Arrow – 3×18 – Public Enemy

Arrow

Imagem: Arquivo Pessoal/Caroline Marques

 

Aquela flecha no Ray já começa dando um susto. Aquele sentimento de quando você recebe o salário e paga as contas: Mal chegou e já vai embora Ray? Quentin Lance está com sangue nos olhos, atirar para matar, fazer o que for preciso para pegar esse vigilante. Ele pronuncia “vigilante” como se ele fosse titica de galinha, mais respeito hein Lance.

Shado tem uma irmã gêmea, olhem que conveniente. E ela aparece bem na hora que Oliver precisa sumir do mapa com Akio – dedinho do Big Boss nesse encontro, só que ela fica desconcertada com a tattoo que eles tem em comum. Mas acho que Oliver não merece esse tratamento vip não, que golpe baixo jogar a carta Sara com Nyssa pra encontrar o Maseo, na maior cara de pau.

Continua após a publicidade

A Donna, mãe da Felicity, é uma criatura a ser estudada. Fica feliz com o namoro da filha mesmo que o namorado ex-Superman esteja com o pé na cova. Nyssa cai na sedução de Oliver e encontra o QG da Liga, Roy pergunta como ela encontrou e ela completa – Eu sou a filha do demônio. Menina cheia de fontes essa! O mais legal é ver o Time Arrow se aprumando e saindo para “guerra”, dá uma sensação de segurança, de proteção. Tudo vai dar certo e acabar bem. Será?

Maseo não está sabendo em que lado da avenida sambar, salvou Oliver, mandou ele embora e quer matar ele agora. Decida brother, assim fica difícil te defender. Aí aparece Ra’s em pessoa, agora não sei se ele é uma pessoa, porque tecnicamente, ele já viveu por duas. Mas enfim, ele está cada vez mais gostoso da vida com a ideia de Oliver Green Queen Arrow como seu sucessor. Estou bem firme que ele vai fazer de tudo até que Oliver aceite, ou se renda, e sacrifique-se. Ra’s transpira fodacidade, você consegue sentir, o cara é seguro, coloca pressão.

Laurel salva Oliver e Roy porque claro que o Lance não iria matar a filha que lhe sobrou. Mas levou um supapo da Nyssa, abatido por duas jovens lutadoras, what a shame! Se bem que, ela é a filha do demônio, então temos que considerar.

Quando pensamos que Thea estava em dia com a série, ela percebe que a não sabe sobre a lenda toda do sucessor de Ra’s. Falando no des-gra-ça-do, qual o objetivo dele ao dar a cara ao crachá do vigilante? Assim tu não conquista seu sucessor, homem. Mas sabe que acompanhando o raciocínio do Lance eu até que entendo ele, tudo começou com a Sara indo com Oliver naquele barco, ilha, Liga, máscara e morte. Só a tempestade em alto mar que não estava programada.

Ray Palmer pode concorrer ao cargo que quiser na vida que voto nele, muito simpático, engraçado, e dá a cota de leveza que a série precisa por episódio, contando com o primeiro Eu te amo, Raylicity. Em compensação Lance abre uma caçada contra Oliver, gente, qual a necessidade disso? – tire esse rancor do coraçãozinho. Deu certo , ele se entrega, mas como rola muita amizade nesse time, Roy faz um sacrifício, e acredito que por causa disso Oliver também fará um. Adoro episódio assim, ação no presente e nos flashbacks também. Confira a promo dos próximos episódios, vontade sair correndo e gritando gente:

 

[youtube] https://youtu.be/WFk7uixvN9s [/youtube]

Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

2 comments

Add yours
  1. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 4 abril, 2015 at 18:47 Responder

    Carol, muito boa review. E nao é que este episódio me surpreendeu? Olha…
    Dois seguidos que me agradam há muito tempo Arrow não fazia isso comigo.

    Pois bem, essa coisa do Arrow ter virado inimigo público foi dahora. Só me incomodou o fato de Starling City inteira ter descoberto a identidade do Arqueiro, mas isso parece ter mudado com a atitude do Roy. Nao sei em que vai influenciar, afinal, o Capitão Lance sabe que o Roy é o Arsenal.

    Finalmente, estou ansioso pelo proximo episódio de Arrow 🙂

Post a new comment