Animix: Muito mais que Apenas um Show

regular-show-53da879c26486

Continua após publicidade

[spacer size=”20″]

Continua após a publicidade

Aproveitando o lançamento do filme de Apenas um Show, série que completa cinco anos este mês, Animix aproveita para falar sobre esta que é uma das melhores animações da última década. Recheada de um humor absurdo, que agrada os pequenos, mas esconde uma fina ironia para os maiores, esta brilhante produção do Cartoon Network encontra-se na sétima temporada e é considera uma das 250 melhores séries de todos os tempos de acordo com o IMDb. Acha pouco? Saiba mais sobre esse show que é bem mais do que isso.

Continua após publicidade

[spacer size=”20″]

A História

[spacer size=”20″]

Continua após publicidade

Apenas um Show conta as aventuras surreais (sério, quando digo “surreais”, é porque a coisa é realmente fora do comum) de uma gaio-azul, Mordecai, e de um guaxinim, Rigby. Os dois são melhores amigos e vivem e trabalham em um parque gerenciado por Benson, uma máquina de chicletes humanoide. Cada personagem é mais original que o outro e todos passam por situações absurdas que envolvem viagens no tempo, batalhas em mundos virtuais, corridas e perseguições automobilísticas e disputas de “pedra, papel ou tesoura”, ou, como diz Pairulito, “quartzo, pergaminho e podadeira”.

Os Personagens

[spacer size=”20″]

apenas um show

[spacer size=”20″]

Mordecai – melhor amigo de Rigby, é um gaio-azul, um pássaro único da América do Norte conhecido por ser uma ave agressiva. Mordecai, porém, não é dos mais bravos, ao contrário, tem problemas de autoestima e apesar de demonstrar coragem em situações adversas, se mostra envergonhado ao tentar chamar alguém para sair. Da dupla, é o mais lúcido e centrado, o que não quer dizer muita coisa.

Rigby – melhor amigo de Mordecai, é um guaxinim impulsivo de pouca paciência que geralmente é o causador dos problemas da dupla. Está sempre provocando o amigo, mas não nega sua fidelidade e está sempre disposto a ajudar, ainda que o trabalho não seja sua atividade favorita. Assim como Mordecai, Rigby tem 23 anos e adora comer pizza, jogar videogame e beber a maior quantidade de café possível.

Benson – é uma máquina de chicletes (!) com sérios problemas para controlar a raiva. Gerente do parque, é o chefe de Mordecai, Rigby e dos demais personagens. É um sujeito que vive sozinho e parece rabugento, mas no fim das contas sempre se mostra prestativo e amigo fiel. É, dentre outras coisas, baterista, motoqueiro e especialista em pinball.

Pairulito – é um homem de cabeça anormalmente grande que veste terno e cartola e é extremamente ingênuo. Sua lentidão para aprender ou entender coisas é sua marca registrada. Sempre fiel aos amigos, Pairulito muitas vezes surpreende com lapsos de inteligência e qualidades “diferenciadas”; além de poeta, se destaca na luta livre.

Saltitão – é um yeti, ou, como conhecido por aqui, um abominável homem das neves. Saltitão é um sujeito amigável, mas misterioso. Parece saber um pouco de tudo e estar por dentro dos segredos sobrenaturais que circundam o parque. Além de tudo, é um ser imortal, bom de briga, inteligente e fera do boliche.

Musculoso – melhor amigo do Fantasmão, Muculoso é um homem (será?) esverdeado que trabalha no parque e se envolve nos problemas de Mordecai e Rigby às vezes mais para atrapalhar do que ajudar. Não tem muitas qualidades, mas sabe fazer piadas envolvendo as mães das outras pessoas.

Fantasmão – é um fantasma minúsculo com a palma de uma mão acima da cabeça; é por isso que, em sua versão original, é chamado de Hi-five Ghost. É o melhor amigo de Musculoso.

[spacer size=”20″]

regular-show-20352-2880x1800Uma Viagem

Várias animações ganham diversas teorias conspiratórias com o passar dos anos. Alguns dizem que apenas Salsicha conversa com Scooby-Doo pelo motivo de que o primeiro fuma muita maconha, o que possibilita a relação com o segundo. Outros tantos acreditam que as crianças de Caverna do Dragão estavam mortas e que o Mestre dos Magos era o vilão da história. Teorias à parte, Apenas um Show também possui seus segredos; uma das possibilidades é de que tudo que acontece na história não passa de uma “viagem” de ácido. Sim, o pessoal fica drogado após consumir ácido e começa a imaginar coisas. Isso justificaria todas as loucuras e o forte teor nonsense do programa.

Se tudo que acontece na série é uma “viagem”, é impossível afirmar. O que se sabe, porém, é que Apenas um Show se originou de um curta-metragem animado que trazia dois homens trabalhando em uma loja de conveniências durante a madrugada. Jogando conversa fora, a dupla acaba tomando ácido. A partir daí a loucura começa. Um deles começa a acreditar que um é um pássaro gigante (Mordecai) e o outro começa a se enxergar como uma máquina de chicletes que anda e fala (Benson). O curta nasceu de uma brincadeira da época em que J.G. Quintel, o criador, estava na faculdade. A ideia era sortear palavras aleatórias de dentro de um chapéu e, a partir destas palavras, criar, durante o fim de semana, uma história original. Assim nasceram estes pequenos filmes estudantis que geraram Apenas um Show.

[spacer size=”20″]

Assista 2 in the AM PM, curta que originou Apenas um Show:

[spacer size=”20″]

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=rks2_ctHuDQ[/youtube]

[spacer size=”20″]

Old School

Mordecai é livremente baseado nas experiências de Quintel durante a faculdade. A ideia sempre foi mostrar amigos que levam a sério situações estúpidas. A premissa é começar com os personagens em seu dia a dia habitual; de repente, surge algum tipo de problema que precisa ser resolvido. Aos poucos, elementos sobrenaturais ou estranhos começam entrar no caminho dos personagens. As coisas vão ficando cada vez mais insanas e é inacreditável o que os roteiristas são capazes de apresentar em apenas onze minutos de episódio.

Os roteiros de Apenas um Show, alias, são amplamente elogiados pelos diálogos e pelas situações absurdas que não soam vazias. Não é a toa que o programa é uma das animações mais sólidas e prolíficas da atualidade. É o texto e os personagens que garante grande parte do sucesso, já que o visual do show é considerado “básico” demais. Ainda assim, os traços da animação ainda possuem seu charme. Indo contra a maré das animações feitas diretamente no computador, Quintel e sua equipe começam os trabalhos sempre com lápis e papel, desenhando e pintando tudo à mão. A mistura de estilos e abordagens garante um visual mais atraente do que o de Hora de Aventura, por exemplo.

Um dos grandes baratos de Apenas um Show é a capacidade de agradar as crianças e os adultos com piadas e gags visuais cheias de duplo sentido. Mas não pense em coisas ofensivas; a graça está nas referências, no caráter nostálgico, no perfil oitentista. Ainda bem que a ideia inicial não vingou: o programa se chamaria “Normal Show” e traria dois animais que trabalhavam em um zoológico onde as atrações eram seres humanos. Do jeitinho que está, parece bem mais divertido.