Boneca Russa, final da 2ª temporada: Nadia muda o passado?

Tudo sobre a segunda temporada de Boneca Russa.

Boneca Russa 2 temporada
Continua após publicidade

Na segunda temporada de Boneca Russa, quatro anos se passaram desde que Nadia Vulvokov (Natasha Lyonne) e Alan Zaveri (Charlie Barnett) escaparam de seu loop temporal. Tudo isso, graças a uma séria auto introspecção. A primeira temporada da série Netflix, criada por Lyonne, Leslye Headland e Amy Poehler, sugere que Nadia ainda tem alguns problemas para resolver, principalmente seu relacionamento complicado com sua mãe emocional e mentalmente instável, Lenora (Chloë Sevigny).

Continua após publicidade

No início da nova temporada, então, Nadia está prestes a completar 40 anos. E está dedicando mais tempo para cuidar de sua mãe substituta, Ruth Brenner (Elizabeth Ashley). Nadia permanece perto de Alan, que ainda está solteiro e lutando para fazer uma conexão amorosa. No entanto, desta vez, as apostas são maiores.

A dupla descobre que o metrô da cidade de Nova York lhes permite viajar no tempo. Dando a cada um a chance de corrigir alguns erros anteriores, alterando assim a trajetória de suas vidas, bem como a vida de seus entes queridos.

Continua após publicidade
Continua após publicidade

Qualquer pessoa familiarizada com filmes de viagem no tempo (por mais casual que seja sua relação com o gênero) sabe que não é uma boa ideia mexer com a história. O que Alan aponta para Nadia no episódio 1. Mas mesmo ele não consegue resistir à tentação de se intrometer quando ele percebe que sua escolha de brincar ou não com todas as coisas temporais é uma questão de vida ou morte. Embora as respectivas histórias de Nadia e Alan não estejam tão entrelaçadas quanto na 1ª temporada, elas eventualmente convergem, pois, mais uma vez, devem evitar um apocalipse iminente. Aqui está um resumo do final da 2ª temporada de Boneca Russa.

Nadia descobre que não pode mudar o passado em Boneca Russa

Ao contrário da primeira temporada de Boneca Russa, que vê Nadia ponderando interminavelmente e lutando ativamente para sair de um loop temporal, ela agora não questiona por que pode viajar de volta no tempo. Em vez disso, ela imediatamente aproveita a oportunidade de testemunhar o desenrolar da história da família em primeira mão. Os infames Krugerrands que Lenora roubou estão de volta ao jogo. E Nadia está determinada a recuperar as peças de ouro que sua mãe desperdiçou em 1982, convencida de que isso apagará a dinâmica disfuncional mãe-filha abordada brevemente na primeira temporada e dará a ela uma ficha limpa.

Continua após publicidade

Leia também: Lançamentos Netflix Maio 2022, filmes e séries, lista completa

Lenora está presente na forma de uma alucinação composta pelas memórias de Nadia. E as percepções de outras pessoas sobre ela, particularmente as de Vera (Irén Bordán) e a recém-viúva de Ruth (“Schitt’s Creek” estrela Annie Murphy). Lenora é uma personagem mais simpática na segunda temporada da série. Ela é mostrada como uma mulher cuja natureza fria e controladora da mãe resulta de suas experiências durante a Segunda Guerra Mundial. Nadia habita o corpo de sua mãe, mas não sua mente. Então as motivações de Lenora (se houver alguma identificável) para qualquer coisa que ela faça, além de seus problemas de saúde mental, permanecem inexploradas. Mantendo a desconexão entre mãe e filha firmemente no lugar.

Continua após publicidade
Boneca Russa 2 temporada
Imagem: Divulgação.

O plano de Nadia está fadado ao fracasso porque ela está singularmente focada na coisa errada. Nunca está em seu poder consertar nada. Então, em um último esforço para fugir do destino, Nadia sequestra a versão infantil de 1982 de si mesma. Convencida de que é melhor se criar sozinha. Claro, seu “Aha!” momentos vêm rápidos e furiosos durante o final. Ela tem que sacrificar o ouro e se entregar a Lenora para salvar o mundo. Não exatamente um final feliz.

