Arrow – 4×18 – Eleven-Fifty-Nine

397113-620x350

Imagem: Banco de Séries

Continua após as recomendações

One last time…

Muito mais do que uma simples citação, uma esperança… Muito mais do que uma morte, um provável recomeço. Muito mais além do que querer acreditar, é saber que possibilidades infinitas existem em um mundo com tantos universos e tempos. O que mais me dói é perceber a evolução ser provavelmente destruída. É enxergar desde o início a beleza e a inteligência de uma personagem que sempre buscava ir além, e vê-la partir de uma maneira extrema. Confesso que mesmo sabendo, não estava preparado para uma morte tão grande.

Há duas temporada vimos um crescimento e uma evolução gigantesca na vida de Laurel Lance. A personagem ganhou identidade, se tornou poderosa dentro e fora do mundo dos vigilantes, se mostrou alguém que sabia o que faz e que foi atrás dos seus ideais por justiça. Vimos em pouco mais de quarenta minutos, frases de recordação, de renascimento, ações de uma personagem que vai além de socos e cenas de ação. Vimos o crescimento dela como pessoa e toda essa dinâmica apresentada neste episódio me proporciona esperanças.

Continua após a publicidade

397102-300x169

Imagem: Banco de Séries

Não está relacionado a algo de não querer acreditar, e mais como uma fé no renascimento. Uma esperança de que os ideais de Laurel sejam passados adiante. Claro que ainda espero vê-la novo na série, seria fantástico saber que a morte no fim foi traçada por ela e por Oliver, que dentro daquela caixinha com sua foto havia um medicamento que parasse seu coração por alguns instantes e que na verdade ela apenas vá para algum lugar continuar o trabalho como Canário Negro, ajudando mais pessoas por aí. Mas temos que ser realistas e trabalhar com ambas opções, sabendo que apenas o ideal da personagem pode permanecer na série, sem sua presença física.

E para acabar de vez com minhas esperanças, ouvir da boca de Laurel que Oliver era o amor de sua vida foi algo impactante. Podemos trabalhar sobre a hipótese de que há uma esperança de futuro para os dois, em um universo onde as coisas andem a favor do segundo renascimento de Canário, mas ao mesmo tempo, isso pode ter vindo para finalizar todo sentimento entre os dois e findar ainda mais a realidade de que o fim se dará com Olicity. Aquele famoso tiro no pé…

Analisando o contexto do escape de Darhk da prisão e tudo que envolveu a morte de Laurel, fica difícil não culpar Diggle por isso. E não digo apenas sobre Andy, e sim sobre John, que se fez inocente durante todo o episódio para depois analisar a real situação de seu irmão quando não se tinha mais jeito. Confesso que esperava que ele estivesse no lugar de Laurel e que sofreria menos a essa situação.

Agora teremos que encarar a cena do funeral, e ainda por cima com Damien fora da prisão e com seus poderes de volta. A abordagem do projeto Genesis já é necessária a esse ponto, e eles devem ser bem cautelosos depois dessa morte, uma vez que passaram duas temporadas massageando nosso coração para essa facada. Nos resta aguardar para as próximas novidades e torcer para que a crítica dos fãs americanos não repercuta na continuidade da série.

Tags Arrow