Chicago Fire – 5×10 – The People We Meet

Imagem: Elizabeth Morris/NBC

Imagem: Elizabeth Morris/NBC

 

Depois de uma semana de hiatus, retornamos com o episódio mais triste desta temporada (até então).

Severide, após o episódio do crossover com Chicago PD, ficou muito sentido com o fato de não poder doar sua medula para Anna, que estava debilitada por conta de uma sessão de quimioterapia. Mas Jeff Clarke trouxe o sentido à vida do bombeiro novamente, ao afirmar que Anna poderia receber a doação, já que tinha se recuperado rapidamente. Porém, durante um chamado, Kelly pula de um prédio em chamas, caindo diretamente no chão ficando desacordado. Isso trouxe mais um empecilho para a doação: com a queda, o tenente do Squad 3 foi acometido de um trauma no corpo, sendo impossível a aplicação da anestesia epidural. Depois de tanto colocar Severide como um personagem inconsequente, porém herói de todos, os produtores, aparentemente, começam a dar um sentido para a história dele, que há tempos não é bem desenvolvida (cadê sua irmã? Seu pai?). Na cara e na coragem, ele prefere sentir a dor de uma agulha lhe perfurando o osso do quadril do que ver Anna morrer. Foi ótimo ver que não era fogo de palha, que ele estava ali de corpo e alma. Melhor ainda foi ver que Stella se esforça também para estar ali para ele. Não acredito que eles possam ficar novamente juntos, mas é bom ver outra pessoa a não ser Casey e Boden dando apoio a ele.

Otis dessa vez teve uma ótima ideia. O Departamento lançou uma competição para mostrar aos civis como é o dia a dia de um bombeiro, e Otis queria fazer algo com seus irmãos de farda. Primeiramente, ele pensou em gravar um chamado, onde mostraria a rotina deles, mas nenhum chamado foi excitante o suficiente para o bombeiro fazer um vídeo a altura. Nem com o chamado de um acidente envolvendo um pai e seus três filhos foi capaz de erguer a moral de Otis. Novamente colocam os personagens “secundários” com pouca evidência. Continuo a reclamar sobre o lento desenvolvimento dos personagens. Gostaria de saber muito mais sobre Herrmann, Otis, Cruz, Mouch, até mesmo Capp, que tem cinco falas em cada episódio. Por sorte, tivemos um discurso maravilhoso de Boden, que beneficiou o vídeo de Otis, que ficou extremamente lindo.

Falando em desenvolvimento de personagens, tivemos a oportunidade de rever a parceria entre Brett e Cruz. A paramédica está tentando de várias formas conseguir uma conversa amigável com Diego, filho de Antonio, mas o menino é muito arisco. Por isso, ela tentou aprender xadrez para ter um assunto com o filho do namorado. Brett é sem dúvida um dos melhores personagens da série até então, e dentre todos os outros, é a que tem o desenvolvimento mais tranquilo. Ela é doce e mesmo tendo adversidades, consegue controlar tudo com calma.

Agora tudo que eu não queria que acontecesse com Casey e Dawson aconteceu. Andre, pai biológico de Louie, desistiu da guarda do menino em um primeiro momento, pois estaria voltando para o Afeganistão. Após conhecer o menino, ele mudou de ideia e disse que lutaria pela guarda do filho, o que deixou Gabby arrasada. A possibilidade de nunca mais conviver com o garotinho a abalou muito, mas também foi possível para a paramédica perceber que Louie seria tão ou mais feliz com sua família biológica. Com um desprendimento que jamais vi, Gabby e Matt devolveram o menino para o pai, depois de muitas lágrimas (inclusive desta que escreve a review).

Ela sofreu tanto pelo amor de Casey, por uma gravidez interrompida, pela perda de sua melhor amiga e pelo desmembramento do casamento de seus pais. Ainda assim com tudo isso, Gabby foi misericordiosa o suficiente para não pensar somente na sua posição, e sim na forma como Louie pode absorver tudo isso, e como ela deixaria uma família devastada se permanecesse com o processo de adoção. Mas espero que dias melhores venham para Gabby, ela e Casey merecem depois de tanto sofrer nas mãos da produção.

O próximo episódio, “Who Lives and Who Dies”, coloca Severide em uma sinuca de bico: Se entregar ao um possível novo amor com Anna, ou retornar com o relacionamento com Stella.

PS.: 

O que alguns aqui nesse Batalhão fizeram essa semana, sacrificar a própria saúde, a própria felicidade, pelo outro…esse é o verdadeiro significado do que nós fazemos.

– Chief Boden

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=X6e-KzyYFxI[/youtube]

 

Ana Maria de Oliveira

Ana Maria de Oliveira

Jornalista e uma decepção como digital influencer e youtuber. Desde 1993 sendo trouxa e shippando quem não deve. Aqui no Mix de Séries é editora e tradutora de notícias e escreve reviews de The Last Ship e The Rookie.

No comments

Add yours