Away: conheça a história real que inspirou série da Netflix

Away Netflix história real

A história real que inspirou Away

O novo drama espacial da Netflix, Away, vem fazendo um considerável sucesso, ao contar a história da primeira viagem de humanos atá Marte. E embora a viagem tripulada ainda não tentada a Marte, é, sim, “ficção científica”, parte do enredo, no entanto, vem de uma missão real da NASA. E bem, dependendo da sua percepção sobre conspirações, poderá interpretar a série como algo não muito ficcional.

Série da Netflix é baseada em fatos reais?

Away é vagamente baseada no artigo da Esquire escrito pelo jornalista Chris Jones na preparação para o lançamento da NASA em 2015. Tal artigo detalhou a rotina do astronauta Scott Kelly de 1 ano em uma missão a bordo da Estação Espacial Internacional – a missão que marca um dos mais longos períodos ininterruptos de tempo que qualquer astronauta gastaria no espaço.

O objetivo principal da missão era registrar como Kelly e o cosmonauta Mikhail Kornienko reagiriam a sua exposição espacial prolongada. Os dados (auxiliados pelo estudo Twins da NASA; o astronauta Scott Kelly é um gêmeo idêntico do astronauta Mark Kelly) ajudariam a entender melhor como o corpo humano reage a voos espaciais mais longos, dados importantes para viagens futuras mais longas – notavelmente, Marte.

Portanto, o que a série da Netflix mostra é uma ficção, afinal, nenhum ser humano ainda pisou em Marte. Mas, parte da trajetória é inspirada em vivências reais. Além disso, ela mostra como a NASA pode proceder a partir desses dados e como seria um voo tripulado para Marte – tanto da perspectiva do astronauta quanto da do mundo.

Continua após a publicidade

E embora a humanidade ainda não tenha pousado em Marte, registramos muitos fenômenos semelhantes reais que os astronautas de Away experimentaram na série.

A missão de um ano da NASA

Parte da prerrogativa de pesquisa espacial da NASA inclui “pesquisa humana” ou estudos sobre o corpo humano conforme ele se adapta a estadias prolongadas no espaço. Em 27 de março de 2015, o astronauta americano Scott Kelly e o cosmonauta russo Mikhail Kornienko lançaram a Soyuz TMA-16M para a Estação Espacial Internacional. Eles retornaram à Terra a bordo de um voo separado em 2 de março de 2016.

Os dados coletados sobre Kelly ajudaram a informar o Twin Study da NASA. O irmão gêmeo de Kelly, Mark Kelly (ex-astronauta da NASA), permaneceu no solo durante um ano, atuando como um controle – um corpo com os mesmos genes que não foi atacado pelo espaço. Embora a missão da série Netflix seja muito diferente da missão 2015-2016 da NASA (Kelly nunca foi além da ISS), uma característica comum continua sendo o fascínio pelas mudanças corporais humanas.

Away Série

Imagem: Divulgação.

Reações do corpo no espaço mostradas na série são reais

A NASA observou que a missão de Kelly demonstrou “a resiliência e robustez de como um corpo humano pode se adaptar a uma infinidade de mudanças induzidas pelo ambiente do voo espacial.” Foi notado, por exemplo, que a taxa de mudanças de Kelly começou a diminuir quanto mais tempo ele permaneceu no espaço, sugerindo algum nível de ajuste biológico.

Dito isso, foram observadas diferenças entre os dois Kellys.

Algumas dessas diferenças eram esperadas, como a perda de densidade óssea. Outras mudanças foram mais surpreendentes, incluindo o alongamento dos telômeros de Kelly, uma estrutura parecida com uma capa na extremidade dos cromossomos, nossas moléculas de DNA. Não está claro que efeito isso poderia ter a longo prazo e, ao retornar à Terra, a maioria dos telômeros de Kelly voltou ao tamanho anterior ao voo. (Alguns, no entanto, ficaram mais curtos, o que pode estar associado a risco cardiovascular. Mas, novamente, o efeito ainda não está claro.)

A expressão do gene de Kelly também mudou, embora isso possa ter sido uma reação à radiação no espaço, que alguns sugerem que seria 48 vezes maior do que a experiência média dos habitantes da Terra.

O que muitos (incluindo Kelly) experimentam, no entanto, e o que foi um dos pontos abordados em Away foi a visão prejudicada. Um astronauta, anteriormente, relatou em um ponto não ser capaz de ler uma lista de verificação. E é justamente o que um dos personagens da atração vivencia. Além disso, o fato de a pele flutuar após a retirada da meia também é um fenômeno relatado; a descamação da pele no espaço é mais visível.

Vale a pena conferir?

Portanto, embora Away possa ter exagerado certas capacidades tecnológicas, elas representam com precisão uma característica das viagens espaciais profundas: seus efeitos são bastante desconhecidos e potencialmente muito grosseiros e assustadores. E somado a carga do drama familiar que os personagens passam, certamente é uma série que vale a pena conferir.

Assista ao trailer abaixo.

E você, já assistiu? Deixe nos comentários e, igualmente, continue acompanhando todas as novidades do mundo das séries aqui no Mix de Séries.

  • Além disso, siga nossas Redes Sociais (InstagramTwitter, Facebook).
  • Baixe também nosso App Mix de Séries para Android no Google Play (Download aqui) e fique por dentro de todas as matérias do nosso site.
Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

No comments

Add yours