Blindspot – 1×16 – Any Wounded Thief

Imagem: The Movie Network
Imagem: The Movie Network
Imagem: The Movie Network

 

Continua após publicidade

Depois de virmos de uma sequência de um ótimo episódio e outro que foi um tanto quanto mediano em razão das escolhas do próprio roteiro, temos aqui Any Wounded Thief que aparece para mexer um pouco nas coisas e mostrar que Blindspot consegue sim, emocionar o telespectador com muita facilidade e, melhor, sem cair no tedioso campo da pieguice. Sem deixar, entretanto, de continuar sua excelente escalada criativa que a partir de agora, tenho certeza, está no lugar certo.

Continua após a publicidade
Imagem: Entertainment Weekly
Imagem: Entertainment Weekly

Não tenho receio em fazer tal afirmação pelo simples fato de tudo aqui ter funcionado em plena forma. O plot principal não só empolgou, como também, fez sentido durante todo o tempo e ainda ajudou a dar um aspecto mais inteligente ao roteiro que tem nesse aspecto, sua maior falha. Ressalvo que até mesmo a história envolvendo Jane/Taylor ajudou o episódio a crescer, apesar de que em muitas ocasiões, algumas cenas tenham ficado sem muito sentido ou apelado para clichês românticos que prefiro esquecer aqui.

Continua após publicidade

Tenho que concordar, entretanto, com aquele telespectador que afirmará que é impossível crer num texto que tente dizer que um personagem outrora morto, surge como uma lembrança e começa a dar ideias sobre uma provável trama paralela é, de fato, algo genial de se propor. Analisando secamente, teria que concordar com tal posicionamento, porém tenho certeza que esta trama é uma próspera ideia para o futuro de Blindspot. Deixará  Patterson relevante, manterá o aspecto emocional pulsando e, claro, ainda tem o coringa de manter o excelente Joe Dinicol em cena. 

A brilhante e sempre muito respeitável direção de Tricia Brock, que já fora responsável por alguns dos melhores episódios de Smash The Walking Dead, nos mostra aqui que sabe, como poucos, dar espaço para todos os personagens aparecerem e elevar o bom roteiro ao nível que, repito, excepcionais sabem fazer. Jaimie Alexander foi uma das grandes beneficiárias da boa mão da diretora, visto que deu, apesar da imensa dificuldade, um toque de simpatia a sua personagem. 

Continua após publicidade

Em suma, volto a dizer que Blindspot mostra-se estar no caminho certo para sua grande consagração na reta final da temporada, prevista para começar, assim como todas as outras, entre o décimo novo e vigésimo.

Meu nome é Bernardo Vieira, sou catarinense e tenho 24 anos. Sou bacharel em direito, jornalista e empreendedor digital. Escrevo no Mix de Séries desde janeiro de 2016. Sou responsável pelas colunas de audiência e Spoiler Alert, além de cuidar da editoria de premiações e participar da pauta de notícias. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.