Chicago Justice – 1×10 – Drill

Imagem: NBC/Divulgação
Imagem: NBC

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

O décimo episódio desta temporada se superou. Foram colocadas à prova a forma e a importância que devemos dar a lei e como usá-la a nosso favor. Peter conseguiu reverter seu caso e prender o verdadeiro culpado pelo assassinato. Numa briga entre gangues todo mundo sai perdendo e sempre sobra para pessoas inocentes. A bola da vez fica por conta do assassinato de uma criança inocente.

Continua após a publicidade

Stone conseguiu neste episódio mostrar mais seus ideais. Não que ainda não tenha mostrado anteriormente, mas digamos que ficaram mais evidentes, dadas suas ações que envolveram o caso: Brigar com juízes, achar brechas na lei a seu favor, fazer com que juízes cortem a linhas de telefonia móvel das gangues para evitar encontros considerados “mortais”… Toda essa sequência de acontecimentos mostra que ele não desiste até conseguir resultado favorável. Isso tudo é uma virtude. Persistência nos seus objetivos.

Continua após publicidade

A interação entre Stone e Ana já é bem interessantes bem como Dawson e Nagel já mostraram que podem trabalhar em equipe. Aliás, gente, Laura melhorou bastante. Desde que conhecemos sua história e toda a questão da sua filha, passei a admirá-la. Com toda certeza ela vem conseguindo seu destaque e já consegue ser diferencial em alguns casos da promotoria.

Justice tenta mostrar por trás dos casos, o que, claro, já é característico nas demais séries da franquia como, por exemplo em Med, é tentar passar a moral da história, o lado humano das coisas, com intuito de revelar que nem sempre o que de fato aconteceu é o que que enxergamos. Assim, sinceramente, acredito que Justice será renovada. Podem me jogar pedra, mas  aprendi a gostar da série e hoje vejo os episódios com outra perspectiva.

Continua após publicidade

Voltando ao caso, Stone consegue sucesso no julgamento, mais uma vez para variar, usando um réu inocente para convocar o assassino como testemunha no tribunal. E com o desenrolar do julgamento, através de sua lábia, faz o verdadeiro culpado ser condenado. Mais uma vez, ponto para Stone.

PS.: E que final foi aquele? Fiquei muito triste com a morte do tio do garoto. Ele não merecia morrer, mas as gangues não perdoam traição. Antes de mostrar qual havia sido o crime, eu já imaginava que tivesse sido o tio ou o garoto.

E aí, o que estão achando da série e desta primeira temporada? Deixem suas impressões.

A seguir segue a promo do próximo  episódio para vocês curtirem. Abraços e boa semana. 🙂

[spacer height=”20px”]