Chicago Fire – 4×10 – The Beating Heart (1)

Imagem: Ana Maria de Oliveira/Arquivo Pessoal

Imagem: Ana Maria de Oliveira/Arquivo Pessoal

 

O mês de janeiro mal começou e já temos semana de crossover das franquias Chicago, juntamente com a novata Chicago Med. Não pensávamos que iria acontecer tão cedo e estamos tristes com o plot principal, Herrmann. Fala sério?!

O primeiro dos três episódios conjuntos começou na facada, e nós não sabemos lidar com Herrmann sofrendo, apenas não. Ainda bem que não mostraram as crianças porque senão lágrimas iriam rolar. Dawson foi junto na ambulância que o levou para o hospital logo depois que foi encontrado no bar. Em seus últimos suspiros conscientes ele teve tempo de falar sobre Freddie.

Continua após a publicidade

Cruz ficou todo preocupado, e culpado, mas nessas horas o time 51 se une para o bem maior. PD entra na parada e ali, nós sabemos que não tem caso que fica não resolvido por muito tempo. Med já começa a brilhar nesse episódio também, Rhodes toma conta do recém chegado fazendo todo o possível por ele. Mas parece que esse Doutor ainda não entendeu a força da família 51, a importância de Hermann, e Dawson dá uma prensa no jovem médico. Cindy, a esposa, parece não acreditar que o marido esteja passando por isso.

Trudy e Mouch tentam dar um toque leve para a situação, mas não conseguem, e na verdade todos estão destruídos porque sempre pareceu ser Herrmann que segurava a barra de todos no fim das contas. A amizade de Mouch com ele é antiga e com certeza são almas gêmeas na versão amigos.

Porém, a equipe tem incêndios para apagar e acaba voltando para o trabalho, com a cabeça em outro lugar, claro. Em uma tentativa de suicídio, uma mulher causa um vazamento de gás que explodiu o prédio, ferindo outras duas pessoas. Eles deram bastante atenção a essa tentativa de suicídio, acredito que haja alguma história a mais ligada a isso. Gostaria ainda de saber porque Chili está tão estranha, nunca fui com a cara dela, e agora está enchendo o saco já. Ah, Sylvie e Borelli são o casal perfeito, se beijem.

Cruz acaba indo atrás de Freddie para tentar limpar sua consciência, porém passa por maus bocados dentro de uma casa repleta de atividade suspeita, não compartilho dessa ideia de missão suicida que as pessoas têm as vezes. Severide, a mando de Boden ou não, vai atrás de Cruz e acaba tirando ele da caverna do mal. Mas na verdade aquele povo perigoso poderia ter metralhado os bombeiros e não sei como não o fizeram.

Herrmann, no final das contas, vai precisar sim da cirurgia, mas antes pede para ver Cruz, dizendo que não o culpa por isso. Se essa fofura de pessoa morrer ‘vamos aos EUA caçar Dick Wolf’ palavras de Ana Maria.

Daqui pulemos para Med. Você pode ler a review da segunda parte clicando aqui!

Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

No comments

Add yours