Chicago P.D. – 3×03 – Actual Physical Violence

Chicago-PD
Imagem: Stefs Lima/Arquivo Pessoal

 

Continua após publicidade

Que episódio espetacular! Se há um tipo de trama que Chicago PD desenvolve com maestria é drama familiar carregado de verossimilhança. São esses que acabam levados para o lado pessoal e que mudam drasticamente a rotina da equipe. De novo, as emoções ficaram à flor da pele com a abertura de mais um retrato da vida real e que mexeu muito forte com os nossos detetives.

Continua após a publicidade

Mouse refém? Tráfico e prostituição? Vovô Voight? Socorro! Foi um episódio de encher os olhos, muito inteligente e emocionante. A tramoia da vez eletrizou, foi carregada com a dose certa de tensão, fez um rodízio excelente dos personagens e o último suspiro deu motivo para qualquer um se debulhar em lágrimas.

Continua após publicidade

E não menos importante: não foi a equipe que dissolveu a investigação, mas sim a menina Sarah que, literalmente, deixou todo mundo petrificado e se saiu como a heroína da situação toda.

O caso deu oportunidade para quem há muito tempo estava apagado em CPD. Sempre fico contente quando Platt sai de trás daquela bendita mesa. Espero que isso aconteça mais vezes, pois Amy tem um potencial tão grande e ver sua personagem fazendo vários nada me deixa frustrada. Quem também fez a diferença foi Atwater, outro que precisa de uma história para deixar de ser avulso.

Continua após publicidade

Mouse ganhou a chance de sentir em que ambiente aceitou trabalhar e influenciou no peso da dramática. Porém, o que se destacou foram alguns teasers sobre a relação dele com Jay. Essa foi a parte do episódio que mais me intrigou e não é de hoje. Desde a temporada passada, esses dois ficam de burburinho, mas nada é dado efetivamente. Quero muito que a vida deles no exército venha à tona e espero que Lindsay cutuque essa ferida por causa da dica do Will. Estou bastante curiosa.

E o que dizer da Michelle na academia do Antonio? Já era tempo e gostei de ver a menina inserida justamente no propósito do local: salvar a vida de crianças que passam pela criminalidade.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

O clima familiar (ou quase) empurrou um pouco mais a storyline de Erin. Gente, alguém cancela a Bunny? Ela estava irredutível, como se fizesse um favor banir Voight do universo. É uma personagem com uma mente muito difícil de compreender, pois o que fez foi meramente por não aceitar um não como resposta e por ter sido trocada. Quero só ver as consequências provocadas pela sua pessoa e já agradeço por isso devido ao destaque que Hank terá semana que vem.

Até que isso aconteça, nada como curtir um bom jantar… Ou quase! Voight também estava em clima de família por causa da presença de Justin, mas o plot twist botou tudo a perder. Achei muito linda a curta cena que pai e filho compartilharam, um novo sopro para essa relação que um dia foi muito conturbada. Uma cena curta que disse muito, especialmente por moldar o clima que nos fará sentir na pele o que é tirar o Sargento do eixo – e mexer com seu netinho.

Voight pode ter tido um comportamento exemplar desde que assumiu a Unidade de Inteligência, mas James Beckett está livre, parece que quer brincar de vingança e, melhor, cutucar o passado do Sargento. O quanto Hank revelará sobre o caso que mentiu e que colocou um inocente na cadeia? Era inocente mesmo? Veremos nos próximos capítulos de Chicago PD.