Cartão Postal – The Knick e a velha Nova York

theknick

Continua após publicidade

[spacer size = “20”]

Continua após a publicidade

Uma das melhores qualidades de The Knick (a melhor série no ar atualmente) é sua ambientação, sendo um dos programas mais críveis em exibição. Tudo graças a direção de arte impecável, os figurinos esmerados e as incríveis locações vistas no drama médico do canal Cinemax. Ver fotos dos bastidores da série é viajar no tempo e se encantar com o cuidado e a profundidade em que a produção vai para alcançar o máximo de realismo.

Continua após publicidade

Realismo, aliás, é palavra de ordem em The Knick. Abordando temas importantíssimos no mundo atual, o show busca paralelos no início do século passado (1900/1901, aproximadamente) e mergulha o espectador em um mundo absolutamente palpável e belo. Se é que podemos chamar de belo um universo tão sujo e marginal como o visto no projeto. O cenário é Nova York, cidade em plena efervescência, uma gigante por natureza fomentando sua identidade. Nesta civilização repleta de selvagens, que caminha a passos largos, está o Knickerbocker Hospital, que também avança rumo a um futuro inóspito.

Como diz John Thackety, o protagonista da história, “mais foi aprendido sobre o tratamento do corpo humano nos últimos cinco anos do que nos quinhentos anos anteriores”. A medicina em plenos desenvolvimento encontra reflexo na cidade em ebulição. Logo, Nova York é mais do que uma locação: é uma personagem. Para conseguir o máximo de realismo, o diretor Steven Soderbergh e sua equipe decidiram filmar in loco. Nada de estúdios que remontam prédios ou cidades mais acessíveis que substituem NY.

Continua após publicidade

A começar pelo próprio Knickerbocker, ou, como conhecido, Knick. Na série, o hospital é um dos maiores do estado de Nova York, localizado na parte baixa de Manhattan. Inspirado em um hospital homônimo real, o Knick foi fundado no intento de ajudar os pobres, enquanto os outros hospitais ou eram criado ou se mudavam para regiões centrais e mais ricas. Uma das tramas principais do programa, aliás, é esta eventual mudança do Knickerbocker para um local mais próximo da “atividade”.

Na “vida real”, o prédio que abriga o Knick fica no Brooklyn e é uma escola: a Boys High School. O local foi construído por volta de 1891/92 e tem sido reformado e cuidado desde então, sendo referência como uma das melhores escolas públicas da história da região. A arquitetura é uma das coisas que mais chama atenção. Vale ressaltar, claro, que as cenas externas são filmadas aqui, enquanto as internas são gravadas em estúdios ou diferentes prédios.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

Para as cenas externas filmadas nas ruas da cidade, a série foi até a região conhecida por Lower East Side, conhecida pelos prédios antigos e todo o patrimônio histórico notável. É claro que as ruas não são totalmente “antigas”, o que obriga a produção a transformar, literalmente, a locação toda a vez que vai filmar. Tudo que é “moderno” é retirado de cena ou “maquiado”. É um trabalho árduo, já que muito do que existe na região pertence a diferentes épocas, que diferem tanto do nosso tempo quanto o do de 1900.

Algumas ruas são interditadas por horas e são transformadas por objetos de cena, pequenos cenários e diversos figurantes devidamente caracterizados. Nas redes sociais, principalmente o Twitter, a população local posta fotos e comenta sobre as filmagens. Um rapaz, por exemplo, achou curioso a produção de época em frente ao seu escritório. Uma foto traz uma curiosidade: algumas pessoas deixam suas bicicletas “estacionadas” nos postes das ruas. Quando a produção chega para filmar, precisa retirar essas bicicletas. Mas os donos do meio de transporte não precisam ficar nervosos; a equipe deixa um aviso, grudado no poste, alertando que a bicicleta não foi roubada e está em perfeito estado, tendo sido levada apenas para que a série pudesse ser gravada. Além disso, a produção paga por eventuais cadeados e correntes arrebentadas no ato da retirada.

As casas também são reais. A residência dos donos do Knick é uma mansão localizada no Harlem que foi vendida em 2008 para um comprador anônimo. O custo? Quase 2 milhões de dólares. Toda essa beleza e cuidado estão em cada frame de The Knick, que exala charme e competência em sua até então impecável segunda temporada. Ainda não conhece Dr. Thack e sua equipe? Ainda não conhece a Nova York de 1900? Então está na hora de fazer uma visita ao The Knicerbocker.