Chicago Med – 1×08 – Reunion

Chicago Med 1x08
Imagem: NBC/Divulgação

 

Continua após publicidade

 

Continua após a publicidade

Um episódio mais calmo que os demais foi o que Chicago Med apresentou na semana em que a NBC renovou a série para um segundo ano. Mas mesmo em episódios mais tranquilos, o show consegue manter sua essência e tratar de assuntos delicados de um jeito único.

Continua após publicidade

Nesta semana o contraste social ficou bem em evidência com os pacientes do Dr. Choi e do Dr. Rhodes: um príncipe saudita, que recebeu um tratamento de primeira para um desvio por trombose pulmonar, com um dos maiores médicos do país, e um veterano da marinha que trabalhou com Ethan, que ficou meses sem diagnóstico e tratamento para câncer de colo por conta da precariedade do hospital que atende os militares. Duas realidades completamente diferentes e que coloca em foco o dia dia de muitos locais por este mundo afora. Aparentemente, servir o país não basta para que se tenha uma saúde de qualidade, e a crítica social por trás deste caso foi bem interessante. Gostei muito da atitude do Dr. Choi, principalmente ao ir atrás do hospital dos veteranos e confrontar a realidade de lá. Obviamente não resultou em nada, mas muito legal ver seu envolvimento. É um personagem que devemos sempre prestar atenção. Ethan e Connor conseguiram ajudar o comandante que no final conseguiu participar de uma Reunião de ex-combatentes a qual tanto queria.

Enquanto desembolava o seu flerte com o rapaz do laboratório – que bem estava no Tinder, Sarah atendeu uma paciente bêbada com sua amiga, que aparentemente estava apenas alcoolizada. Mas outros sintomas levaram a estudante investigar mais afundo e diagnosticar Doença de Lyme. Apesar do caso ter sido superficial, serviu para mostrar que a Dra. Reese é uma forte candidata a ser uma importante médica na trama ainda. Mal podemos esperar para ver o seu amadurecimento.

Continua após publicidade

Mas um dos principais casos do episódio foi a da paciente da Dra. Manning que deu entrada no Chicago Med diagnosticada com “Doença do Mito”, erroneamente. A trama, bem desenvolvida por sinal, chamou atenção para o fato de as vezes a cegueira da paternidade atrapalhar em determinadas ocasiões. Neste caso, o pai que havia perdido a esposa, descontou na filha como forma de se manter ocupado no luto, fazendo sua filha projetar sintomas que o tomavam atenção. Dr. Halstead e Dr. Charles participaram do caso que acabou afastando o pai da filha por abuso infantil. Achei a proporção final um tanto exagerada, mas foi bem interessante de se acompanhar. Parece que no final acabou tudo dando certo, e o pai após muito custo, conseguiu enxergar toda situação. Dr. Charles mais uma vez salvando o dia.

Foi um bom episódio, mais morno do que os anteriores, mas mantendo a qualidade de sempre. Estes temas mais delicados tem aparecido frequentemente na série e acho muito bom que ela caminhe por este ótica. Sempre bom vermos séries médicas tratando de uma realidade que não estamos acostumados a ver na TV.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

Na semana que vem, Will vai enfrentar a todos do hospital para tentar salvar uma paciente com câncer. Até lá…

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=DZrpOOpClWk[/youtube]