Audiência – Análise de 02/02 a 08/02: Super Bowl, The World’s Best, State of the Union e muito mais

Análise de Audiência, Audiência, Análise, Super Bowl LIII, The World's Best, State of The Union
Análise de Audiência, Audiência, Análise, Super Bowl LIII, The World's Best, State of The Union

Imagem: Boston Globe/Divulgação; Doug Mills/Reuters; CBS/Divulgação

Ufa! Que semana cheia, queridos leitores. Tivemos o aguardado Super Bowl, assim como a estreia de um novo reality show logo após. Seguindo a semana foi a vez de Donald Trump declarar que a “América é forte”, apesar dos problemas. Contudo, o que está forte mesmo é a programação de quarta-feira da NBC.

Chicago Med registrou uma nova alta, evidenciando o quão boa foi a estratégia da emissora em muda-la de horário. Por fim, mas não menos importante, o sucesso de Germany’s Next Top Model na Alemanha. Então te convido para ler mais uma semana de análises, números, altos e baixos.

ABC

Imagem: ABC/Divulgação

A emissora começou a semana no sábado (02) com o jogo entre o LA Lakers e o Golden State Warriors, um clássico local, conquistando 1.3 no demo. Além de um público total de 4.08 milhões de pessoas. Na segunda-feira (04), The Bachelor ficou estável na sua Season High de 1.8, mas The Good Doctor não segurou e caiu 0.1 para 1.0.

Estreando em novo horário na terça (05), American Housewife caiu 0.2 do seu original mais recentes para 0.8 no demo. The Kids Are Alright caiu 0.1 para 0.7, o que pode ser explicado pelo seu lead in significamente menor. Na quinta-feira (07), Grey’s Anatomy caiu 0.2 para 1.5 no demo, mesmo movimento feito por A Million Little Things que perdeu 0.1 para 1.0. Embora How To Get Away with Murder tenha ficado estável com 0.6.

Encerrando a semana, a emissora deu uma folga para suas comédias, exibindo um especial de dia dos namorados, Be My Valentine, Charlie Brown, que fez 0.6 no demo. Em seguida, 20/20 subiu 0.1 para 0.8 em relação há semana anterior.

NBC

Imagem: NBC/Divulgação

Na segunda-feira (04), America’s Got Talent: The Champions caiu 0.2 para 1.6 no demo, puxando Manifest para baixo com um Series Low de 0.9. No dia seguinte, Ellen’s Game of Games perdeu 0.2 para ainda sólidos 1.4. Mostrando o quão boa foi a ideia de construir uma grade totalmente dedicada a franquia Chicago, as três séries registraram altas: Chicago Med (1.4), Chicago Fire (1.3) e Chicago P.D. (1.2).

Na quinta-feira, The Titan Games caiu 0.1 para 1.0, perdendo toda força demonstrada na sua Series Premiere. Contudo, as comédias mostraram certa força com Brooklyn Nine-Nine ganhando 0.1 para 0.9, assim como Will & Grace estável com 0.8 no demo. Fechando a noite, Law & Order: SVU caiu 0.1 para 0.8 no demo.

Encerrando a semana na sexta-feira (08), tanto Blindspot quanto Dateline ficaram estáveis com 0.5. The Blacklist, contudo, foi a única a subir de 0.5 para 0.6.

FOX

Imagem: FOX/Divulgação

Na segunda-feira (04), The Resident se recuperou e subiu 0.1 para 1.0. Já The Passage continuou estagnado nos seus 0.9 da semana anterior. Na quarta-feira, 24 Hours To Hell & Back caiu 0.1 para 1.1, movimento acompanhado por The Masked Singer que despencou 0.4 para ainda sensacionais 2.2 no demo. Encerrando a semana, Hell’s Kitchen fez sólidos 0.8 no demo na sua Season Finale, mesmos números das últimas duas semanas.

CBS

Imagem: CBS/Divulgação

The Neighborhood retornou de uma pausa para uma Series High de 1.4 no demo. Enquanto isso, a Season Premiere de Man with a Plan fez 1.1, uma subida de 0.1 em relação há última Season Finale. O Big Brother Celebrity registrou 1.1 no demo. Enquanto Bull ficou estável em 0.8.

