CCXP 2016 – Dia 3: O Painel da Paris Filmes/Power Rangers

Imagem: Mix de Séries
Imagem: Mix de Séries
Imagem: Mix de Séries

[spacer size = “20”]

Continua após publicidade

A tarde no Auditório Cinemark decididamente está sendo memorável neste terceiro dia da Comic Con Experience 2016. O tão esperado painel da Paris Filmes – que fez sua estreia na CCXP este ano – reuniu não só trailers e novidades sobre o material da produtora; uma das grandes expectativas para o painel era a exibição do trailer do novo Power Rangers, filme da Lionsgate que será distribuído pela Paris Filmes.

Continua após a publicidade

E foi exatamente por este segmento que o painel foi aberto. Apresentado inicialmente por Bruno Silva (Omelete) e contando com a presença Dacre Montgomery (Ranger Vermelho), RJ Cyler (Ranger Azul), Naomi Scott (Ranger Rosa) e Ludi Lin (Ranger Preto), o painel contou com a exibição do trailer do filme e levantou o astral do público ao mostrar que, depois de 20 anos de existência, a Paris Filmes está  disposta a se inspirar e revisitar franquias clássicas e criar algo novo, moderno e criativo, mas sem deixar de lado aquela identidade nostálgica que alguns fãs tanto gostam.

Continua após publicidade

[spacer size = “20”]

Continua após publicidade

[spacer size = “20”]

Os atores se mostraram empolgados por fazer heróis tão marcantes, e compartilharam não só essa empolgação, mas  essa energia com o público durante todo o painel. Para eles, o grande desafio do longa era fazer tudo de maneira correta, aprendendo com os dubles e com os atores todos os dias, mais ainda  ao trabalhar ao lado de grandes atores, como Elizabeth Banks e Brian Castron. Os atores disseram estar realizando um sonho e aprendendo muito com tudo isso.

Imagem: Mix de Séries
Imagem: Mix de Séries

Eles disseram um pouco dos gostos deles, do que gostam de assistir e coisas da infância. Repetiram varias vezes que este é filme vamos querer varias vezes. Eles foram bem engraçados e divertidos durante todo o painel. Ao serem perguntados sobre os Megazords, eles nos asseguraram que os efeitos especiais são incríveis, fato que causou uma reação muito positiva na plateia.

Mas quem decididamente roubou a cena no painel foi RJ Cyler (Ranger Azul). Além de ter divertido o público várias vezes durante o painel, especialmente ao aprender a falar “azul”, que rapidamente se espalhou como o bordão favorito da plateia e foi repetida e gritada durante todo esse segmento do painel, o ator nos lembrou – assim como assim como Dacre Montgomery (Ranger Vermelho fez mais cedo, na coletiva de imprensa – o quanto a diversidade é parte da nova energia que a franquia receberá com o novo filme. O público decididamente foi a loucura várias vezes, e Cyler foi responsável por grande parte desse entrosamento.

[spacer size = “20”]

[spacer size = “20”]

O painel seguiu, agora apresentado por Érico Borgo e dedicado às novas produções da Paris Filmes, contando com a presença de Danilo Gentili e Carlos Villagrán (Como Se Tornar O Pior Aluno Da Escola), Christian Figueredo, Felipi Bragança, Isabela Moreira e Giovanna Grigio (Eu Fico Loko) e ainda, Rafinha Bastos, Felipe Castanhari, Caue Moura, Paulinho Serra (Internet: O Filme).

A primeira das novas produções nacionais da Paris Filmes a ser apresentada foi Como Se Tornar O Pior Aluno Da Escola. A história é baseada num diário que Danilo Gentili escreveu em 2009 sobre como ele se comportava na escola. Gentili criticou os jovens de hoje, pela “chatice” e por serem muito “politicamente corretos”. O filme é basicamente sobre o bullying e Gentili fez questão de que o filme tivesse um tom real, o que influenciou em vários fatores da produção, deste a inspiração até as escolhas para o elenco. Ele enfatizou ainda que o filme é fala diretamente para a geração atual, como um “convite para se divertir e parar de cagar regras”.

Já Carlos Villagrán era só emoção. O ator declarou estar muito emocionado por poder participar desta produção nacional. Ele mencionou que tem muitos fãs de Chaves que são brasileiros, até mesmo mais do que o México. E o ator retribuiu esse amor do público brasileiro pedindo um minuto de aplausos pelas vítimas da tragédia que atingiu a Chapecoense esta semana.

Foi exibido um trailer do filme e algumas cenas inéditas, que confirmaram a participação de alguns youtubers e de Fábio Porchat. O filme parece ser bem engraçado e a plateia decididamente adorou.Em seguida, o foco foi direcionado para Eu Fico Loko, filme baseado num livro que relata a adolescência de Christian Figueredo. O youtuber esteve presente, acompanhado por Felipi Bragança, Isabela Moreira e Giovanna Grigio. Eles comentaram como foi a preparação e produção do filme, para então, exibir um trailer. Por fim, Rafinha Bastos, Felipe Castanhari, Caue Moura, Paulinho Serra e Filippo Capuzzi subiram ao palco para apresentar “Internet: O Filme”. Basicamente, o filme será composto por uma série de histórias curtas que se cruzam, sendo um retrato da instantaneidade de recortes plurais que formar o fenômeno cultural que é a internet nessa geração.

O filme parece ser extremamente engraçado, e surgiu de um projeto pequeno dos youtubers que acabou se tornando o longa, e toda essa adaptação da internet para o cinema – duas mídias bem diferentes – também é discutida pelo filme. A surpresa ficou a cargo de algumas informações que os youtbers forneceram, além daquilo que vimos no plano sequência do filme – que foi exibido no fim do painel. Até mesmo os haters estão representados no filme e os youtubers no filme não necessariamente fazem o papel deles mesmo. Cada um é um personagem, e até Mr. Catra e até a Palmirinha são representados no filme. O painel foi encerrado com a exibição do plano sequência do filme e deixou um gosto de “quero mais” no público que, se divertiu e deu altas gargalhadas durante todo o painel.

[spacer size = “20”]

Fique ligado para a cobertura da #CCXP aqui no Mix de Séries. Estamos nos 4 dias de evento cobrindo os painéis através de nosso blog e em nossas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter, através da hashtag #MixNaCCXP.