Chicago Med – 1×13 – Us

Chicago Med 1x13
Imagem: NBC/Divulgação

 

Continua após publicidade

A habilidade e o instinto médico foram colocados a prova neste episódio de Chicago Med. Presenteando esta temporada com mais um episódio incrível, esta semana alguns de nossos médicos enfrentaram intensos desafio em mais um dia de plantão.

Continua após a publicidade

É chegado o dia da designação de Reese na residência e por mais que ela tenha passado o episódio inteiro falando o quão ela queria ir para Patologia, tivemos a certeza que é na emergência o seu lugar. Foi incrível vê-la salvar aquele paciente que achava ter um problema de sinusite, mas que na verdade tinha um fluído cerebral. Mais ainda, ver o Dr. Choi cobrindo-a com Goodwin, que foi chamá-la atenção por fazer um procedimento sem autorização. Porém, Reese teve o instinto que qualquer bom médico teria. Ela salvou uma vida e viu que, de alguma forma, via a emergência como o seu lar. Será que ela vai voltar?

Continua após publicidade

Um caso interessante me chamou atenção que foi a da mulher atingida por um pedaço de gelo, ocasionando morte cerebral. Na conversa sobre doação de órgãos, o marido resolve que gostaria de ter um bebê com os óvulos da sua esposa, o que, deveria-a manter viva enquanto isso. Porém, mesmo com a afirmação do marido de que eles estavam tentando engravidar, Will descobre que ela estava realizando métodos contraceptivos, o que inviabilizaria o procedimento. Mesmo assim o rapaz quis seguir em frente, e foi na sabedoria de Goodwin que Will visualizou toda essa história. “As vezes, queremos acreditar tanto em uma coisa, que ignoramos a realidade na nossa frente”.

Essa frase, inclusive, caiu como uma luva para Will em muitos sentidos. No caso de sua ex-paciente com câncer terminal, que finalmente faleceu após passar um tempo no tratamento experimental, e depois, com o placebo, mas também em sua relação com Natalie, que estava cada vez mais conflituosa. Parece que ele fechou alguns ciclos em sua mente, e esta pronto para seguir em frente, como ele mesmo disse. Seguir em frente pessoal e profissionalmente. Este foi o primeiro episódio que, de fato, gostei do personagem. Ele esteve bem, deixou a teimosia de lado, chegando até concordar com Rhodes nos procedimentos (bromance a vista?) e esteve mais centrado em apenas cumprir o seu trabalho. Mas poxa Dick Wolf, não vai mesmo rolar Natalie e Will agora? Quereeeemos!

Continua após publicidade

O Dr. Charles, como sempre, teve também um ótimo caso em mãos. Desta vez, um homem com Transtorno de Identidade de Integridade Corporal acreditava firmemente que seu braço não pertencia a ele, e foi um caso complexo de ser trabalhado. Porém, parece que o Dr. Charles tem tido certos problemas ao lidar com seus pacientes – visto o rapaz do episódio passado, e de alguma forma, o roteiro parece nos indicar que teremos algum conflito sendo explorado com o psiquiatra. Seria ótimo não?

Mais um bom episódio de Chicago Med, que ainda teve um rápido caso que proporcionou um possível “namoro” para April, e o batizado do filho de Natalie, que foi o grande “Us” do título. A família dos médicos esteve simbolizada ali, na saída de Reese, no acobertamento do Dr. Choi, na resolução dos conflitos do Will e no batismo do filho de Nat no hospital, a “comunidade” que ela se sente bem. Com emoção na medida certa e um roteiro redondinho, foi apenas mais um dia comum (leia-se muito bom) no Chicago Medical Center.

PS.: Me emocionei na cena com o marido da paciente de Will o agradecendo. Parece que ele tirou um peso gigante da costas. Será que vamos começar a gostar do personagem?

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=9iYZl7M3ESw[/youtube]

Criador do Mix de Séries, atua hoje como redator e editor chefe do portal. Especialista em SEO e construção de textos para internet, também atua como webwriter com foco em textos para o Google. Autor na internet desde 2011, passou pelos portais TeleSéries e Box de Séries. Fã de carteirinha de Friends, ER e One Tree Hill, é aficionado pelo mundo dos seriados. Também é fã de procedurais, sabendo tudo sobre o universo das séries Chicago, Grey's Anatomy, e séries de sucesso como La Casa de Papel e Lucifer. Também é fã da DC Comics, e acompanha produções inspiradas em personagens da editora, como Titans e até o mais recente produto da editora, Sweet Tooth.