As aberturas constrangedoras das séries de TV

Sabe o constrangimento? Aquele sentimento gostoso que faz você querer morrer graças as ações de outra pessoa? É o que sentimos ao ver algumas dessas aberturas.

Continua após publicidade

O início dos anos 90 (e final dos 80) foram os campeões em aberturas onde tudo que você quer é falar para os atores: “Para, por favor!”. Só que aberturas que nos fazem chorar de vergonha existem em todas as épocas…

Continua após a publicidade

Cenas dos atores sensualizando, fingindo que não sabem que estão sendo filmados, se divertindo em parques ou ao ar livre, dançando, enfim… tudo muito agoniante, muito constrangedor.

Continua após publicidade

Beverly Hill 90210 (a orginial), por exemplo, tem uma das músicas temas mais reconhecíveis das séries. A primeira temporada mostrava sequências do programa intercaladas com lojas, marcas e lugares famosos no badalado endereço. Olha ela aí embaixo:

 

Continua após publicidade

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=2pm5W1BZOdg[/youtube]

 

Tudo muito legal, muito bonito. Sabe o que a abertura vira a partir da segunda temporada? Resposta certa! Um poço de constrangimento!

Os protagonistas Jason Priestley e Shannen Doherty (a maluca de Hollywood original, que já arrepiava bem antes de Mileys, Britneys e Justins aterrorizarem a terra de Tio Sam) olham sérios para a câmera num fundo azul. Começam olhando para o nada e terminam olhando para a câmera, tipo:” E aí, beleza?”

 

90210 3
“Sou Sequissy!”

 

O resto do elenco quis inovar essa receita dada pelos dois protagonistas e apelam para sensualizadas tensas (incluindo Gabrielle Carteris – a Andrea – mordendo a perna do óculos). Não temos como descrever tanta maravilhosidade! Assistam abaixo as aberturas de todas as temporadas com gente sendo sexy, tentando ser sexy, Luke Perry constrangido multidões e o quão sem graça Ian Ziering (O Steve do show) está durante todas as aberturas!

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=ilzhb0aLH70[/youtube]

 

Além de trazer as gêmeas Olsen para o estrelato, no papel de Michelle, Full House é o melhor exemplo da típica comédia cotidiana familiar da década de 90 (apesar de ter estreado em 87, ficou no ar até metade da década seguinte). Sofre com a gente nessa overdose de cenas de união da família Tanner, passeando por São Franscisco, jogando bola, andando de bicicleta e sendo felizes no parque durante a abertura do programa nas suas 8 temporadas. #sacodevômito

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=9ZOkTLqtW4g[/youtube]

 

Mesmo séries aclamadas como The Cosby Show sofrem desse mal. A primeira temporada é uma colagem de cenas dos Huxtables saindo de uma van e indo para um parque. Até aí nosso senso crítico está inabalado. Até que um “jênio” resolveu mudar o tema e introduzir a dancinha…. Ai, a dancinha do Cosby #facepalm. A dancinha de Bill Cosby é vexaminosa e a impressão que temos é de um surto epilético iminente…. acompanha com a gente na terceira temporada da série a agonia…

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=OS6wZl7G-QE[/youtube]

 

Algumas aberturas não são ruins… só envelheceram mal. O exemplo mais perfeito é a da série Wonder Womam. Tão anos 70! A idéia é boa e para a moda da época o tema psicodélico não é ruim, mas o brilho nos olhos de Linda Carter? Para que aquilo, meu deus?!

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=M_blOQEu9ws[/youtube]

 

Este também é o problema da abertura da série CluelessAs patricinhas de Beverly Hills (feita com parte do elenco original do filme). Nada grita mais “ANOS 90” que essa sequência abaixo:

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=_FIbPJx7HJ4[/youtube]

 

Finalmente, para terminar com polêmica, uma abertura que finge ser o que não é: Baywatch!

Sejamos muito honestos: todo mundo aqui via S.O.S Malibu para ver a Pamela Anderson correndo pela praia balançando aquele par de…bóias salva-vida dela (ou ver o David Hasenholf em camisa). História, interpretação, cenários, blá, blá, blá, ninguém se importava! A abertura era constrangedora porque, por si só, entregava tudo que o show tinha: gente semi-nua correndo pela praia! Além disso, os mais atentos (e machistas/misôgenos) notarão que a ordem do elenco feminino é pelo tamanho do par de… , bom vejam vocês! (obs: fui muito cuidadoso no processo de seleção dessa abertura abaixo. Nela temos Pamela Lee – ela não era Anderson – e Yasmine Bleeth, a preferida de todos que entendem da coisa. Infelizmente deixei Carmem Electra de fora, que só entraria no show algumas temporadas depois #xatyado).

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=pUrKjCypwJc[/youtube]

 

É possível se constranger bastante com a abertura das séries hein? Tenho certeza que muitas aberturas medonhas ficaram de fora e conto com a ajuda de vocês! Tem alguma que te faz virar o rosto pro lado ou mudar de canal e não está aqui? Conta pra mim aí embaixo.