Arrow – 3×17 – Suicidal Tendencies

Arrow 3x17

Imagem: Banco de Séries

 

Finalmente! Após várias e várias reviews falando que Arrow estava bem “capenga”, pode comemorar caro leitor: este episódio “matou a pau”. E repito, finalmente! Isso porque, já tinham semanas que eu não estava suportando assistir Arrow, achando tudo banal, com um roteiro porco e preguiçoso. E foi assim, num episódio sem qualquer expectativa que me vi envolvido com a série novamente.

Você me pergunta: aconteceu alguma coisa de relevante na história? Te respondo: não. Aí que está. O plot central anda tão ruim, que quando eles abandonam, a coisa melhora. Desta vez, Ra’s ficou bem de lado, tomou praticamente três minutos do episódio se bobear. Pode-se dizer que assim, a coisa andou.

Continua após a publicidade

Chegou o grande dia do casamento de Diggle e Lyla, todos presentes e comemorando uma cerimônia que foi belíssima – com direito a Ray Palmer sendo pastor e fazendo ótimas piadinhas. E foram eles, Diggle e Lyla que carregaram o episódio junto com o Esquadrão Suicida que partiu em missão e tornou a lua de mel dos pombinhos mais interessante. E sabe o que surpreendeu neste plot? O Pistoleiro. Floyd Lawton foi o grande protagonista dos flashs deste episódio, e conseguimos entender um pouco mais sobre como ele se tornou o assassino que era.

A história não teve preguiça de inovar e achei surpreendente o lado mais humano de Lawton, que acaba não resistindo a uma explosão feita por Joseph Clay, em uma excelente inclusão do personagem da Nova Terra. Mas será mesmo que ele não resistiu? Sem corpo, sem morte. Espero que ele retorne em breve com o Esquadrão que recebeu uma nova integrante: a Cupido, que esteve também ótima em suas cenas.

Já em Starling City, a coisa ficou interessante quando Ray descobriu que o Oliver é o Arqueiro, e aí meus amigos a coisa esquentou. A cena de Oliver lutando contra seus impostores – ligado à Liga dos Assassinos foi até bacana, mas a cena do Arqueiro contra o Eléktron foi sensacional. Palmas para os efeitos que estavam dignos de filme. A cenas de voo ficaram massa e trouxeram um diferencial para o episódio que o deixou mais atrativo. Palmas.

E não tivemos nada de Canário, nada de Thea com seu plot mimimi, e pouquíssimo Ra’s e sua ideia maluca de transformar Oliver no novo Ra’s Al Ghul. Me dá até preguiça do episódio de semana que vem, que provavelmente voltará suas atenções a isso. Mas ao mesmo tempo, reabrem as esperanças de que Arrow possa se recuperar. Este episódio me fez lembrar como era vibrar com a série do Arqueiro Verde.

Ps: Diggle falando que vai deixar o Team Arrow. Mas quero ver o Team Arrow deixar ele. Tretas malignas virão, certeza.

Ps2: Felicity voltou a ser o que era e eu vibrei. Estava com saudades da minha personagem predileta sendo ela de verdade, com a personalidade que conquistou todo o público.

Semana que vem, o Arqueiro se torna um inimigo público, pelos assassinatos cometidos pela Liga dos Assassinos. Promete!

Até lá.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=CXWZ1qW0r84[/youtube]

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

1 comment

Add yours

Post a new comment