Mix Audiência, Audiência, American Idol, Leaving Neverland, The Bachelor, For The People

Audiência – Análise de 02/02 a 08/02: American Idol, Leaving Neverland, The Bachelor e muito mais

Mix Audiência, Audiência, American Idol, Leaving Neverland, The Bachelor, For The People

Imagem: ABC/Divulgação (03); HBO/Divulgação

Pela primeira vez em muito tempo, nossa coluna de audiência volta ao normal. Como sabemos, o ano produtivo no Brasil começa nesta segunda-feira (11). Por isso que posso dizer que estamos prontos para encarar 2019 com força total a partir de agora. Dito isso, temos muita coisa para analisar.

O retorno de American Idol na ABC, será que rendeu? Ou será que a esperada queda é perfeitamente normal? Além disso, a atual temporada de The Bachelor mostra-se um sucesso em todos os sentidos. Sem contar com a estreia bombástica do polêmico Leaving Neverland nos Estados Unidos e no Reino Unido.

Se você acha que é muita coisa, é porque ainda nem viu o que preparamos. Então conto com a sua companhia, assim como seu comentário. Afinal de contas, é a única forma de continuarmos melhorando sempre.

ABC

Imagem: ABC/Divulgação

A noite de domingo começou com America’s Funniest Home Videos subindo 0.3 no demo para ótimos 1.1. Mais tarde (a análise do American Idol você lê abaixo), Shark Tank registrou 0.9, uma queda dos 1.1/1.0 registrados há duas semanas. No dia seguinte, The Bachelor subiu 0.2 para uma Season High de 2.0, mostrando que a temporada realmente empolgou.

Mais tarde, The Good Doctor ficou estável com 1.1 no demo. Um episódio especial de The Bachelor, que trouxe a tradicional Women Tell All, que de acordo com o The Washington Post é mais uma audição para The Bachelorette, registrou bons 1.6 no demo. Tamanho lead-in ajudou The Rookie a marcar sua melhor audiência desde outubro com 0.8 no demo.

Um episódio especial do American Idol na quarta-feira fez bons 1.5 no demo, uma queda de 0.2 daquilo que o programa fez no seu retorno. Mais tarde, Whiskey Cavalier recebeu aquela ajuda e oscilou positivamente 0.2 para 0.9 no demo. No dia seguinte, Grey’s Anatomy perdeu fôlego do episódio especial e caiu 0.1 para 1.5. Em seguida, Station 19 despencou 0.3 no seu retorno para modestos 0.9.

Já às 22h, a esperada volta de For The People fez sofridos 0.5 no seu demográfico alvo. É uma queda de 0.1 do que How To Get Away with Murder entregou na sua Season Finale. Tal audiência fica abaixo da média de HTGAWM (0.67), assim como do primeiro ano do drama (0.63). Na sexta-feira (08), tudo estável com Fresh Off the Boat (0.6) e Speechless (0.4), mas 20/20 oscilou 0.1 para 0.6.

NBC

Imagem: NBC/Divulgação

No sábado (02), o Saturday Night Live fez a segunda melhor audiência da temporada. Com apresentação de John Mulaney, foram 1.9 no demográfico alvo. No domingo (03), a estreia de duas horas de World of Dance fez 1.0 no demográfico alvo. Tais números representam uma queda de 0.4 em relação ao que a série fez na sua última exibição de quarta-feira.

Em seguida, Good Girls afundou de vez ao retornar para o segundo ano com medonhos 0.7, uma queda expressiva de 0.8 em comparação com sua Series Premiere. É importante lembrar, contudo, que a Universal Studios tem um acordo delicioso com a Netflix ao redor do globo.

Já na segunda-feira (04), o The Voice perdeu 0.1 para 2.0. O reality show curiosamente venceu The Bachelor nos décimos (2.06 contra 2.04). Enquanto a novata The Enemy Within despencou 0.3 em comparação com sua estreia para 0.9 no demo. The Voice caiu 0.1 em relação há semana passada para 1.9, enquanto This Is Us caiu 0.1 para 1.7. Já New Amsterdam ficou estável com 1.0 no demo.

