Cartão Postal – História de Horror

ahs

Continua após publicidade

[spacer size = “20”]

Continua após a publicidade

Muitos podem concordar que American Horror Story é um imenso guilty pleasure. É impossível considerar a série algo realmente de primeira linha. Não entenda mal: AHS tem momentos brilhantes (principalmente na primeira e segunda temporadas), mas muitas vezes trata-se de um exercício exagerado de estilo. Visualmente, AHS vai da coragem à pura bagunça. Os enquadramentos deformados ou inclinados, as lentes que modificam a imagem, as sequências. Não é para todos os gostos.

Continua após publicidade

Mas algo inegável é que a série sempre contou com locações incríveis. O primeiro ano contou com praticamente um cenário, e fez muito bom uso deste. É claro que a maioria das cenas fora filmada em estúdio, mas a produção soube aproveitar o ambiente sombrio da casa assombrada – uma construção real com quase 115 anos! E o que falar da segunda temporada e seu sanatório absolutamente assustador? A terceira temporada não teve tantos lugares bacanas, mas leva destaque por revelar pontos de New Orleans. A quarta nos trouxe o circo e a quinta temporada nos entregou o hotel. Boa ou ruim, AHS sempre empregou ótimas locações. Você teria coragem de visitar alguma delas?

[spacer size = “20”]

Continua após publicidade

Murder Mansion

A primeira temporada foi baseada e filmada na Rosenheim Mansion, em Los Angeles. Trata-se de uma casa de quase 115 anos construída por uma famoso arquiteto da época. É uma mansão clássica, feita de tijolos à vista. No decorrer dos anos, a mansão já abrigou várias famílias e até mesmo um convento. Além disso, a Rosenheim já era famosa antes da série, tendo servido de locação para filmes como Homem-Aranha e Seabiscuit. Além disso, a casa também serviu de cenário para episódios de diversas séries, entre elas Buffy, Six Feet Under, Law & Order, The X-Files, e muitas outras. São tantas séries, na verdade, que não nos arriscamos em afirmar a veracidade dos fatos. Com certeza, sabemos que ela foi o cenário principal de AHS.

Para Ryan Murphy, a casa pareceu perfeita para a história desde a primeira vez que a viram. A arquitetura, as cores, o interior, o clima, tudo parecia ideal para o novo programa do FX. Evan Peters, um dos protagonistas, afirmou que a casa era assustadora, com uma atmosfera realmente terrível. O ator ainda disse não querer viver naquele lugar, com madeira por toda a parte e um clima pesado. Sorte dele, pois apenas o piloto foi filmado na casa. O resto foi rodado em estúdios, tendo apenas cenas externas filmadas posteriormente.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

[spacer size = “20”]

079c96e63f06246a12ad5911b5d10805Asylum

Já o segundo ano de AHS, Asylum, teve suas cenas externas – acredite – em um prédio que servia como tribunal anos atrás. O Old Orange County Courthouse foi inaugurado em setembro de 1901 e é um dos marcos históricos de Orange County. Hoje, o prédio abriga um museu, ou seja: as cenas internas foram filmadas em estúdio. Vale elogiar, enfim, o belíssimo trabalho de efeitos visuais e direção de arte de Asylum, pois a equipe conseguiu transformar um prédio rodeado de árvores e pouco assustador em uma edificação obscura e solitária.

[spacer size = “20”]

Coven

Coven foi a pior temporada de AHS. Ponto. Ainda que Freak Show e Hotel tenham decepcionado conforme a temporada avançava, Coven nunca convenceu, ficando sempre abaixo dos dois primeiros anos. Suas locações não apresentam nada de realmente relevante, mas vale apontar o destaque que a série deu a New Orleans, pouco mostrada na mídia. A casa onde as bruxas moram é a Buckner Mansion, em New Orleans. Trata-se de uma grande mansão toda pintada de branco que serviu de locação externa para o programa.

Para as cenas internas, a produção construiu um enorme cenário, com cômodos em tamanho real também pintados de branco. Por que branco? Porque segundo o diretor de arte da série, o sangue aparece bem mais e melhor sob um fundo branco. Sobre a casa: você pode alugar, se quiser, mas deve se acostumar com algumas lendas, principalmente depois do show. Uma delas é sobre o fantasma de um escravo que nunca deixou a Buckner. Se você procurar no Youtube, alguns vídeos sinistros do interior da casa podem ser encontrados.

Outras locações ainda envolvem uma singela casa no distrito de Treme (sim, aquele da série da HBO) e um hospital que, antes, era um casarão da era pré Guerra Civil.

[spacer size = “20”]

Hotel

O que há de melhor sobre Hotel, quinta temporada de AHS, na verdade, é a história que a inspirou. Você já deve ter ouvido falar sobre Elisa Lam. Caso não saiba nada sobre isso e tiver coragem, pesquise sobre o assunto. O que eu posso afirmar é que o caso é, realmente, assustador: Elisa Lam era uma estudante de 21 anos no início de 2013. Hospedada no Cecil Hotel, Lam protagonizou um dos momentos mais estranhos e sombrios que você pode imaginar. As últimas imagens de Lam com vida podem ser encontradas com facilidade na internet. No vídeo, Elisa entra em um elevador. Ela parece com medo ou pressa. Ou ambos. A estudante pressiona diversos botões, mas o elevador simplesmente não responde. As portas na fecham. O elevador simplesmente não sobe nem desce. O mais estranho vem a seguir: Elisa sai do elevador e começa a falar e gesticular com alguém no corredor. Não podemos ver em nenhum instante com quem Lam conversa. Ela parece preocupada. Ela sai de cena. O corredor fica vazio. As portas do elevador se fecham e depois voltam a abrir. O corredor segue vazio. As portas abrem e fecham. Vazio.

O corpo de Elisa Lam foi encontrado dias depois, preso em uma das enormes caixas d’água do prédio. Os moradores reclamaram da pouca pressão da água em torneiras e chuveiros. Um funcionário foi checar o problema e o corpo de Elisa estava lá. Tudo fica ainda mais estranho ao sabermos que as tampas dos reservatórios são pesadíssimas e são bem presas. O caso segue sem nenhuma explicação convincente.

Toda essa história e o perfil do Cecil Hotel inspirou Murphy a dar vida à Hotel. O prédio visto na série é uma grande junção de inspirações. A equipe juntou tudo o que achava interessante em outros hotéis e criou o que vemos na TV. E os diretores de arte novamente merecem elogios pela qualidade dos cenários. Note, por exemplo, o tapete do hall de entrada. O desenho lembra alguma coisa? Sim, é uma referência ao tapete do Overlook Hotel, de O Iluminado.

PS.: Você não viu errado. Não falamos sobre Freak Show. E por quê? Porque Freak Show depende muito de cenários tanto para cenas internas quanto externas, o que diminui o número de locações reais para se comentar.