Chicago Fire – 4×16 – Two T’s

Imagem: Banco de Séries/Divulgação

Imagem: Banco de Séries.

Continua após as recomendações

 

Gostaria de dizer que Chicago Fire teve um episódio horrendo. Não consigo. O episódio dessa semana é um exemplo. Pode ter sido o mais boring da temporada, mas sempre vai ter uma informação jogada que vai afetar o resto dos episódios que vão ao ar.

Continua após a publicidade

“Two T’s” trouxe uma enorme evolução de nossa nova paramédica favorita. Brett sambou com classe e maestria nesse episódio. Praticamente todas as cenas que exigiram um foco maior na personagem ocorrerem dentro de Chicago Med, e essa interação com as séries #OneChicago sem que seja um crossover é a coisa mais sensacional que já puderam inserir nas séries. As três tem uma forma de interagir entre si que dá inveja a outras séries do ramo.

A despedida de solteiro de Mouch estava dando o que falar. Herrmann estava crente que iria ser o padrinho, porém meio que quebrou a cara. Logan, meio-irmão de Trudy, acabou chegando para atrapalhar todo e qualquer plano que tinham. Mas lindo foi ver que Mouch não tinha ideia de que sua própria noiva tramou uma festa de arromba pra ele. Melhor noiva ever!

Me enganei com Severide e Kidd. Jurei juradinho que eles já tinha dormido juntos, quando o que aconteceu foi exatamente o oposto. Kelly bebeu demais e bateu na casa de Kidd, provocando a ira do seu marido. Tá de parabéns, Stella, conseguiu segurar Severide!

Casey não sabe que política é jogo truncado, do pescoço pra baixo é canela. Becks é muito sujo, usa os piores artifícios pra conquistar mais votos. Nosso bombeiro precisa virar o jogo muito rápido se quiser ganhar a confiança e os votos da população. Pagando de bom moço ele já percebeu que não rola. Ainda espero muita treta desse plot.

Mais um ótimo episódio de Chicago Fire. Infelizmente, a série entrou em hiatus, e somente em 22/03 ficaremos sabendo o resultado da prensa que Casey deu em Becks.

PS.: Brett não consegue deixar o coração fora dos chamados. Precisa se controlar, principalmente quando o caso é com uma criança.

PS2.: Jimmy, please, fique forever no 51.

PS3.: O cara com a corrente no rosto foi uma das coisas mais doloridas que já assisti.

Nenhum comentário

Adicione o seu