Retornando de uma folga desde 13 de dezembro, Superstore subiu 0.1 para 0.8. Em seguida, a Season Premiere de A.P. Bio trouxe números frustrantes de 0.5. O curioso é que a comédia atrapalhou todo o bloco seguinte, com Brooklyn Nine-Nine perdendo 0.1 para 0.6 e Will & Grace estável com 0.7.

Na noite seguinte, a emissora trouxe uma programação estável: Blindspot (0.5), The Blacklist (0.5) e Dateline (0.6).

FOX

Imagem: FOX/Divulgação

Retornando de uma breve folga do Oscar, The Simpons caiu 0.1 em relação há semana passada para 0.8. Bob’s Burgers repetiu os números magros, assim como Family Guy. Na segunda-feira (04), The Resident ficou estável em 0.9, mesmo movimento de The Passage com 0.8.

Season Finale de duas horas de duração de 24 Hours To Hell & Back perdeu 0.3 do episódio exibido há duas semanas, marcando 0.8. Na quinta-feira (07), Gotham segurou-se em 0.6 no demo, enquanto The Orville caiu 0.2 para 0.6.

Amargando um segundo lugar no horário das 20h pela primeira vez nesta temporada, Last Man Standing ficou estável com ainda ótimos 1.0 no demo. Em seguida, The Cool Kids manteve os 0.7 da semana anterior, enquanto Proven Innocent segue piorando com uma queda para 0.4 no demo.

CBS

Imagem: CBS/Divulgação

No domingo (03), 60 Minutes subiu 0.1 para 1.0 no demográfico alvo. Em seguida, tudo retornou com uma subida e dando um necessário suspiro. God Friended Me pulou 0.1 para 0.7, enquanto NCIS: Los Angeles também subiu 0.2 para 0.9, assim como Madam Secretary que registrou 0.6. Infelizmente, a segunda-feira (04) trouxe apenas problemas para o canal. Man with a Plan perdeu 0.3 para 0.7, enquanto Magnum P.I. despencou 0.2 para uma Series Low de 0.6.

Na quarta-feira, um estável Survivor empatou com American Idol com 1.5 no demográfico alvo. Em seguida, The World’s Best subiu 0.2 para ainda medonbos 0.6. Na quinta-feira (07), The Big Bang Theory caiu 0.2 para 2.1, enquanto Young Sheldon ficou estável com 1.7. Na hora seguinte, Mom caiu 0.1 para 1.2, enquanto FAM subiu 0.1 para 0.9. Por fim, S.W.A.T. ficou estável com seu resultado de duas semanas atrás com 0.9.

Na sexta-feira (08), a emissora transformou limões numa limonada bem doce. Após trechos da entrevista entre Gayle King e R. Kelly explodirem no início da semana, a CBS transformou a exclusiva num especial de horário nobre. Produzido pela CBS News, a atração registrou um demo de 1.2, que não só venceram o horário e a noite, como também entregaram os melhores números da emissora numa noite de sexta da temporada.

Além disso, 6.6 milhões de pessoas assistiram a conversa. Em seguida, Hawaii Five-0 tanto Blue Bloods marcaram 0.9 no demo, os melhores números da série desde 11 de janeiro e 07 de dezembro, respectivamente.

CW

Imagem: CW/Divulgação

Após uma semana de folga, tanto Supergirl (0.4) quanto Charmed (0.3) subiram 0.1 em comparação com a sua semana anterior. Em seguida, Arrow caiu para uma Series Low de 0.2, mesmo número de Black Lightning com 0.2. Na terça-feira (06), The Flash foi exibido pela primeira vez em três semanas com estáveis 0.6 no demo.

Roswell, New Mexico subiu 0.1 e registrou ainda modestos 0.3 no demográfico alvo. A morte de Luke Perry não afetou os números de Riverdale, que permaneceram estáveis em 0.3. Mesmo de All American com 0.2. Supernatural voltou de uma folga de um mês com uma queda de 0.1 para 0.4 no demo. Em seguida, Legacies também caiu 0.1 para uma Series Low de 0.2.

