs.”.

- Publicidade -

Welch, que tinha 17 anos na época, achou que daria um ótimo livro.

A construção da história de Amor e Gelato

Amor e Gelato
Imagem: Divulgação.

O autor de best-sellers queria ser um escritor de ficção para jovens adultos desde a infância. Ela começou a trabalhar no livro aos 22 anos, mas seriam necessários sete anos e várias revisões antes que pudesse finalmente sair. Enquanto escrevia os rascunhos, Welch emprestou bastante de suas experiências durante sua estada na Itália. A autora não se cansou do gelato mundialmente famoso, especialmente seu sabor favorito, Bacio. Embora se refira a uma suntuosa mistura de avelã e chocolate, “Bacio” também significa “beijo” em italiano. Welch lembrou-se de que tomava duas ou três bolas de sorvete por dia durante seu primeiro verão na Toscana.

A descoberta da maravilha é atribuída ao chef italiano Francesco Procopio Dei Coltelli. No final dos anos 1600, Coltelli introduziu o gelato em seu Café Procope em Paris, ganhando notoriedade na cidade e no resto da Europa. O Gelato potencializa a conexão italiana, com certeza. Welch foi contatado por vários diretores que mostraram um interesse ativo em adaptar o romance em um filme. Brandon Camp se destacou para o autor graças à sua persistência. Como a autora tinha muita coisa acontecendo no momento, como escritora profissional e como mãe, não pôde investir no processo de adaptação.

- Publicidade -

No entanto, Welch confiou o material aos cineastas e ficou satisfeito ao ver o produto final. O filme Amor e Gelato também esconde alguns lugares onde Welch saiu quando adolescente. Enquanto assistia ao filme, a autora ficou tão animada que pensou em mandar uma mensagem para seus amigos da Itália.

Mas o diretor ajustou a história em alguns lugares. E uma mudança significativa foi ter a personagem Addie no filme, pois ela só aparece no segundo livro da série, ‘Love & Luck‘.

Portanto, tudo aqui é fictício.

Anderson Narciso
- Publicidade -