Cartão Postal – One Tree Hill

one tree hill

 

Depois de visitar Londres, na Inglaterra, Cartão Postal volta aos Estados Unidos. Desembarcamos, mais precisamente, em Wilmington, na Carolina do Norte. A cidade já serviu de cenário para diversas séries (Dawson’s Creek e Revenge, por exemplo, já passaram por aqui), mas o foco agora é One Tree Hill.

A boa atmosfera/ambientação de uma série ou filme é vital para o perfeito funcionamento da trama e para a conexão entre a obra e seus espectadores. Veja O Exorcista, filme de 1973, por exemplo. O sucesso deste que talvez seja o melhor filme de terror já feito, além de diversos outros fatores, se dá em grande parte à atmosfera densa e pensada milimetricamente para amedrontar o público. Um ambiente escuro, com luzes pouco esparsas e difusas, infere ao espectador uma sensação de imprevisibilidade, de tensão e suspense por não saber o que pode acontecer em seguida. Uma locação regada a cores vivas e quentes dão a ideia e que o lugar, e/ou seus habitantes, são felizes e amistosos. Um lugar chuvoso, por outro lado, dá a ideia de opressão, de letargia (veja The Killing, por exemplo, onde a chuva é incessante). A neve ou tempestade sugere o isolamento (o filme O Iluminado, de Stanley Kubrick, é um ótimo exemplo).

Continua após a publicidade

Séries como One Tree Hill, Dawson’s Creek e Everwood, por exemplo, versam pela conexão com o público através de elementos reconhecíveis, apelando para a nostalgia e/ou memória coletiva. Dawson’s Creek já se mostra nostálgica logo na abertura, com imagens que parecem remeter a uma juventude que já passou e que não mais voltará. O outono/inverno constante e gelado de Everwood, por exemplo, remete a dias em família e retiros aconchegantes. Existem muitas coisas melhores que a soma entre frio, cobertores e chocolate quente? Já One Tree Hill firma seu ambiente geralmente durante períodos de verão e outono. O verão do hemisfério norte acontece no meio do ano, em um período de férias entre diferentes anos escolares. É um período de diversão e liberdade adolescente. A série, aliada ao charme de Wilmington, remetem às memórias do público acerca de seus próprios verões e férias, quando era possível jogar basquete horas a fio, por exemplo. Há também o outono e as cores das folhas que caem das árvores e dão um tom especial a qualquer história.

 

As Casas

Brooke Davis é praticamente uma nômade dentro de One Tree Hill. Ela começa em uma casa, muda-se para outra, passa um tempo morando no apartamento de outras pessoas, compra a própria casa, etc. A primeira residência é aquela com a famosa porta vermelha. Localizada em Tattersalls Dr., Wilmington, é uma casa particular que serviu para tomadas externas da série. Depois de passar um tempo nas casas de amigos, Brooke compra a própria casa, que divide com Peyton por um tempo.

Haley James começa em uma pequena casa, onde mora com os pais. A série não revela, mas a casa fica, na verdade, ao lado da residência de Peyton. Entre a segunda e a quarta temporada, Haley vive com Nathan em um apartamento e, por fim, muda-se com o marido para uma casa bem maior e mais bonita que seu primeiro lar. Outra casa singela é aquela habitada por Lucas e sua mãe, Karen. É uma típica construção do interior norte-americano, cercada por arbustos e com árvores na calçada. É uma residência particular, assim, foi utilizada apenas para cenas externas. Há, porém, uma curiosidade: em um dos episódios da terceira temporada, podemos ver Lucas pintando a porta principal da casa de preto. Ao contrário do que se pensa, ele realmente pintou a porta da casa original; ou seja, não era cenário de mentira.

Nathan, por outro lado, nunca viveu em casas singelas. Primeiro viveu em um apartamento chique e depois passou a morar com a esposa em outra bela casa. Peyton é outra que vivia muito bem em sua casa feita de tijolos. Nas quatro primeiras temporadas, Peyton chamava atenção pela decoração de seu quarto. Peyton também morou com Brooke e, finalmente, com Lucas.

 

Tree Hill High e Rivercourt

A Tree Hill High, na verdade chama-se Schwartz Center Building of Cape Fear Community College. É claro que apenas o lado externo foi utilizado na série. Relatos de alguns visitantes afirmam que o lugar parece bem menor do que parece na série, mostrando-se um tanto decepcionante. Já o ginásio onde aconteciam os jogos faz parte de outra escola. Os produtores, porém, juntaram os dois lugares para criar a Tree Hill High.

 

Já a Rivercourt, um dos lugares mais nostálgicos da série, infelizmente não existe mais. Rivercourt era a quadra onde os personagens várias vezes jogaram basquete. Rivercourt fazia parte do USS North Carolina Battleship, um memorial construído em homenagem aos combatentes da Segunda Guerra Mundial. Assim, a “Quadra do Rio” era um lugar público, que era fechado apenas quando a produção filmava alguma cena de One Tree Hill. Com o passar dos anos, milhares de fãs visitavam o local para tirar fotos, jogar basquete – claro –, e escrever mensagens para os atores e personagens no piso da quadra. Quando os atores eventualmente voltavam para gravar novas cenas, acabavam lendo as mensagens deixadas pelos fãs.

 

colegaem oth 1

Esquerda: Rivercourt, a Quadra do Rio, durante as filmagens da série. Direita: a produção limpando a quadra e apagando mensagens de fãs. Fonte: Jeff Hidek

 

Sempre antes de toda filmagem, portanto, os atores encontravam inúmeras mensagens, que deveriam ser apagadas pela produção da série. A cada nova gravação, a quadra tinha de ser completamente limpa. Às vezes, porém, o piso estava tão “sujo” que era necessário pintar toda a quadra para apagar o que havia sido escrito ou desenhado. Infelizmente, porém, a Quadra do Rio foi demolida logo após o término da série. O local, vazio e com bem menos brilho, ainda pode ser visitado. A decepção de não encontrar a Rivercourt, porém, será grande.

Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

5 comments

Add yours
  1. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 17 março, 2015 at 21:21 Responder

    Que saudade de One Tree Hill. Excelente matéria Matheus.
    Wilmington é uma cidade muito querida pelos fãs de OTH e oh: dá vontade de conhecer toda vez que vejo estas imagens!

    • Matheus Pereira
      Matheus Pereira 28 março, 2015 at 19:56 Responder

      Everwood também é fantástica. É uma das primeiras séries que assisti e que virei fã. Em breve ganhará espaço aqui no Cartão Postal também.

Post a new comment