Chicago Med – 1×14 – Hearts

Chicago-Med-1x14
Imagem: Arquivo Pessoal

[spacer size = “20”]

Continua após publicidade

Mesmo em um episódio mais tranquilo como “Hearts”, Chicago Med expressa em seu texto a profundidade em que explora os sentimentos dos médicos, pacientes e enfermeiras deste hospital, proporcionando ao expectador uma experiência quase que real ao assistirmos estas histórias.

Continua após a publicidade

Os casos da semana foram bem dosados e um que mereceu grande destaque foi o tratado pela Dra. Manning e pelo Dr. Charles. Um garoto que chegou a emergência com o braço fraturado fez os médicos levantarem suspeitas de abuso infantil contra os pais, mas a verdade é que Dr. Charles percebeu que o irmãozinho do paciente, na verdade, tinha uma tendência a se transformar em um sociopata. Acho muito interessante o quão essas séries médicas batem na tecla do abuso infantil, e Chicago Med demonstrou neste episódio que o abuso pode ser praticado não só por adultos, mas também por outras crianças. O caso foi muito bem trabalhado e, infelizmente, os pais acabaram fazendo nada em relação ao abuso. Se você fosse um dos pais, que atitude tomaria? Iria se separar de um dos filhos para tentar proteger o outro? Uma situação delicada, sem dúvidas.

Continua após publicidade

Outro caso que chamou atenção foi o do paciente veterano de guerra do Dr. Choi, que parecia ser inicialmente um paciente com distúrbio mentais mas, foi diagnosticado com uma doença de coração, decorrente do seu período enquanto combatente. O caso serviu para explorar ainda mais os dramas destes homens e a falta de assistência, em algumas situações, dos centros de tratamentos e hospitais dedicados à essa especialidade. Além disso, o Dr. Choi vem se abrindo, não só para os personagens da série, mas também para o público, mostrando que atrás daquele cabelo com 5 kg de gel existe resquícios do que parece ser outra vida.

Não menos importante, o Dr. Rhodes serviu como exemplo para a lição de que em um dia você pode ir do céu ao inferno. Em um instante, o médico estava comemorando a vitória de uma cirurgia, e no outro, o fracasso de perder uma paciente, que de alguma forma impactou o médico – talvez por ela ter acordado no meio da cirurgia e o encarado antes de falecer. O choro em seu carro serviu para mostrar que ali todos são capazes de errar, acertar, comemorar e sofrer. São diversas emoções que transitam entre estes profissionais em um mesmo turno.

Continua após publicidade

Apesar de ter sido um episódio mais lento, como já ressaltei, “Hearts” serviu para trabalhar melhor a emoção de alguns personagens que poderiam, ainda, serem vistos pelo público como “arrogantes” ou “sem sentimento”. E verdade seja dita, episódios assim, que contribuem para e evolução dos personagens são sempre muito bem vindos.

[spacer size = “20”]

P.S.: Alguém arrume um plot decente pra Maggie? Fica só bisbilhotando a situação amorosa dos médicos? Ela já provou que, quando quiserem, ela está pronta para protagonizar uma boa história!
P.S.2.: E a Reese tadinha? Vai ficar presa na patologia? 🙁

[spacer size = “20”]

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=MqUSvvdbDN0[/youtube]

Criador do Mix de Séries, atua hoje como redator e editor chefe do portal. Especialista em SEO e construção de textos para internet, também atua como webwriter com foco em textos para o Google. Autor na internet desde 2011, passou pelos portais TeleSéries e Box de Séries. Fã de carteirinha de Friends, ER e One Tree Hill, é aficionado pelo mundo dos seriados. Também é fã de procedurais, sabendo tudo sobre o universo das séries Chicago, Grey's Anatomy, e séries de sucesso como La Casa de Papel e Lucifer. Também é fã da DC Comics, e acompanha produções inspiradas em personagens da editora, como Titans e até o mais recente produto da editora, Sweet Tooth.