Chance: a nova série da Hulu que você precisa assistir

chance-5808092ab6ca8

Continua após as recomendações

A Hulu é uma das principais plataformas de streaming atualmente. Apesar de não tem o poder ou o alcance da Netflix ou mesmo da Amazon, o canal tem apostado cada vez mais em produções originais. Chance, protagonizada por Hugh Lauire, o eterno Dr. House, é o melhor e mais ambicioso produto criado pela plataforma que, diferente de suas irmãs, não lançará a série de uma vez, mas sim semanalmente, como na TV. O futuro do programa é incerto. Tudo vai depender da qualidade do roteiro a longo prazo e do público atingido, o que pode ser um problema no caso da Hulu.

Continua após a publicidade

Chance acompanha o neuropsiquiatra forense Eldon Chance (Laurie) que, no meio de um divórcio, conhece Jaclyn, sua nova paciente. Jaclyn sofre de um sério distúrbio, tendo múltiplas personalidades, o que a coloca em perigo frequentemente. Não demora para Eldon ficar intrigado com a história da mulher e mergulhar no caso. As coisas se complicam quando Chance se envolve romanticamente com uma das personalidades de Jaclyn, o que chama atenção do marido ciumento e com passado sombrio.

Parece clichê, mas a abordagem do roteiro e da direção faz com que Chance seja um drama com classe e ritmo cadenciado. Eldon não é House, assim, não há o mistério para ser solucionado, logo, não espere reviravoltas e os casos semanais. A série não é um procedural, logo, não espere ver o protagonista investigando casos de pacientes e tentando curá-los ou achar respostas para perguntas inquietantes. Chance acompanha uma única e longa história dividida em capítulos cujo foco principal é Eldon, sua família e sua relação com Jaclyn. Assim, os roteiristas se debruçam sobre a personalidade do protagonista e desenrolam um grande leque de possibilidades. Quem é Eldon Chance?

O carinho e respeito que ele demonstra para com a filha é notável, o que indica um homem bom. Sua sensatez em meio ao divórcio também atesta a favor de sua imagem. Mas o que dizer de suas outras relações. Não demora para que ele se encante por Jaclyn, por exemplo, não percebendo, tanto do ponto de vista pessoal quanto ético de que o relacionamento próximo com a mulher pode ser extremamente prejudicial. Assim, o programa se sai admiravelmente bem ao colocar o público na cadeira de analista. Assim como o neuropsiquiatra analisa seus pacientes, o espectador tenta decifrar as personalidades de todas as pessoas vistas em cena.

Não é absurdo pensar, por exemplo, que Chance também possui um distúrbio de personalidade. Todas as sequência envolvendo D., por exemplo, são, no mínimo estranhas. Seria o grandalhão uma personalidade escondida de Eldon? É claro que isso é um palpite ainda sem muito fundamento, mas não está totalmente fora de questão imaginar que nem tudo o que vemos é real. Isso nos leva ao fato de que Laurie é um grande ator, e cria Chance como um homem comum passando por uma situação complicada, mas que, nem por isso, perde o interesse pelo trabalho ou por novas possibilidades. Trabalhar no caso de Jaclyn logo lhe parece uma oportunidade de injetar novo gás na vida e no trabalho, por isso mergulha com vontade no passado e nas diversas possibilidades que a paciente lhe reserva.

E o talento de Laurie é mostrado rapidamente ao percebermos que não há nada de Gregory House em Eldon Chance. House, ainda que cheio de problemas e vulnerável, domina o mundo ao seu redor; Chance, por outro lado, é dominado pelo que o cerca. Note a expressão do ator na cena do encontro na cafeteria. Quando Jaclyn pega a mão de Chance e a coloca no rosto, é possível ver o sujeito ficar totalmente desarmado. Os closes no rosto de Laurie salientam a vulnerabilidade do personagem no momento. Eldon ficou, naquele momento, amaldiçoado pela paciente e suas múltiplas personalidades.

Alguns poderão reclamar do ritmo do piloto, mas é justamente isso um dos grandes atrativos do show. Lenny Abrahamson, recentemente indicado ao Oscar por sua direção em O Quarto de Jack, costura as sequência em um ritmo calculado, sem apressar o desenvolvimento e muito menos perder o controle. O que vale aqui é uma história e seus personagens, e Abrahamson a conta com tranquilidade, abrindo um ótimo caminho para os próximos capítulos. Chance já está renovada para sua segunda temporada. Se haverá algo depois disso, só o tempo dirá.

Nenhum comentário

Adicione o seu