As ausências nos indicados ao Emmy 2016

Emmy 2016 Esnobados

 

Nesta quinta (14) a Academia de Artes e Ciências Televisivas anunciaram os tão aguardados indicados ao Emmy Awards 2016 (clique aqui para ver a lista completa). Considerado o “Oscar da TV”, a lista dividiu opiniões em se tratando de merecimento à uma vaga na disputa pelos melhores do ano.

Indicações a prêmios são coisas muito pessoais. Ainda que sejam nomeações dadas por um grande grupo de votantes, a lista, ao fim, representa a opinião de determinado grupo. Os indicados ao Globo de Ouro, por exemplo, nunca são exatamente iguais ao do Oscar. Dito isso, julgar o que merecia ou não ter entrar nas indicações ao Emmy 2016 envolve gostos pessoais. Para se ter uma ideia, acreditamos que duas séries mereciam não só indicações como também deveriam dividir o prêmio: The Knick e The Leftovers, duas das coisas mais fantásticas da TV do último ano. Ainda assim, é preciso deixar a paixão de lado por um instante. Isso porque esses programas nunca tiveram grandes chances de serem indicados. Assim, quais são os candidatos que tinham chances, mas, no final, ficaram de fora?

Continua após a publicidade

 

Pausa Dramática…

Uzo Aduba OITNBNa categoria de Melhor Série – Drama o primeiro nome poderoso que salta à memória é Orange is the New Black. Retirada injustamente da categoria de comédia, Orange agora sofre entre os dramas. Não porque a série não tenha capacidade ou não seja melhor que muitos dos indicados, mas porque a Academia tem seus favoritos. Uzo Aduba e sua “Crazy Eyes” já podem ter vencido a premiação, mas mesmo assim não tira o mérito e a necessidade de sua presença dentre as indicadas entre Melhor Atriz Coadjuvante.

Entra ano e sai ano e os votantes seguem indicando Downton Abbey e Homeland, mesmo que a qualidade destas já tenha se esvaído há muitas temporadas. Pelo menos sabemos que este será o último ano em que veremos a série sobre os aristocratas ingleses do começo do século XX. Outro show que possuía certo prestígio e chances de nomeação é Billions. Melhor produção da Showtime em 2015/16, a série com Paul Giamatti foi preterida, dando espaço a The Americans, drama do FX que há anos chega perto, mas nunca figura na lista final.

 

Emmy Drama falta1O narcotraficante de Wagner Moura, o extravagante mundo de Vinyl e a dupla bilionária da Showtime
foram ausências sentidas em 2016.

De novidade, a única que garantiu uma vaga foi Mr. Robot. Quais outras estreantes poderiam aparecer? Além de Billions, UnREAL era uma boa alternativa. Narcos, Vinyl ou Sense8 também eram escolhas. Nenhuma destas é realmente uma das sete melhores séries do ano, mas todas estão milhas à frente de Downton Abbey, por exemplo. Outras possíveis inclusões ainda são Outlander e, principalmente, Penny Dreadful, ambas relegadas às categorias técnicas.

É na categoria de Melhor Ator – Drama, contudo, que a coisa fica realmente feia. Embora Liev Schreiber e Matthew Rhys sejam excelentes, nenhum merecia tanto quanto Clive Owen (The Knick) e Paul Gimatti (Billions). Além destes, Bobby Cannavele está impecável em Vinyl, série que acabou ficando de fora do Emmy quase que inteiramente. Ao menos os votantes não cometeram o crime de indicar Hugh Bonneville, de Downton Abbey, novamente. Kyle Chandler, embora não merecesse tanto quanto ano passado, ao menos é um ator que sempre agrada e sempre merece indicações, e está representando bem Bloodline, uma das séries da Netflix mais assistidas em 2015 lá fora…

Dentre as atrizes, dois nomes saltam: Eva Green (Penny Dreadful) e Vera Farmiga (Bates Motel) mereciam suas indicações. É verdade, contudo, que a corrida pelas vagas na categoria estava acirrada este ano. Ainda assim, é triste ver Taraji P. Henson ocupando uma vaga que não lhe é merecida, e pior, por uma péssima série. Claire Danes é outra que não precisava voltar. Lizzy Caplan, Caitriona Balfe e Shiri Appleby, três das melhores do ano, ficaram de fora, o que resultou em uma lista burocrática e sem ousadia. Pelos coadjuvantes, é de se lamentar a ausência de Christian Slater de Mr. Robot, vencedor de outros prêmios na categoria. No lugar dele, Peter Dinklage foi indicado por uma temporada na qual pouco apareceu.