Na quarta-feira, a estreia de The World’s Best no seu horário regular fez modestos 1.0 no demo, uma queda de 0.2 em comparação com o que Big Brother Celebrity fez na semana anterior. Curiosamente, o reality show também apresentou uma queda muito maior no seu episódio pós-Super Bowl do que This Is Us em 2018. Foram 71% do drama em comparação com 85% do programa de talentos.

Além disso, a Season Finale de Criminal Minds fez 0.8 no demo. Na quinta-feira (07) foi um grande dia para as comédias com The Big Bang Theory (2.6) e Young Sheldon (2.0) subindo 0.2. Em seguida, Big Brother Celebrity fez 1.1 no demo. Mais tarde, SWAT caiu 0.1 para 0.8. Na sexta-feira (08), Big Brother Celebrity fez 1.0, enquanto às 22h, Blue Bloods caiu para 0.7.

CW

Imagem: CW/Divulgação

Na segunda-feira (04), tanto Arrow (0.4) quanto Black LIghtning (0.3) ficaram estáveis, assim como no dia seguinte com The Flash (0.7) e Roswell New Mexico (0.3). No dia seguinte, Riverdale continua perdendo força e desta vez caiu 0.1 para 0.3. Em seguida, All American continuou estacionada nos seus 0.2.

Na quinta-feira, as já renovadas Supernatural (0.5) e Legacies (0.4) subiram 0.1 em comparação com a semana anterior. O clube do repeteco da sexta-feira ficou na mesma com Dynasty (0.2) e Crazy Ex-Girlfriend (0.1).

Estado da Desunião

Após o atraso de uma semana, o Presidente Donald Trump finalmente fez seu segundo grande pronunciamento à nação, mais conhecido como Estado da União (ou State of The Union). Embora recebido sem muita expectativa, o discurso era aguardado pois era o primeiro com a oposição no controle da Câmara dos Deputados.

State of the Union

Imagem: Doug Mills/UPI

46.8 milhões de pessoas assistiram a fala do presidente através de todos os doze canais. Tais números representam uma subida  se compararmos com 2018 (45.5 milhões), mas uma queda com 2017 (47.7 milhões). Além disso, a Fox News venceu, pelo segundo ano consecutivo e foi a mais assistida. Já a NBC venceu a briga no que se refere aos canais abertos.

De acordo com uma pesquisa da CNN, essa foi a audiência mais partidária da história das coberturas onde a maioria dos telespectadores era republicana.

Audiência por canal

Fox News:  2.75 no demográfico alvo (25 a 54 anos) / 11.12 milhões de telespectadores
NBC: 2.63 no demográfico alvo (25 a 54 anos) / 7.14 milhões de telespectadores
CBS:  1.92 no demográfico alvo (25 a 54 anos) / 6.67 milhões de telespectadores
ABC:  1.77 no demográfico alvo (25 a 54 anos) / 5.90 milhões de telespectadores
Fox:  1.72 no demográfico alvo (25 a 54 anos) / 4.16 milhões de telespectadores
MSNBC:  0.79 no demográfico alvo (25 a 54 anos) / 3.78 milhões de telespectadores
CNN:  1.21 no demográfico alvo (25 a 54 anos) / 3.44 milhões de telespectadores
Fox Business Newtork:  0.08 no demográfico alvo (25 a 54 anos) / 456 mil telespectadores

Disursos mais assistidos da história

Presidente George W. Bush (2003) – 62 milhões de telespectadores

Presidente Bill Clinton (1998) – 53 milhões de telespectadores

Presidente George W. Bush (2002) – 51.7 milhões de telespectadores

Presidente Obama (2010) – 48 milhões de telespectadores

Presidente Trump (2019) – 46.8 milhões de telespectadores

Presidente Bill Clinton (1994) – 45.8 milhões de telespectadores

Presidente Trump (2018) – 45.6 milhões de telespectadores

Destaques da TV a Cabo

Canais a Cabo

Imagem: Divulgação (06)

No sábado (02), Say Yes To The Dress perdeu 0.02 para 0.18. No dia seguinte, poucos canais tiveram coragem de exibir originais frente ao Super Bowl. Caindo ou subindo em comparação com anos anteriores, o jogo segue como a programação de maior audiência do ano na televisão americana. Contudo, a HBO manteve sua grade, embora tenha disponibilizado-a antes nas suas plataformas digitais.

