Chicago Fire – 5×20 – Carry Me

Imagem: Elizabeth Norris/ NBC

Continua após as recomendações

Queria muito dizer que amei esse episódio, mas só senti tristeza pelo Severide e pela Anna.

Continua após a publicidade

Ele conseguiu encontrar alguém tão compatível, mas os roteiristas não podem deixar o personagem ser feliz. Sinceramente, não estou feliz com o rumo narrativo do personagem. Quantas conquistas Severide teve, com quantas pessoas ele ficou nessa série, provavelmente mais do que eu em toda minha vida? Depois de cinco temporadas, está mais do que na hora de fazer ele sentar e viver a vida como um homem com mais de 30 anos. Mas cada vez que lhe é dado a chance, o roteiro também é trazido uma possível desgraça pra não evoluir o status de relacionamento do nosso tenente. Isso cansa, o personagem acaba ficando no mesmo ciclo: Conhece -> Namora -> Uma desgraça -> Ele fica renegado da vida -> Vai para as festas. Está na hora de evoluir ele, pelo amor de Deus! (Gostaria de abrir um adendo e dizer que Stella Kidd é uma ótima personagem, e que se sair, vai ser um erro grande).

Já Casey e o complexo de salvador da pátria também precisa de evolução, Tudo ele conserta, tudo ele consegue arrumar. Essa situação com o Kannell é uma em que o meu saco para ele ficou transbordando. Gostava muito mais dele nas primeiras temporadas, onde ele não era tão forçado e tinha sim problemas bem maiores. Não sei se sou eu a ranzinza, ou a série deu uma esfriada monstra, mas o plot dele e da Gabby piorou depois da partida do Louie. O que o favorecimento a um personagem em detrimento de outro não faz em uma série. Agora vão levar o cara para o 51, pra ele se “restaurar”. Olha, que desperdício. Colocam fim a um plot tão bom quanto de Kelly e Anna para focar mais um pouco em Casey e suas amizades.

O trio Brett, Cruz e Otis, morando junto, deve dar alguns momentos cômicos. Acho impressionante o fato de que Brett e Cruz tiveram um caso, e mesmo com isso, eles se relacionam super bem, sem nenhum problema de comportamento de nenhum dos lados. Embora Cruz tenha sido 75% do tempo um porre, os três juntos é muito bom, precisavamos de mais interação. Assim como Herrmann, Mouch, Capp e Tony, que se tiverem duas falas no episódio é muito.

Dois episódios para a season finale e minha animação começa a murchar. Apenas na espera do episódio e de como lidar com ele depois!

2 comentários

Adicione o seu
  1. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 5 maio, 2017 at 15:34 Responder

    Eu achei muito bom esse episódio, assim com a temporada, tem mantido um nível altíssimo. É a melhor Chicago atualmente, em minha opinião.

    A eu ver, não querer que Severide não sofra é o mesmo que não querer que Meredith não sofra em Grey’s Anatomy. É o personagem que pregaram pra Cristo e ele vai assim até o fim, certeza. O negócio é abraçar a criatividade dos roteiristas.

    Eu estou muito satisfeito com a série…

    • Ana Maria De Oliveira Fernande
      Ana Maria De Oliveira Fernande 5 maio, 2017 at 23:24 Responder

      A diferença é que com a Meredith, os roteiristas conseguem dar uma evoluída. O Severide estagnou. Assim que ele começa a dar indícios de que vai evoluir, o roteiro traz ele pra baixo de novo. Não é a primeira vez.

Post a new comment