Nasce um escândalo (e um sucesso)

Leaving Neverland

Imagem: HBO/Divulgação

A estreia do polêmico documentário Leaving Neverland na HBO foi muito bem. De acordo com a Nielsen, 1.3 milhão de pessoas assistiram a primeira parte do programa, se tornando o terceiro documentário mais assistido do canal em uma década. No dia seguinte (04), 927 mil telespectadores conferiram a segunda (e última) parte da atração. Ele ficou atrás de Going Clear (1.7 milhão) e Bright Lights: Starring Carrie Fisher and Debbie Reynolds (1.6 milhão).

Contudo, o estouro não foi apenas nos Estados Unidos. Exibido no Reino Unido na última quarta-feira (06) pelo Channel 4, o longa impressionou. A primeira parte registrou uma média de 2.1 milhões de telespectadores entre às 21h e 22h50, pelo horário local. Vale lembrar ainda que as estreias internacionais continuarão durante todo o semestre. Na próxima semana será a vez do Brasil, assim como na Franca no dia 21 de março.

Destaques da TV a Cabo

Canais a Cabo

Imagem: Divulgação (06)

No sábado (02), Say Yes To The Dress subiu para 0.17. Já o domingo (03), trouxe The Walking Dead registrando números estáveis. O drama subiu 0.02 para 1.73. Enquanto isso na Showtime, Shameless pulou 0.17 para 0.41 depois de sofrer contro o Oscar na semana anterior. Em seguida, Black Monday cresceu 0.02 para 0.08, números similares com os de SMILF (0.07).

Já na TNT, a final de I Am The Night subiu 0.02 para 0.29. Na terça-feira (05), Temptation Island caiu 0.06 para 0.34, assim como Miracle Workers que perdeu fôlego com uma queda de 0.02 para 0.27. Good Trouble, para Freeform, também experimentou uma queda de 0.02 para 0.15.

Na quarta-feira (06), The Magicians subiu para 0.18, enquanto Deadly Class também pulou para 0.10. A Season Finale de Drop The Mic caiu para 0.02 para 0.15. Já You’re The Worst impressionou e quase dobrou de uma semana para outra ao saltar de 0.05 para 0.09 no demo.

Notas do Acúmulo:

Univísion: o canal em espanhol surpreendeu no mês de fevereiro. Apesar de todo o problema que sua controladora passa corporativamente, a emissora venceu os principais canais em inglês (ABC, CBS, NBC e FOX) em mercados estratégicos. A afiliada de Los Angeles foi a mais assistida, assim como a de maior audiência em 18-34 anos; 18-49 anos e 25-54 anos. Já as emissoras de Dallas e Houston ficaram em primeiro durante todo o dia, 18-49 anos e 18-34 anos

The Late Show: a presidência de Donald Trump se tornou uma verdadeira dádiva para a comédia. Mais ainda quando o comediante é um tanto crítico do presidente, como é o caso de Stephen Colbert. Tal estratégia lhe recompensou na audiência, tanto que pela primeira vez desde a estreia em 2015, ele ficou à frente na corrida. Foram 0.54 no demo alvo para o apresentador da CBS, enquanto Jimmy Fallon (do The Tonight Show) registrou 0.53 até a última sexta-feira (1º).

Good Morning America: na semana que começou em 25 de fevereiro, o matinal da ABC registrou a maior audiência sobre o Today Show em quatro meses. De uma semana para outra, o programa cresceu no total de telespectadores (+4%), adultos de 25 a 54 anos (+9%) e adultos de 18 a 49 anos (+9%).

Internacionais

Imagem: Divulgação (06)

No sábado (02), o The Voice França registrou grandiosos 5.05 milhões de telespectadores, uma subida dos 4.97 milhões da semana passada. Em questões de participação, o programa fez um share de 26%. De acordo com a Médiamétrie, que mede a audiência no país, 33% da audiência conquistada pela atração era composta de mulheres acima dos 50 anos.

Já no Reino Unido, a segunda rodada de batalhas no The Voice UK atraiu apenas 04 milhões de telespectadores, uma Season Low ao perder 400 mil pessoas em relação há semana passada. No domingo (03), Verdades Secretas perdeu para o filme Fora de Alcance (também da Telefe), registrando 5.4 pontos. Já no Chile, a nova temporada do MasterChef Chile estreou em terceiro lugar com 13.3 pontos. A pior estreia em quatro anos de reality.

Na Espanha, a competição pelo primeiro lugar da audiência esquentou na noite de segunda-feira (04). Mantendo sua invencibilidade desde a estreia, o The Voice Espanha venceu a noite ao ser assistido por 2.37 milhões de pessoas e atrair um share de 17.4%. Contudo, a vitória do reality show sobre o segundo colocado foi a menor até agora. O vice campeão? Outro grande título, o Spain’s Got Talent (2.30 milhões; 16.9% de share).

Uns amam, outros nem tanto

The Good Doctor parece começar a empolgar na Austrália, mas longe de ser um sucesso. O drama foi assistido por 563 mil pessoas, um acréscimo de 20 telespectadores em relação há semana passada. Já na terça-feira (05), o The Voice Bélgica apresentou uma forte queda em relação há semana passada.

Foram 399 mil telespectadores em 25 de fevereiro, enquanto desta vez foram apenas 297 mil. Na Alemanha, o oitavo episódio da 16ª temporada de NCIS continua mostrando a força da série no país. Foram ótimos 2.16 milhões de telespectadores, um resultado que poucos importados americanos atingem.

Na quarta-feira (06), o Top Chef França perdeu público. O reality show registrou 2.61 milhões de telespectadores, uma queda de 20 mil pessoas em relação há semana passada. O programa ainda ficou no terceiro lugar geral de audiência. Na Austrália, os números de New Amsterdam continuaram praticamente estáveis de uma semana para outra. Ainda na quarta, Bake Off Espanha não começou bem. Foram apenas um milhão de pessoas e um share de 8%.

Análise Especial da Semana: American Idol

American Idol (Season 17 - Logo)

Imagem: ABC/Divulgação

Analisando os números do retorno de American Idol friamente é possível afirmar que: as coisas não soam bem. Contudo, argumentarei na análise a seguir que há várias formas de analisar os dados da Season Premiere. Eles representam uma queda forte da Season Premiere de 2018, haja vista que foram perdidos 0.6 dos bons 2.3 no demo (uma queda 26%) da estreia. É importante ressaltar, contudo, que eles representam um crescimento de 0.1 do que foi feito na Season Finale do ano anterior.

Em comparação com outros reality shows que retornaram neste ano, a oscilação do programa da ABC é perfeitamente normal e está dentro dos parâmetros atuais. Survivor retornou perdendo 5.2%; The Voice despencou 10%; Shark Tank descongelou grandiosos 53%; Americas Got Talent perdeu 44%; Celebrity Big Brother caiu 23% e Dancing with the Stars apresentou uma forte queda de 38%. Apenas The Bachelor (-1%) e Hell’s Kitchen (+2%).

O que não se pode ignorar sobre American Idol é que o programa, assim como o The Voice, tem um grande apelo do miolo dos Estados Unidos. Onde parte curte música country, são conservadores e enfrentam dificuldades para pagar as contas no final do mês. Resumindo? Aquele americano que a televisão esqueceu. Fazendo com que esses 1.7, por menores que possam parecer, tenham um valor comercial enorme justamente por esse apelo.

Lethal Weapon ou Station 19 não conquistam esses lugares, mas tanto o American Idol quanto o The Voice sem dúvida.

Audiência dos Últimos Season Premieres:

17ª temporada (2019): 1.7 no demográfico alvo (18-49 anos) / 7.79 milhões de telespectadores

16ª temporada (2018): 2.3 no demográfico alvo (18-49 anos) / 10.48 milhões de telespectadores

15ª temporada (2016): 3.0 no demográfico alvo (18-49 anos) / 10.96 milhões de telespectadores

14ª temporada (2015): 3.1 no demográfico alvo (18-49 anos) / 11.19 milhões de telespectadores

13ª temporada (2014): 4.6 no demográfico alvo (18-49 anos) / 15.18 milhões de telespectadores

Share this post

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.