Arrow – 5×08 – Invasion! (3)

Imagem: Banco de Séries/Divulgação

Imagem: Banco de Séries/Divulgação

Continua após as recomendações

As definições de nostalgia foram atualizadas!! Como foi bom termos esse centésimo episódio de Arrow no meio de todo o crossover. O trabalho realizado foi incrível e conseguiu remeter muito bem o que estes últimos quatro anos e meio de série representa para todos os fãs do universo. Tudo começou aqui, de alguma forma… Todos saíram do arco de Arrow e hoje conquistam sua própria série ou até mesmo são peças chaves para a evolução dos arcos. Foi incrível perceber o quanto a série é importante para todo o universo, o quanto ela permanece firme, mesmo com todos os altos e baixos dos últimos anos, e por fim, como eles conseguiram trazer um episódio que nos lembrasse disso.

O episódio teve um foco central e eu gostei disso. Os produtores com certeza pensaram: “Temos duas premissas importantes para serem abordadas: o centésimo episódio e o crossover. Devemos escolher uma, e trabalhar muito bem em cima disso.” Claramente o foco na comemoração de 100 episódios prevaleceu um pouco mais, contudo, ainda houve momentos que nos remetia ao arco, até mesmo para construir uma história que será abordada em LoT. A questão nostálgica não deixou a desejar a nenhum momento, principalmente trazendo logo de cara os personagens que mais marcaram estes últimos anos.

Continua após a publicidade

Imagem: Banco de Séries/Divulgação

Imagem: Banco de Séries/Divulgação

Rever cenas de Katie Cassidy em flashbacks já é difícil, imagina ter o foco central nela durante todo um episódio, e o pior, em uma relação com Oliver da qual eu esperei todo esse tempo para acontecer e nunca se tornou realidade. A verdade é que a Black Canary faz muita falta à série, sempre foi minha personagem preferida, mesmo quando todos criticavam e achavam ridículo ela querer “tomar” o lugar da irmã. Digo com todas as letras, suas cenas me comoveram bastante e sua presença realmente afeta a todos. Até mesmo o Amell que é um poço de péssima atuação, conseguiu se desdobrar e ficar mais confortável nas cenas entre os dois. Aquela declaração final, aquele abraço, aquele sorriso, tudo ficará guardado por um bom tempo na mente dos grandes fãs da personagem.

Outra personagem que me remeteu excelentes lembranças foi Moira. Eu tinha um apego muito grande pela posição da personagem dentro do seriado. Arrow tinha uma pegada mais dramática quando ela ainda estava em cena, e podemos perceber isso relembrando um pouco do passado da personagem. Começamos com sua aliança a Malcolm em 2012, o arrependimento de suas ações, a veracidade sobre o pai de Thea, sua eleição como prefeita de Starling. Tudo gerava um tom mais sério para o seriado, e foi por isso que muitos de nós nos apaixonamos. Sua morte ainda traz um mix de mistério com saudade, em um momento que a série estava no seu auge e começava a gerar frutos do que hoje compõe o universo DCW.

Claro que, apesar de ter sido tudo incrivelmente produzido, os pequenos deslizes ainda permanecem em cenas. Como em sã consciência os produtores colocam Ártemis trabalhando junto a Prometheus e simplesmente somem com ela do mapa deste episódio? Era pra parecer que tudo estava normal? Para congelar o plot que vem sendo trabalhado em Arrow e reativar ao fim do crossover? Realmente, ao meu ver, foi uma falha terem tirado a garota por agora, pois para mim, ficou algo vago no meio dos acontecimentos. Os vilões ao fim do episódio também não me comoveram tanto quanto esperava. Foi legal ver o Deathstroke, mas eu preferiria ter o Slade Wilson real na trama. Colocaram aquela parede de vilões apenas para criar o sentimento nostálgico, mas poderia ter sido melhor trabalhado…

Preciso de uma pausa neste momento para falar que eu ri muito alto aqui em casa quando Malcolm Merlyn disse que Tommy tinha formado em medicina e estava trabalhando em Chicago. Entendedores entenderão!! Referência atualizada!! Voltamos com nossa programação normal.

Outro ponto que me incomodou um pouco foi a saída deles da espaçonave gigante. Vamos simplesmente sentar aqui, Thea coloca sua mão nesse pedestal que sairemos voando pelo espaço. Meio sem lógica, but ok, damos um desconto pois contornaram a situação com Waverider. Agora, LoT vem para fechar com chave de ouro o Arco. Espero ver um pouco mais de Supergirl e Flash nos próximos episódios, pois senti que ficou faltando este sentimento de crossover por aqui. Ainda assim, o episódio foi incrivelmente trabalhado, com o retorno de incríveis personagens e que nos remeteu muito bem as origens da série. Os produtores realmente estão de parabéns e poderiam, quem sabe, aproveitar esta nostalgia para desenvolver o final desta temporada, que fechará um ciclo dentro da série. Espero que vocês também tenham se emocionado com todo este trabalho e nos vemos logo logo para fechar esta incrível semana do Universo DC nas telinhas.

Não deixem de conferir o nosso especial sobre o Arco Invasion e as reviews de Supergirl e The Flash. Acompanhem também as outras reviews do mega crossover da CW/DC aqui no Mix de Séries.

1 comentário

Adicione o seu
  1. Avatar
    Álefe 9 dezembro, 2016 at 16:33 Responder

    Que episódio!! Não só foi meu favorito dentro do crossover como dessa quinta temporada de Arrow. Rever todos aqueles personagens reunidos bateu uma grande saudade das primeiras duas temporadas. Estou até pensando em maratona-las em breve. Ah, também ri muito da desculpa que deram para a falta de Tommy no episódio hahahaha. Adorei a review!!

Post a new comment