Cartão Postal – As luzes de sexta à noite

Friday Night Lights - Cartão Postal

 

As luzes acendem. É noite de sexta-feira, dia de jogo. O dia na escola ou no trabalho custara a passar, prorrogando ainda mais o tão aguardado e tradicional jogo de futebol americano de sexta-feira. Em diversas partes dos EUA, o dia de jogo é quase sagrado. Mas é no sul do país que a diversão da partida vira paixão e fanatismo. Disputas entre times de escolas mobilizam a população e os meios de comunicação que tratam os jogadores como estrelas e cada jogo como final de campeonato. Todo esse amor e essa dedicação são impecavelmente tratados em Friday Night Lights, mistura de drama familiar com esporte que lutou bravamente a cada temporada para não ser cancelada. Ao fim, foram cinco excelentes temporadas que timbraram FNL como uma das melhores séries recentes.

Como comentado na edição passada de Cartão Postal, algumas séries dependem de sua ambientação e locação mais do que outras para passar suas mensagens e conquistar o público. Em FNL a ambientação e locação são primordiais. Ao filmar dentro de casas e escolas de verdade, e não em estúdio, a série alcança um nível invejável de realismo e uma ambientação impecável. As casas, os campos onde aconteciam os jogos, tudo existia – e existe – de verdade e pode ser encontrado em Austin, no Texas.

Continua após a publicidade

 

FNL - CartãoPostal

 

Autenticidade, aliás, era palavra de ordem na produção de FNL. Toda a série foi gravada como se fosse um documentário. A câmera inquieta, sempre em movimento, é uma das provas do estilo documental. As cenas eram gravadas dando total liberdade aos atores e com cortes mínimos. Enquanto a maioria das séries grava suas cenas realizando diversos cortes e repetições, a produção de FNL alocava três ou quatro câmeras pelo ambiente (uma casa, por exemplo) e começava a gravar. Os atores realizavam as cenas sem interrupções, como se realmente estivessem conversando e interagindo no cotidiano normal de suas vidas. Além disso, os primeiros takes geralmente eram usados, não havendo a necessidade de regravações. Não existem novas tentativas ou regravações na vida real e nos documentários, afinal.

É por este e vários outros motivos que FNL parecia tão verossímil, já que os atores podiam crescer e ir desenvolvendo as cenas no ato, como em um teatro, deixando a emoção do momento nascer e crescer com naturalidade. As sequências envolvendo jogos também buscavam o máximo de autenticidade. Uniformes reais e completos (que são consideravelmente pesados) foram utilizados, fãs de futebol foram convidados para assistir as partidas e torcer pelos times, além de estádios reais que foram utilizados. Além disso, até mesmo as vozes dos narradores vêm de profissionais do ramo, contratados exclusivamente para tecer os comentários ouvidos durante os episódios e para narrar os jogos. A produção da série também filmou jogos reais entre times conhecidos do Texas para utilizar no programa.

 

FNL - CartãoPostal 1

 

Cada característica das casas vistas na série é verdadeira. A casa dos Riggins, por exemplo, era realmente repugnante: suja e tomada por mofo, a casa combinava com a vida desregrada de Tim Riggins. Já a casa de Matt Sarecen e sua avó, por outro lado, era singela, mas organizada. Todas as residências, aliás, parecem ter sido construídas especialmente para a série. Cada lugar combinava com os personagens, tendo um pouco de cada um em cada detalhe. É claro que algumas mudanças foram realizadas pela produção, mas todas pequenas e envolvendo decorações. Não houve demolição ou novas construções; tudo foi utilizado como realmente é.

Por isso, Austin acabou se tornando uma segunda casa para o elenco e para a equipe. Caso fosse gravada em estúdio, o que geralmente acontece, os atores teriam a possibilidade de retornar para seus respectivos lares e descansar. Filmando diretamente em locações e no Texas, fora do eixo “hollywoodiano” das séries e filmes, porém, os atores acabaram passando um bom tempo vivendo, curtindo e conhecendo a vida sulista do Texas. Um ponto positivo é que as filmagens aconteciam mais rápido. Graças ao estilo quase documental, algumas sequências, que levariam um dia inteiro para serem gravadas, eram vencidas em apenas três horas. A dinâmica otimizava o processo de gravação e o calendário ficava menos complicado.

 

Friday Night Lights - Colagem
Acima, da esquerda para direita: a casa dos Taylor, dos Saracen, dos Riggins e o Applebees. Abaixo, a West Dillon High, a East Dillon High, o lote comprado por Tim Riggins e o estádio da East Dillon.

 

Em entrevistas, os produtores afirmaram que a intenção nunca foi construir sets ou gravar em estúdio. Os chefões do canal não concordaram muito e disseram que ao menos a casa do Coach Taylor deveria ser construída, já que seria a residência que mais apareceria no show. Construindo um set próprio para abrigar a família Taylor, a produção poderia organizar o local de modo a facilitar as gravações. A resposta dos produtores de FNL: “Não!”. Eles queriam comprar, alugar ou pedir uma casa verdadeira emprestada e voltar a filmar ou visitar sempre que necessário. A verba que não foi investida na construção de sets acabou indo para o aluguel de casas reais.

Os estabelecimentos também existem: dos restaurantes à revendedora de automóveis de Buddy Garrity. O interessante é que os funcionários vistos trabalhando nesses locais são realmente profissionais contratados pelas respectivas empresas. Até mesmo alguns clientes são reais; poucos foram os figurantes, portanto. Os estádios também existem e apenas algumas alterações foram feitas pela produção; a maioria dessas alterações foi nos gramados artificiais de cada campo, que foram recolocados ou retirados conforme a necessidade das cenas. Até mesmo o lote comprado por Riggins pode ser encontrado. As luzes, que acendiam toda sexta-feira, também estão lá. Nós deixamos a fictícia Dillon, mas ela não nos deixou. E as luzes ainda acendem e iluminam as noites de sexta-feira.

Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

2 comments

Add yours

Post a new comment