 

Emmy Drama falta2Eva Green de Penny Dreadful e Vera Farmiga de Bates Motel foram os nomes mais citados
até agora, dentre as ausência no Emmy. 

 

Quem ri por último…

No lado das comédias, ao menos uma boa notícia: o Emmy desencanou de The Big Bang Theory. Na categoria principal, a falta mais sentida talvez seja Crazy Ex-Girlfriend, série que estava em alta nas apostas. Correndo por fora, algumas ausências marcam, embora já fossem esperadas: Love, Vicious, Those Who Can’t e Broad City são ótimas comédias que nunca tiveram grandes chances, embora merecessem espaço.

Ah, faltou nossa queridinha, Jane the Virgin, que já provou ter peso e força o suficiente para tirar prêmios das mãos de “gente grande”.

E mesmo The Big Bang Theory não estando presente (merecidamente), chega a ser estranho ver uma premiação sem Jim Parsons. Logo, é uma ausência sentida. E se formos para colocar um nome que sentimos falta de outro modo, este nome é Rob Lowe. O protagonista de The Grinder sempre teve potencial para concorrer, mas uma pena que a série não tenha tido força com a Academia.

 

Emmy Comedia falta1Estreantes e veteranos de peso foram esnobados na categoria comédia.

Allison Janney continua imbatível com sua Boonie de Mom, e ela provavelmente ocupou o lugar de alguns nomes como Julie Bowen de Modern FamilyMayim Bialik de The Big Bang Theory. Uma troca que seria seis por meia dúzia.

 

Já em Minissérie ou Filme para TV… American Crime Story está ali apenas para confirmar o que já sabíamos: ela foi uma das melhores coisas na TV nestes últimos tempos. Porém, 11.22.63 poderia ter aparecido para dividir a fatia do bolo.

 

Notas Rápidas…

Vale ressaltar que gostamos dos indicados. Foi um ano bem mais coerente do que outros que a Academia já teve. Mas existem exageros também na lista. Meio desnecessário a indicação de uma lista infinita de nomes do elenco de Game of Thrones. Quando confrontamos com o elenco de The Leftovers, por exemplo, vemos que uma injustiça aqui e ali pode ter rolado. Porém, é inegável que a “A Batalha dos Bastardos” mereça todos os prêmios da face da Terra!

The Good Wife se despediu da TV com um ar “mixuruco”. Christine Baranski seria um ótimo nome para estar na lista de Atrizes Coadjuvantes, e se pensarmos bem, seria um ótimo ano para Julianna Margulies concorrer uma última vez pela sua “boa esposa”.

Uma das categorias mais interessantes é a de Melhor Direção – Drama. Aqui, o Emmy basicamente elege o melhor episódio do ano. Ao lado do prêmio de Melhor Roteiro, esta é uma forma de apontar os melhores momentos das melhores séries. Este ano, Game of Thrones teve duas indicações para Melhor Direção, uma para Jack Bender e o episódio The Door e outra para Miguel Sapochnik e Battle of the Bastards. É inegável que Sapochnik desponta como favorito e merecedor, mas seria interessante se Steven Soderbergh vencesse por The Knick. Quem faltou na festa foi o mestre Martin Scorsese, pela direção do piloto de Vinyl e Mimi Leder, pela season finale de The Leftovers. Esta, aliás, merecia uma menção a Roteiro, que infelizmente não veio.

black-ish foi reconhecida, ok. Mas e Laurence Fishburne? Pareceu que a Academia nem viu que ele estava na série!

 

E para vocês? Quais foram os grandes injustiçados dentre os indicados ao Emmy 2016. Sentiu falta de alguém?

 

Texto por Anderson Narciso e Matheus Pereira.

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

No comments

Add yours