Chicago Fire & PD: a nova franquia bem sucedida de Dick Wolf

Elenco encabeçado por Jesse Spencer e Taylor Kinney em Chicago Fire.

Séries conquistam o sucesso de diferentes formas. Algumas conseguem com uma alta audiência, outras com um grupo de fãs sólidos… Entretanto, algumas séries conseguem o sucesso sem qualquer um destes impulsos, tendo apenas qualidade em suas histórias. E é isso que a nova franquia que Dick Wolf vem produzindo para a NBC.

Continua após publicidade

Quando estreou em setembro de 2012, Chicago Fire não recebeu muito destaque. Seu piloto foi assistido por modestos 6 milhões de espectadores, e seu elenco é composto por 90% de atores desconhecidos pelo público. Dos rostos conhecidos, se destacam apenas Jesse Spencer (que ficou conhecido pela série House) que da vida ao Tenente Casey, e Taylor Kinney (que já tinha feito participações em The Vampire Diaries, Castle e protagonizou a série Trauma em 2009) no papel do Tenente Severide. Entretanto, pouco a pouco, o show que tem a tarefa de mostrar o cotidiano dos bombeiros de Chicago – e consequentemente o drama de suas vidas pessoais, foi cativando o espectador com boas histórias, dramas intrigantes e cenas de ação que foram melhorando ao decorrer de sua primeira temporada. Logo, a série acabou se consolidando nas quartas às 22h, na faixa dos 7 milhões, e com demo 2.0 na faixa etária 18-49, provando ser um show mesmo que modestamente, caiu na graça do público.

Continua após a publicidade

 

Continua após publicidade
Elenco encabeçado por Jesse Spencer e Taylor Kinney em ação na série conduzida por Dick Wolf.
 

Apesar de ter sido criada por Michael Brandt e Derek Hass que já tinham realizado parcerias no cinema como + Velozes + Furiosos (2003) e Os Indomáveis (2007), Chicago Fire é produzida pela mente por trás da franquia Law & Order: Dick Wolf. Seu nome é muito respeitado no meio da TV, e muito se vê de sua marca “realista” na série dos bombeiros, que foi consagrada nos Estados Unidos durante os anos 1990. O preconceito foi sendo vencido pouco a pouco, quando Fire demonstrou não ser apenas uma série com bombeiros “boa pinta” que fazem as mulheres suspirarem. Muito pelo contrário, o apelo sexual da série é quase mínimo, frente às situações de risco que os personagens enfrentam semanalmente. Mas claro que, sobra espaço para as boas e velhas discussões e triângulos amorosos, problemas familiares e todos aqueles plots que um bom apreciador de séries de TV gosta. Prova disso é que os treze episódios encomendados inicialmente, logo se tornaram dezoito, mas a primeira temporada da série acabou tendo impressionantes vinte e quatro episódios – 11 a mais do que previsto inicialmente.

E a NBC mostrou tanto confiar no potencial da série que, antes mesmo de confirmar a renovação de Chicago Fire, o canal já tinha anunciado que a série iria ganhar um spin-off – as famosas séries derivadas, que acompanharia um departamento de polícia de Chicago, tendo o personagem de Jason Beghe, o Sargento Voight como protagonista. Chicago PD logo foi ansiada pelos fãs da série dos bombeiros, ainda mais porque ao contrário de Fire, seria uma criação direta de Dick Wolf – que cá entre nós entende bem em fazer séries policiais. A expectativa para a série dos detetives e homens que servem o Departamento de Polícia de Chicago foi bem grande: seu piloto foi assistido por mais de 8 milhões de pessoas além de ter consolidado uma demo 2.0. Com poucos episódios, a série já se apresenta sólida, sendo o resultado já o esperado: tanto Fire quanto PD foram renovadas para suas respectivas terceira e segunda temporadas.

Continua após publicidade

 

Jason Beghe e Sophia Bush são as principais estrelas de Chicago P.D.
 

O novo “império” de Wolf na TV ainda está tímido e no início, mas já se especula em várias mídias que a NBC em breve poderá encomendar um terceiro ato da franquia, desta vez tendo como foco um hospital na cidade de Chicago. Quando questionado sobre isso, Dick não fechou a possibilidade, mas explica que há prioridades, como tornar Fire e PD grandes sucessos. Entretanto, o veterano escritor aponta que a razão de seus novos shows serem tão grandiosos é justamente por se situarem em Chicago (que foi o lar de E.R. – Plantão Médico por quinze anos, e é atualmente de The Good Wife, Mike and Mollly, The Crazy Ones entre outras). Segundo ele, a cidade representa maravilhosamente bem os melhores dos valores e ideais americanos, paralelo a características ruins que são um prato cheio para programas como Chicago Fire  e  Chicago P.D.  E acrescenta-se a isso, a importante interação que ambas as séries podem proporcionar por se passarem no mesmo local – diferente da maioria dos spin offs que geralmente se ambientam em locais diferentes. Essa facilidade permitem por exemplo que personagens possam flutuar entre ambas as séries, como é o caso da Detetive Lindsay, interpretada por Sophia Bush em Chicago PD., que está sempre marcando presença na série dos bombeiros.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

Se você ainda não conferiu nenhuma das duas séries, já tem dicas para uma próxima maratona. Com certeza, será um entretenimento certo.  E o desejo que fica é que a franquia continue crescendo em qualidade, e que possamos em breve termos mais uma “cria” deste universo. Parabéns Dick Wolf e vida longa a Chicago Fire e Chicago P.D.