Continua após publicidade

Boneca Russa explora as complexidades da dinâmica familiar fraturada

No final da segunda temporada de Boneca Russa, Lenora pergunta a Nadia: “Se você pudesse escolher sua mãe novamente, você me escolheria?” Nadia reconhece que não foi sua decisão tomar a primeira vez, mas “é assim que a história se desenrola”. Quando jovem, Nadia sempre se sentiu impotente em torno de sua mãe. E suas ações ao longo da temporada demonstram que quanto mais ela tenta exercer o controle, mais caóticas as coisas se tornam. No que diz respeito à infância ferrada de Nadia, isso parece ser a coisa mais próxima do encerramento que ela jamais terá.

Continua após publicidade

Leia também: Série da Netflix é melhor que The Walking Dead e fãs estão viciados

A segunda temporada de Boneca Russa explora as complexidades dos relacionamentos entre mãe e filha. Mas, mais importante, o programa estabelece que os laços familiares não são determinados apenas pela genética. Infelizmente, Nadia fica tão presa no passado que negligencia a pessoa mais importante de sua vida – Ruth. Nadia pode não ver isso chegando, mas a tristeza e a desgraça estão se aproximando dela com a mesma força que um trem de metrô em alta velocidade.

Continua após publicidade
Boneca Russa 2 temporada
Imagem: Divulgação.

Ruth desaparece da vida de Nadia de repente como Oatmeal. O que parece ser um desserviço ao personagem que consegue na segunda temporada ser crucial e negligenciado em igual medida provavelmente prenuncia o que está por vir. Isso, claro, se a Netflix renovar o programa para uma terceira temporada. Enquanto Nadia está sozinha no banheiro que serve como ponto de partida de cada loop temporal na 1ª temporada, algo em sua expressão desmente sua dor. Não por coincidência, o Universo dá a Nadia uma reviravolta quando a mortalidade está na vanguarda de sua mente.

Alan e Nadia se separam temporariamente na 2ª temporada

A experiência de Alan com viagem no tempo na segunda temporada de Boneca Russa não é tão interessante quanto a de Nadia. Enquanto habita o corpo de sua avó, ele descobre que ela está envolvida em um plano para contrabandear pessoas de Berlim para a Alemanha Ocidental. Alan está dividido entre avisá-los de sua morte iminente (ou até mesmo captura). Depois de não conseguir detê-los, ele é jogado em uma crise existencial. As diferentes abordagens de Nadia e Alan para seus dilemas paralelos reforçam por que eles precisam um do outro. No entanto, para duas pessoas cosmicamente ligadas, é decepcionante que elas não compartilhem mais tempo de tela.

Imagem: Divulgação.

O personagem de Natasha Lyonne é o mais cerebral e verboso dos dois. E há uma falta de complexidade em Alan que vem da primeira temporada. Ele beira a calma, mas sua vulnerabilidade e seriedade são uma pausa bem-vinda do ceticismo duramente entregue de Nadia. Para os espectadores que às vezes acham cansativo se arrastar por sua psique cicatrizada, a conversa de Alan com sua avó é um doce encapsulamento do tema central da temporada. Ou seja, algumas coisas devem ser.

Criador do Mix de Séries, atua hoje como redator e editor chefe do portal. Especialista em SEO e construção de textos para internet, também atua como webwriter com foco em textos para o Google. Autor na internet desde 2011, passou pelos portais TeleSéries e Box de Séries. Fã de carteirinha de Friends, ER e One Tree Hill, é aficionado pelo mundo dos seriados. Também é fã de procedurais, sabendo tudo sobre o universo das séries Chicago, Grey's Anatomy, e séries de sucesso como La Casa de Papel e Lucifer. Também é fã da DC Comics, e acompanha produções inspiradas em personagens da editora, como Titans e até o mais recente produto da editora, Sweet Tooth.