Aqui estão as razões pelas quais Morgan tem de morrer em The Walking Dead

Imagem: AMC

 

Não tem como correr: o tempo de Morgan Jones em The Walking Dead está prestes a chegar ao fim. Em matéria publicada pelo Digital Spy, os críticos destacam que o personagem não deverá chegar vivo até o final desta oitava temporada (inclusive, a aposta vai até mais longe e garante: ele não sobrevive até o final da metade da temporada).

É triste, de fato. Lennie James é indiscutivelmente um dos atores mais talentoso da série – e certamente o mais consistente – ele também foi o foco de um dos melhores episódios (da sexta temporada, ‘Here’s Not Here‘). Mas ele estará indo embora, então você já pode dizer adeus a tudo isso.

Continua após a publicidade

Mas por que ele terá de morrer? O artigo responde isso de maneira fácil, uma vez que seu personagem foi escrito em um ponto fora da curva. Mas em meio a este ponto, seu personagem caiu em um dualismo que já não funciona para a dinâmica da série, e este será o fator crucial que lhe causará morte.

Um dos últimos sobreviventes restantes do piloto, Morgan já passou por muita coisa desde que o conhecemos. Ele ajudou Rick a se acostumar ao apocalipse zumbi e ofereceu-lhe esperança quando tudo parecia desesperado.

Nós não o vimos na segunda temporada, mas ele ressurgiu na temporada 3 – louco de tristeza, um completo deslocamento de personalidade provocado pela perda de seu filho. Morgan ficou completamente louco por este ponto, cercando-se com armadilhas, preparado para matar qualquer um que se aproximasse dele. Descobriu-se que ele estava tão perdido, e que ele era basicamente suicida.

Mas Rick conseguiu tirá-lo da sua depressão, retribuindo o presente que ele deu uma vez a Rick; esperança. Mas não foi o suficiente para inspirar Morgan a se juntar ao grupo principal – ainda assim.

Lennie James pulou mais uma temporada antes de aparecer novamente no começo da quinta, muito melhor após o resultado de seu encontro com Rick. Nós vimos Morgan viajando para Terminus, mas, depois que ele descobre que Rick ainda está lá fora, ele finalmente encontra o caminho para um dos mais impressionantes momentos do fim da temporada (quando ele chega em Alexandria e encontra Rick matando Pete com frieza).

Nesse momento, vemos que Morgan acaba com a gangue dos Lobos sem matá-los – e descobrimos que ele se transformou em um pacifista total. Ele ainda tem seu próprio mantra: “Toda vida é preciosa”.

Foi uma boa maneira de acabar com a temporada, com duas filosofias completamente concorrentes – e uma inversão de papéis estabelecendo um bom drama explorado na temporada 6 entre Morgan e Rick.

Mas, infelizmente, a sexta temporada foi quando a equipe de redação começou a pisar na bola com Morgan. Ele teve um caminho realmente satisfatório até este ponto, mas ninguém parecia saber o que fazer com um pacifista em uma série sobre matar zumbis/pessoas, e seu potencial acabou sendo desperdiçado. Em vez do conflito prometido, conseguimos um monte de decisões de caráter horrível.

Desde então, eles corrigiram seus erros, empurrando Morgan de volta para matança. Mas não sem culpa, vimos seu personagem em luta no começo da oitava temporada, fazendo novamente seu personagem ficar sem sentido na trama.

Morgan passou de uma figura de esperança, para alguém que Rick precisava salvar, para alguém que poderia salvar Rick para.. Bem, o que ele é agora? Apenas um outro coadjuvante?

Depois de algumas temporadas lutando com o dilema moral de matar zumbis e pessoas, The Walking Dead parece ter finalmente tomado uma decisão (através de um discurso de Rick, para o qual Morgan nem sequer estava presente) – que é certo matar gente má.

Legal, legal – mas como Morgan se encaixa neste mundo novo e corajoso, olhando para o bastão ensanguentado, como se ele fosse usado para colocar no seu cachorro?

Seja como for, os escritores estão com Morgan em uma história que certamente se repetirá. Eles poderiam ter realmente se comprometido com a reinicialização, e ter o personagem como um brutal assassino – mas, com a evidência do começo da temporada 8, eles mostraram um homem que mata, mas que também se sente mal com isso.

Isso significa que teremos mais conversas sobre a moralidade do que a gangue está fazendo e mais problemas internos contra Morgan. É quase como se os escritores soubessem que ele estava superando, e então não se incomodaram em trazê-lo de volta para o redemoinho. É semelhante ao que aconteceu com o Dale na temporada 2 – um personagem fantástico e em camadas tornou-se insuportável.

Não podemos imaginar The Walking Dead nesta linha narrativa por muito mais tempo, pois é completamente contra o novo modus operandi – menos conversa, mais tiro. Então, sim, Morgan está condenado.

Ele será o cordeiro sacrificado para provar que os escritores ouviram o feedback da audiência e não vão passar metade da temporada discutindo as conseqüências de matar. Ele receberá alguma forma de redenção, e depois se tornará um zumbi.

Então, RIP Morgan – nós realmente esperamos que eles não o tragam de volta como um zumbi para sublinhar a ironia de transformá-lo de um pacifista em uma máquina de matar.

Lennie James, você merece (e sempre mereceu) melhor do que isso.

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

No comments

Add yours