Better Call Saul – 1×03 – Nacho

Better Call Saul 1x03

Apesar dos dois primeiros episódios – sobretudo o segundo – terem sido excelentes, é nesse terceiro que Better Call Saul começa a ganhar estrutura. Mike finalmente tem uma participação maior e mais relevante e já começamos a perceber como a relação dele com Jimmy começou, ou como passou a ser mais do que um problema de adesivos de estacionamento. Diferente dos dois primeiros, nesse Jimmy tem um caso com o qual se ocupar durante todo o episódio, que junta um plot introduzido no piloto, com outro introduzido em “Mijo” e já ligados no próprio, e com isso já temos um panorama do que se tratará ao menos boa parte dessa temporada e os personagens que farão parte dela, deixando claro, também, que como prevíamos, Better Call Saul não tem nenhuma intenção de ser remotamente procedural. A história vai se desenvolvendo aos poucos, tanto a do próprio Jimmy, como dos personagens e situações que o cercam. E isso é muito bom.

O episódio começa com um flashback que nos esclarece um pouco a relação entre Jimmy e seu irmão mais velho, Chuck, que denota aquela dinâmica de um irmão que só causa problemas e o outro que o tira deles. Se agora Chuck está afastado da profissão e com problemas de saúde, fazendo com que se invertam um pouco esses papeis, antes ele era um advogado mais sério e aparentemente bem-sucedido, que precisa dar conta dos problemas do irmão, que àquele ponto nada entendia das leis e tampouco as levava a sério (o que não difere-se tanto do que ele é hoje em dia, se formos analisar). Não passou muito disso o desenvolvimento desse plot, mas já é alguma coisa e que provavelmente vai ocupar e acrescentar muito à série.

Em seguida temos um Jimmy em conflito entre sua consciência e seus medos, cada vez mais próximo do Saul que conhecemos, e se utilizando das mais peculiares artimanhas para achar uma solução compatível com seus dois impulsos: fazer o que certo e amenizar os riscos de ser morto por isso. E para isso ele utiliza suas características típicas, que misturam criatividade, muita lábia e pouco bom senso. Podemos definir Jimmy como uma pessoa atrapalhada, com a vida completamente bagunçada e sempre se metendo em confusões e se afundando ainda mais nelas a cada vez que tenta resolvê-las. Basicamente, ele alivia um problema específico e intensifica o problema mais amplo. Agora ele se vê nas mãos de Nacho e praticamente tudo em que ele se envolve desde então é uma tentativa de livrar-se disso, ainda que nunca em definitivo. Dada e sentença de morte caso Jimmy não consiga tirá-lo da prisão, ele utiliza suas habilidades para encontrar uma solução para algo que parece insolúvel. E é aqui que entra a inesperada ajuda de Mike, que até então não havia passado do cara chato que não o deixava passar sem uma quantidade específica de adesivos, colaborando apenas para parte do humor da série e da efetividade do personagem principal nesse sentido.

Continua após a publicidade

O episódio nos apresentou mais uma personagem, Kim, que sua visível proximidade com Jimmy, que parece ir um pouco além de só amizade, indica a probabilidade de ela aparecer mais vezes e, quem sabe, ser até uma personagem fixa na série. E esse foi mais um episódio sensacional, que um pouco diferente dos anteriores, indicou uma continuidade e, consequentemente, maior ansiedade pelo próximo. Um episódio imprevisível, com o protagonista cada vez mais se afirmando como uma das maiores personalidades das séries atuais e se enterrando também cada vez mais nos problemas de Nacho e, consequentemente de Tuco, o que nos dá esperanças de que ele talvez seja uma presença recorrente na série. Ao mesmo é o que eu espero. E a série segue seu progresso e aprimoração de sua qualidade independente da que a originou, tanto que essa é a primeira vez que me refiro a Breaking Bad nessa review, diferentemente das anteriores.

HERE’S JOHNNY!

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

No comments

Add yours