Sendo assim, True Detective caiu 0.20 para 0.24; Crashing perdeu apenas 0.03, enquanto High Maintenance subiu para 0.09. Ainda na programação alternativa, Counterpart ganhou 0.02 para 0.7, enquanto The Circus perdeu 0.02 para 0.05. Na segunda-feira (04), I Am The Night subiu em relação há semana anterior para 0.25 no demo.

Seguindo, tivemos Project Blue Book caindo 0.06 para 0.25 na terça-feira (05). Enquanto isso, a recém renovada Good Trouble subiu 0.03 para 0.15. Na quarta-feira (06), The Magicians subiu para 0.20, mesmo movimento feito por Deadly Class, que ficou com 0.19 no demo. E ainda, Suits caiu 0.03 para 0.18.

Encerrando os destaques, Top Chef caiu para 0.32 na quinta-feira, assim como Siren que despencou 0.07 para 0.14. Vale lembrar, entranto, que a força da série da Freeform vem da sua performance com jovens mulheres e no acúmulo de audiência.

Notas do Acúmulo:

Good Trouble: mantendo sua missão de acompanhar a evolução geracional da sua audiência, a série conquistou excelentes números nesta semana em jovens mulheres. No demográfico de mulheres entre 12 a 34 anos e 18 a 34 anos, o drama entregou a melhor audiência do canal em oito anos. Além disso, a série venceu toda competição na terça-feira entre mulheres de 12 a 34 anos. Com isso, ressalta-se que ela já foi renovada para sua segunda temporada.

Last Man Standing: na semana de 28 de janeiro, a comédia estrelada por Tim Allen, deixou a Fox em primeiro lugar geral da sexta-feira graças ao abençoado L+7. Foram registrados 1.6 no demo, um crescimento de 45% em comparação com os números do ao vivo. Assim, promoveu um crescimento de 22% em The Cool Kids.

Betty en NY: a sequência da clássica telonovela estreou na última semana pela Telemundo. Às 21h, o drama ficou em primeiro lugar no demográfico alvo (18-49 anos) em linguagem espanhola. Além disso, venceu o horário em mercados de população predominantemente hispânica. Como por exemplo, Miami e Los Angeles.

Internacionais

Imagem: Divulgação (06)

Tornando-se um sucesso em Portugal, Segundo Sol fez 4.5 pontos e 21.1% de participação, quinze pontos, repito, quinze pontos superiores do que sua principal concorrência na TVI. Ainda na terça-feira (05), o The Voice Bélgica foi assistido por 451 mil telespectadores, uma adição de 43 mil pessoas em relação com a exibição da semana passada.

Na quarta-feira (06), a M6 lançou a 10ª temporada do Top Chef France. O Season Premiere foi assistido por 3.02 milhões de telespectadores, além de um share de 15.5%. Tais números são bastante parecidos com aqueles de 2018, mas levemente superiores: 3.01 milhões, além de 14.7% de participação.

Na quinta-feira (07), o Germany’s Top Model, apresentado por Heidi Klum na sua língua nativa, mostra que apesar da idade ainda dá um caldo. Exibido na Alemanha pela ProSieben, o reality show foi assistido por ótimos 2.28 milhões de pessoas, a décima maior audiência de todo o dia. O bom resultado fez com que o programa fosse mais assistido do que o sexto episódio de FBI, cujo número de telespectadores foi de 1.86 milhão.

Análise Especial da Semana: Super Bowl LIII

Super Bowl LIII (logo)

Imagem: CBS/Divulgação

Ninguém quer jogar para perder. Contudo, a expectativa para o Super Bowl LIII era baixa por vários motivos, desde o show do intervalo que veio recheado de polêmica, até mesmo pelo New England Patriots disputando pela nona vez. Sabendo que esse é o maior evento da televisão americana em todo o ano, vamos analisar a partir de todas as perspectivas. Desde já é importante ressaltar uma pesquisa feita pela universidade de Monmouth em janeiro que apenas 16% se dizem “muito interessados”.

De acordo com a Nielsen, 98.2 milhões de pessoas assistiram o jogo, uma queda de 3% em relação aos números do ano passado, assim como a menor plateia desde 2008 quando 98 milhões de pessoas assistiram a partida pela NBC. O The New York Times elencou dois motivos que justicaram a queda. O primeiro deles é um tanto óbvio: o clima entediante do jogo haja vista que foi a menor pontuação da história. A segunda razão merece um tópico a parte.

A rebelião de Nova Orleans

Quem assiste futebol americano sabe que uma das maiores lambanças da arbitragem neste ano foi o jogo entre o New Orleans Saints e o Los Angeles Rams. Uma falta não marcada que poderia ter colocado o time da Louisiana na final. O ocorrido fez com que o governador do estado, John B. Edwards, enviasse uma carta ao comissionário da NFL pedindo esclarecimentos e providências. Além disso, ele pediu para que os fãs assistissem NCIS: New Orleans ao invés do jogo.

Tal desprezo não limitou-se ao governador. Mesmo que o mercado de mídia de Nova Orleans seja apenas o 50º maior mercado de televisão nos Estados Unidos, ele é um dos principais no que se refere a futebol. Os índices prévios calculados durante a noite indicam que o jogo alcançou uma audiência de 26.1 pontos, bem diferente dos 53 pontos do ano anterior. Já na cidade de Kansas, o 32º maior mercado, teve uma queda de 11% em comparação com o ano anterior.

Pós Super Bowl

A CBS escolheu lançar um novo programa após a final do jogo, tradição mantida desde a primeira edição em 1967 quando a NBC exibiu Lassie. O escolhido foi The World’s Best, um novo formato do canal para frear, ou pelo menos tentar competir com America’s Got Talent. A avaliação da imprensa especializada foi mediana, o que não ajuda em nada a tarefa do canal em tentar construir uma expectativa ao redor.

Mesmo assim, a audiência foi boa. O reality show foi assistido por 22.20 milhões de pessoas, uma queda dos 26.97 milhões que assistiram This Is Us em 2018. Contudo, essa foi a maior plateia para CBS desde quando Undercover Boss alcançou 38.65 milhões de pessoas em 2010, superando os medíocres 20 milhões que conferiram Elementary em 2013, além dos 20.5 milhões que assistiram The Late Show em 2016.

Audiência do Pós-Super Bowl dos últimos dez anos anos:

The Office (2009) – 22.90 milhões de telespectadores

Undercover Boss (2010) – 38.65 22.90 milhões de telespectadores

Glee (2011) – 26.79 22.90 milhões de telespectadores

The Voice (2012) – 37.61 22.90 milhões de telespectadores

Elementary (2013) – 20.80 22.90 milhões de telespectadores

New Girl e Brooklyn Nine-Nine (2014) – 26.30 e 15.07 22.90 milhões de telespectadores

The Blacklist (2015) – 25.72 22.90 milhões de telespectadores

The Late Show with Stephen Colbert (2016) – 20.55 22.90 milhões de telespectadores

24: Legacy (2017) – 17.58 22.90 milhões de telespectadores

This Is Us (2018) – 26.98 22.90 milhões de telespectadores

The World’s Best (2019) – 22.21 22.90 milhões de telespectadores

Curiosidades

– Foram gastos 382 milhões de dólares com anúncios durante o jogo. É o terceiro maior da história, atrás apenas de 2017 e 2018, de acordo com a Kantar Media.

– Mesmo exibido às 03h da madrugada de segunda-feira (04) na França, o jogo atraiu (e muito) a atração dos franceses. Foram 513 mil telespectadores e um share de 15,4%, uma grande subida dos 347 mil e participação de 10% que assistiram em 2018.

– Sem nenhuma surpresa, a audiência no Brasil também foi ótima. De acordo com a ESPN Brasil, a final do jogo fez com que o canal lideressa toda a TV a cabo. Obteve audiência 32% superior em comparação com a edição do Super Bowl em 2018. Em média, os fãs permaneceram ligados na partida durante 1 hora e 33 minutos, tempo 13% superior em relação há 2018.

O que veremos na próxima semana: Alicia Keys apresenta o 61st Grammy Awards; a Fox lança Proven Innocent; uma nova temporada de The Walking Dead chega na AMC; Miracle Workers é a aposta em comédia da TBS e muito mais.

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours