Audiência – Análise de 05/01 a 11/01: Globo de Ouro, The Bachelor, Schooled e muito mais

Audiência, Análise da Audiência, Números, Globo de Ouro, Schooled, The Bachelor
Audiência, Análise da Audiência, Números, Globo de Ouro, Schooled, The Bachelor

Imagem: History Channel/Divulgação; ABC/Divulgação (02); Paul Drinkwater/NBC

A primeira semana completa de 2019 trouxe algumas surpresas, como já era de se esperar, assim como certas decepções. A boa notícia, contudo, é a audiência do Globo de Ouro que surpreendentemente subiu em relação há 2018. Outro destaque é a estreia estável de The Bachelor, que perdeu seu horário para a estreia de America’s Got Talent: The Champions. O retorno de Brooklyn Nine-Nine na NBC foi sensacional, mas o lançamento de Fam foi esquecível. Será que ainda dá tempo de trazer Murphy Brown de volta?

Muita coisa? Então aproxime-se que temos muito mais para vocês

Continua após a publicidade

ABC

Imagem: ABC/Divulgação

Para combater o Globo de Ouro na NBC, a ABC exibiu reprises no domingo (06), mas com um original: o midseason premiere de Shark Tank que fez 0.9 no demo, uma subida de 0.2 em relação ao último episódio de 2018. Na segunda-feira (07), The Bachelor retornou com uma exaustiva Season Premiere de três horas de duração com 1.5 no demo, uma ligeira subida de 1.4 em relação aos resultados de janeiro de 2018.

É verdade que o reality show perdeu para The Champions na NBC, mas lembro ao leitor que isso não importa muito. Não está claro se a competição vai manter seus 1.8 na próxima semana, uma vez que é novidade, enquanto a ABC, que traz um programa com 17 anos, traz uma pequena alta em tempos sombrios para audiência.

Na terça-feira (08), The Conners voltou com estáveis 1.4; The Kids Are Alright ganhou 0.1 para 1.0, enquanto black-ish ficou estável com 0.8. Mais tarde, Splitting Up Together ficou estável el 0.7 e The Rookie caiu 0.2 para 0.6. No dia seguinte, The Goldbergs retornou subindo 0.2 para 1.3, mesmos números registrados pela estreia de Schooled. Em seguida, Modern Family repetiu 1.3, enquanto Single Parents caiu 0.1 para 0.8.

Já na sexta-feira, Fresh Off The Boat (0.7) e Speechless (0.5) ficaram estáveis em relação há semana passada.

NBC

Imagem: NBC/Divulgação

Na segunda-feira (07) tivemos a estreia tão aguardada de America’s Got Talent: The Champions. O novo programa fez bons 1.8 no demo, uma queda de 0.5 em relação aos 2.3 que a “atração mãe” fez quando estreou em 2018. Essa é a mesma audiência que The Titan Games fez na semana passada, mostrando que o gênero está longe do desgaste. Em seguida, Manifest retornou com estáveis 1.1 no demo. Ellen’s Game of Games retornou com um 1.6 no demo, abaixo da média de 2.0 da primeira temporada. Em seguida, New Amsterdam retornou das férias com uma queda de 0.1 para 1.0.

Retornando das férias, o bloco da franquia Chicago foi bem. Chicago Med subiu 0.1 para 1.3, enquanto Chicago Fire ficou estável em 1.2. Contudo, Chicago P.D. caiu 0.1 para 1.0. No dia seguinte, The Titan Games segurou bem ao cair “apenas” 0.2 para 1.6. Em seguida, Brooklyn Nine-Nine foi super bem na NBC. A comédia fez 1.2, uma subida de 0.4 do Season Finale da FOX. The Good Place também subiu, desta vez 0.1 para 0.9.

Por fim, retornando de férias, Law & Order: SVU subiu 0.1 para 0.8. Além disso, na sexta-feira, Blindspot subiu 0.1 para 0.6, mesmos números de The Blacklist, que parece ter estabilizado.

FOX

Imagem: FOX/Divulgação

Retornando das férias de final de ano, toda programação despencou em relação há 09 de dezembro: The Simpsons (0.9), Bob’s Burgers (0.9); Family Guy (1.0) e REL (0.5). A explicação? Estavam sem a ajudinha da NFL. Na terça-feira (08), Lethal Weapon ficou estável com 0.7, enquanto The Gifted subiu 0.1 para 0.6.

Na quarta-feira, 24 Hours To Hell & Back perdeu 0.1 para 1.1. Em seguida, The Masked Singer despencou. O reality show caiu 0.7 para 2.3, que mesmo assim, são números bastante sólidos. Na quinta-feira, Gotham segurou em 0.7, enquanto The Orville subiu 0.1 para 0.7. Já na sexta-feira, Last Man Standing subiu 0.2 para excelentes 1.2, mesma oscilação de The Cool Kids (1.0). Por fim, Hell’s Kitchen ganhou 0.1 para 0.8.

CBS

Imagem: CBS/Divulgação

No sábado (05), 48 Hours registrou 0.4 no demo, mesmos números da semana. Já no domingo (06), o 60 Minutes ficou com 0.8, uma queda dos 1.5 que a revista eletrônica registrou pela última vez em 2018. O resultado modesto veio mesmo com a enorme divulgação das entrevistas da deputada sensação Alexandria Ocasio-Cortez e do “presidente” do Egito, Abdul Fatah Khalil Al-Sisi. Em seguida, God Friended Me caiu 0.2 para 0.9, enquanto NCIS: Los Angeles ficou estável em relação há última exibição com 0.9. Por fim, Madam Secretary ficou estável com 0.6 no demo.

Na segunda-feira (07), o único original da emissora, Happy Together, fez estáveis 0.8 mesmo rodeado de reprises. Na CBS, NCIS retornou da folga com uma queda de 0.1 para 1.2. Na quarta-feira, SEAL Team ficou estável em 0.8, assim como Criminal Minds ganhou 0.1 para 0.8. Na quinta-feira, tudo voltou. The Big Bang Theory Young Sheldon subiram 0.3 para 2.4/1.9, respectivamente. Mom subiu 0.2 para 1.4. Contudo, a estreia de Fam foi muito mais morna com 1.2.

Por fim, S.W.A.T. ganhou 0.2 para 0.9. Enquanto na sexta-feira, MacGyver (0.8) e Hawaii Five-0 (0.9) subiram 0.1. Já Blue Bloods subiu para 0.8.

CW

Imagem: CW/Divulgação

O único original da semana da emissora, Crazy Ex-Girlfriend retornou com estáveis 0.1.

Declaração presidencial

Presidente Trump

Imagem:Carlos Barria/AP

Sinceramente, pensei que os destaques dessa semana seriam os novos reality shows e o Globo de Ouro. Já estava tudo preparado quando Donald Trump anunciou que falaria com a nação na terça-feira (08) e atrapalharia tudo. Por isso, os canais concordaram em exibir tanto o presidente, quanto a resposta do partido Democrata. Trump falou por quase dez minutos a partir das 21h (horário local; 00h de Brasília), enquanto Pelosi e Schumer seguiram logo em seguida e falaram por cinco minutos.

A última vez que o chefe do executivo fez um pronunciamento à nação foi em 13 de abril de 2018, quando anunciou bombardeios na Síria. Como a transmissão foi feita na sexta-feira, pode-se afirmar que a audiência foi significamente mais baixa em comparação com a fala da última terça-feira. Mesmo assim foram pouco mais de quarenta milhões de pessoas que assistiram ao pronunciamento e a resposta.

Democratic Response

Imagem: AP Photo/Alex Brandon

A CBS foi quem teve a maior audiência (8.09 milhões de pessoas), seguida da Fox News (8.04 milhões); NBC (7.4 milhões); ABC (5.8 milhões); MSNBC (4.24 milhões); CNN (3.57 milhões) e a FOX (2.94 milhões). Já no demográfico (25 a 54 anos) que interessa os canais de notícias, a NBC liderou com 2.75, seguida da Fox News (1.87); ABC (1.79); CBS (1.71); CNN (1.39), FOX (1.3) e MSNBC (0.81).

Para àqueles que estão pensando na óbvia pergunta – quem teve a audiência maior – saibam que foram os democratas. Pelosi e Schumer atraíram uma audiência 4% maior do que Donald Trump.

Destaques da TV a Cabo

Canais a Cabo

Imagem: Divulgação (06)

No sábado (05), o Season Premiere de Say Yes To The Dress registrou modestos 0.17 para a TLC, sendo assistido por 852 mil pessoas. O domingo (06) foi, novamente, dominado pelo Bravo. A noite começou com The Real Housewifes of Atlanta pulando 0.16 para 0.83, ajudando Dirty John a subir 0.04 para ótimos 0.43 no demo.

Outlander cresceu 0.05 para 0.19, enquanto Couterpart ficou estável com 0.04 para o Starz. Na Showtime, Ray Donovan subiu 0.05 para 0.18. Por fim, e mostrando uma certa irrelevância, a cobertura do Tapete Vermelho do Globo de Ouro no E! registrou modestos 0.38 no demográfico alvo.

Um dos grandes eventos da televisão americana foi exibido na segunda-feira (07). O que? A final da temporada do College Football (ou Futebol Universitário) que trouxe, mais uma vez, Alabama contra Clemson. De acordo com a Nielsen e a ESPN, 24.32 milhões de pessoas assistiram ao jogo. Esse número é consideravelmente maior do que a final de 2017, que contou com os dois times, assim como já está no Top 10 das maiores audiências da história da TV a Cabo.

Na terça-feira (08), a estreia de Project Blue Book estreou com ótimos 0.43 no demo. Comparando com outras séries roteirizadas do History Channel, a série ficaria atrás apenas de Vikings (0.47). No OWN, The Haves and Have Nots retronou com outros deliciosos 0.42 no demo. Enquanto a estreia de Good Trouble fez modestos 0.20, uma queda de 0.07 em relação a Series Finale de The Fosters.

Na Freeform, grown-ish fez 0.16, uma queda notável da estreia de 0.26 da semana passada. Contudo, a última temporada de You’re The Worst começou com 0.08.

Notas do Acúmulo:

The Masked Singer: a estreia do reality show foi realmente um arrasa quarteirão e os números do L+3 comprovam. De 31 de dezembro à 02 de janeiro, o reality show registrou gigantescos 3.9 no demográfico alvo e foi assistido por 12.3 milhões de telespectadores. De acordo com a Nielsen, esse é o maior crescimento de uma estreia não roteirizada sem sete anos. Já em questões de demo, foi uma alta de 0.9, enquanto do total de telespectadores vimos um crescimento de 2.9 milhões de pessoas.

Surviving R. Kelly: através de todas as exibições lineares da nova série documental da Lifetime, 18.8 milhões de pessoas já assistiram aos depoimentos de diversas mulheres sobre os abusos feitos por R. Kelly. O que isso quer dizer? O programa já foi visto por um número enorme de pessoas apenas pela televisão, onde a audiência digital ainda não foi contada.

The Orville: na medição do L+7 de 24 à 31 de dezembro, a série foi o programa de entretenimento mais assistido. A comédia cresceu para 2.3 no demográfico alvo, um crescimento de 0.8 em relação há estreia. Através de todas as plataformas da FOX, o Season Premiere da segunda temporada foi assistido por 9.2 milhões de pessoas.

Internacionais

Imagem: Divulgação (06)

A televisão alemã trouxe a grande final da primeira temporada do The Voice Senior na sexta-feira (04), onde foi assistida por fracos 2.20 milhões de telespectadores. A média geral foi de 2.44 milhões de pessoas, um número modesto. Mas sólido quando levamos em conta que o reality show ajudou a Sat.1 a atravessar o pior período do ano para audiência.

No sábado (05), tivemos uma competição interessante no Reino Unido. A estreia da nova temporada do The Voice UK (5.3 milhões de telespectadores) venceu o lançamento de The Greatest Dancer (4.7 milhões de pessoas). Contudo, é importante lembrar que mesmo vencendo a novidade da BBC One, a atração da ITV teve sua estreia menos assistida até agora.

Nós ainda damos um caldo

Na segunda-feira (07), a quarta temporada do The Great French Bake Off (ou Le Meilleur Pâtissier) estreou na Bélgica, uma vez que eles compartilham o mesmo mercado de televisão da França, foi mediano. Com duas horas de duração, o reality show perdeu para exibição do filme Jason Bourne na La Une por dois mil telespectadores.

Longe dali, estrava na Espanha a nova temporada do The Voice Spain (ou Loz Voz España) Diferentemente da tendência ao redor do mundo, o programa estreou de forma impressionante e fazendo muito barulho. Foi o melhor lançamento do programa desde seu lançamento em 2012. Foram quatro milhões de telespectadores, além de 25% de share. De acordo com a Vertele!, esse é o resultado de uma intensa campanha de divulgação por parte da Antena 3.

Na França, a estreia de S.W.A.T. foi um espetáculo, mostrando que as audiências ainda gostam de um tradicional procedural. Exibido pela TF1 na terça (08), o drama estrelado por Shemar Moore foi assistido por 4.98 milhões de pessoas, atraindo uma média de 21.8% de share. A estreia do The Voice Belgium, na Bélgica, estreou com 422 mil telespectadores, a quarta maior da noite.

Análise Especial da Semana: Globo de Ouro 2019

Globo de Ouro 2019

Imagem: NBC/Divulgação

É sabido, seja através das nossas análises anteriores ou do sentimento geral da indústria, que premiações vem encontrando dificuldades em continuarem relevantes e atrair audiência. Em 2018, vale lembrar, apenas o Tony Awards venceu essa tendência ao crescer no total de telespectadores. Sendo assim, era com enorme expectativa que se esperava a primeira entrega de prêmios do ano para saber o humor dos telespectadores.

Foram 5.2 no demográfico alvo, uma subida de 0.2 em relação há 2018. O total de telespectadores, contudo, apresentou uma pequena queda ao oscilar dos 19 milhões de pessoas para 18.6 milhões neste ano. É importante ressaltar que a edição de 2019 contou com um lead in espetacular. O Wild Card da NFL, que trouxe um jogo eletrizante entre o Philadelphia Eagles e o Chicago Bears, fez 11.2 no demo.

Outro ponto importante que pode ter ajudado a premiação a respirar fundo foi uma proposta mais leve para cerimônia. Embora tenha trazido polêmicas acerca dos seus apresentadores (uns odiaram e outros gostaram), a transmissão foi leve politicamente falando. Donald Trump passou despercebido, assim como não teve a característica ativista como em 2018.

Além disso, é importante ressaltar ainda um terceiro fator. Talvez o mais importante. Dentre os indicados, tínhamos os filmes mais populares do ano. Pantera Negra (arrecadação doméstica de 700 milhões de dólares); Bohemian Rhapsody (194 milhões de dólares); Podres de Ricos (174 milhões de dólares); Nasce Uma Estrela (202 milhões de dólares) e O Retorno de Mary Poppins (140 milhões de dólares até esta data). Ou seja? Filmes populares.

Três situações jogaram a favor da premiação: ajuda do futebol mais cedo, clima politicamente leve e filmes populares indicados.

Audiência das Cinco Edições Anteriores do Globo de Ouro

76th Golden Globe Awards (2019) – 5.2 no demográfico alvo (18-49 anos); 18.6 milhões de telespectadores

75th Golden Globe Awards (2018) – 5.0 no demográfico alvo (18-49 anos); 19 milhões de telespectadores

74th Golden Globe Awards (2017) – 5.6 no demográfico alvo (18-49 anos); 20.2 milhões de telespectadores

73th Golden Globe Awards (2016) – 5.5 no demográfico alvo (18-49 anos); 18.5 milhões de telespectadores

72th Golden Globe Awards (2015) – 5.8 no demográfico alvo (18-49 anos); 19.3 milhões de telespectadores

71th Golden Globe Awards (2014) – 6.5 no demográfico alvo (18-49 anos); 20.9 milhões de telespectadores

O que veremos na próxima semana: a CW volta com sua programação normal e estreia Roswell, New Mexico; grande (e aguardado) retorno de This Is Us; o relançamento de Temptation Island na USA Network; a cobertura do voto do Brexit no Reino Unido e muito mais.

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours