Chicago Fire – 5×01 – The Hose or the Animal

Imagem: Arquivo Pessoal

Imagem: Arquivo Pessoal

Continua após as recomendações

 

Tivemos o retorno dessa série maravilhosa, depois de uma season finale meio pombo. E ela voltou diferente do que imaginava. Admito que não li nada de spoilers, evitando me influenciar por algo. E foi bom o episódio, apesar de sempre ter o mesmo tom dramático.

Continua após a publicidade

Começamos com o casal Casey e Dawson. Ambos ainda estão se acostumando com sua vida atribulada – de turnos sem hora certa para terminar – e com a presença de Louie. Gostei muito do fato de Casey se arriscando a ajudar Gabriella a criar o pequeno, mesmo não estando no mesmo patamar sentimental do que ela. Mostra a vontade do tenente em dar certo, em dar uma vida tranquila e decente ao menino, e ainda assim, mostra a maturidade em dispensar Susan, sua consultora política, para focar em sua carreira nos Bombeiros. Provável fim de plot muito bem feito, não gostava da presença dela, soava ameaçadora para o meu shipp. Dawson, por sua vez, retornou ao batalhão com a angustia de ir trabalhar e deixar Louie sozinho. A presença de Herrmann dando conselhos e sendo a presença paterna que não conhecemos dela é necessária para a bombeira permanecer com os pés no chão, não agir de cabeça quente.

Brett está se tornando um personagem mais do que querido. O episódio já trouxe uma interação entre ela e Antonio (shippo, pois sou trouxa), e espero que se desenvolva cada vez mais, ambos merecem. Inclusive, Brett, junto com Mouch, Cruz e Otis foram o ponto cômico do episódio, trazendo uma fanfic escrita por Mouch – sem que Cruz e Otis saibam – para dentro do batalhão. Ri muito e me identifiquei com o bombeiro, pois sim, todos já escrevemos fanfics.

Jimmy, ao contrário, está me saindo um belo de um pé no saco. Tudo bem, já entendemos que a perda de Danny, seu irmão, foi traumática, mas francamente, o aspirante está sendo infantil. Seu irmão, ao vestir a farda, assinou um compromisso moral ao salvar vidas, nem que seja dando a sua. Todos sabemos o quão teimoso ele era, e Boden não tinha outra escolha, Danny iria estar dentro do prédio de uma forma ou outra. Essa reclamação dele só mostra o despreparo dele para ser bombeiro. Não controla as próprias emoções, imagina quando algo ocorrer com o próprio Boden, será que ele teria a mesma frieza que o Comandante teve para lidar com a situação?

Severide e Stella tiveram o ponto alto do episódio. Sinceramente, eu achei que Grant iria atacá-los no final da quarta temporada. Muito me impressionou ele não ter feito nada. Entretanto, o caso dele era muito grave, e estar a solta pelas ruas com uma faca era perigo para Stella e para Sev, além de ser um problema para si. Gostei muito que Kelly se colocou a disposição no relacionamento para ajudá-la a lidar com esse problema. Mesmo dando uma imensa bola fora, ao responder mal o convite de Stella para morar juntos, ele se mostrou ser uma pessoa resiliente. O final do episódio, onde Grant e Sev e enfrentam, e o músico acaba se dando mal, vai dar muito pano para manga, e inclusive vai ser palco para o próximo episódio da série, “A Real Wake-Up Call”, que traz mais do que treta pro Sev.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=pYku4j9Vr4A[/youtube]

1 comentário

Adicione o seu
  1. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 14 outubro, 2016 at 07:58 Responder

    To passado com esse final. Fiquei moh aflito, mas sabia que ia dar treta. Aff, alguém mata esse Borelli, pelo amor. Já infernizava a vida em The Vampire Diaries, ta fazendo o mesmo por aqui…

    Muito feliz por Chicago Fire ter ficado lindona novamente, season 4 foi muito boa e essa premiere ta LINDONA!

Post a new comment