Chicago Fire – 4×03 – I Walk Away

Chicago-Fire

Imagem: Stefs Lima/Arquivo Pessoal

Continua após as recomendações


 

Agora sim um episódio de Chicago Fire para dar 5 estrelas. Não acreditei quando tudo acabou, porque o que aconteceu esta semana foi muito perfeitinho. Do jeito que costumava ser ao longo da S1 e da S2. Estou tombada com as pancadas de tensão e de suspense que intensificaram com os novos desdobramentos de um incêndio lançado na premiere. Novidades que destacaram mais personagens e que renderam vários pontos positivos na trama.

Continua após a publicidade

Um dos destaques da semana foi Jimmy, que teve direito aos primeiros diálogos. O Cadete é de opinião, quer crescer no Batalhão e já vê Casey como uma inspiração. Ótimo e espero que continue assim. Já me basta Patterson se segurando para não destilar o veneno.

Quem vem na mesma via é Brett ao mostrar que sua sensibilidade pode mudar muitas coisas, bem como sua dureza na hora de mostrar que não é paga para brincadeiras. Essa mulher é totalmente imprevisível em meio a sua montanha-russa emocional e amei demais tudo que fez neste episódio. Está aí uma personagem que precisa de mais desafios.

Dawson também me fez feliz ao cutucar a gaiola de um leão que tem tudo para resultar em um belo suspense/perrengue. Nada como uma treta com um grandalhão para animar e dar energia aos acontecimentos do incêndio da rua 24 que, male male, continua um mistério. Fazia muito tempo que uma trama de Fire não era engatada graças a um chamado que se prolongava. As chances de resultados incríveis são altíssimas, principalmente quando as provas de um crime sumiram do mapa. Uma bela forma de começar qualquer caos e espero não me decepcionar com o andar dessa carruagem.

Interessante mesmo foi a aliança entre Gabby e Boden. A fortaleza em combate ao crime. Chief tomará toda a bronca do que provocou sem pensar e estou contente. Finalmente ele saiu da bolha do drama familiar, daquele tipo que o fazia desistir do 51º. Esse homem é muito maravilhoso para ficar de fora da ação, adoro vê-lo esbravejando por aí, e a parceria com Dawson, se durar, pode ser uma das belezinhas deste novo ano de Fire.

Só fico triste pelas reticências que silenciaram toda minha euforia: a gravidez de Dawson em risco. Não quero que isso aconteça, pois comprometerá a relação com Casey e a abalará no âmbito profissional também. Se isso acontecer bate na madeira, prevejo uma mulher vingativa que não mensurará o verbo para pegar o novo inimigo: Maddox.

O que podemos esperar dele? Não sei, mas só de ver a possibilidade de um vilão permanente quanto um chamado, meu coração canta de alegria.

Espero que o incêndio culposo dê muito o que falar, especialmente por incluir Jamie, a traíra da semana. Um jogo que era até previsível, pois Severide só cai em cilada no amor. Estou sofrendo em meio à empolgação e quero estar de olhos bem abertos para os próximos acontecimentos.

1 comentário

Adicione o seu
  1. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 30 outubro, 2015 at 14:30 Responder

    Ninguém pode ter filho em paz em Chicago Fire, ta amarrado. Será que a Gabby ja vai perder o bebê?
    E não sei, mas o novo Tenente do caminhão ainda me incomoda. Não confio nele. Acho que vai vir uma treta master com ele ainda…

    E coitado do Severide, também não dá certo com as mulheres… Já já ele perde a fé nelas hahaha

Post a new comment