Conheça O Hipnotizador, nova série da HBO Latin America

No dia 18, rolou o junket de O Hipnotizador, nova série da HBO Latin America, que contou com a exibição do primeiro episódio e com uma coletiva de imprensa.

O Mix de Séries esteve presente e eis um resumão de quase tudo que vocês precisam saber antes de imergir nessa hipnose na companhia de um elenco de primeira.

 

Um olhar sobre a série

Continua após a publicidade

Hipnotizador-1

 

O Hipnotizador é inspirado nos quadrinhos de mesmo nome (El Hipnotizador em espanhol), assinados por Pablo de Santis. Essa superprodução quase encontrou no Brasil suas principais locações, mas as dificuldades transferiu tudo para o Uruguai.

O projeto cruzou algumas fronteiras da América Latina, a começar pelo elenco formado por Leonardo Sbaraglia, renomado por seu trabalho na série Epitáfios, e por estrelas nacionais, tais como Bianca Comparato, Juliana Didone e Chico Diaz. Há também uruguaios, portugueses e espanhóis, compondo um grupo rico em talento e em linguagem.

É capaz que vocês capturem no primeiro episódio uma atmosfera muito parecida com American Horror Story e Penny Dreadful. Tons escuros, clima nublado, ar melancólico e incidentes que dão aval as mais tenebrosas histórias são algumas características de O Hipnotizador.

Quem nos torneia por essa bad vibe é Arenas, o hipnotizador, que nos deixa com a pulga atrás da orelha logo de cara. Sabemos o que ele faz, mas não o que o aflige. O personagem é sombrio, fechado, claramente com uma alma torturada. Tudo na caracterização desse personagem é sobrecarregado, desde o falar lento e cansado, até as feições abatidas.

Seu mecanismo de defesa é a hipnose, habilidade que o torna mais enigmático e pouco confiável.  Um pensamento que logo muda quando Arenas se hospeda em um hotel, onde as primeiras impressões sobre ele, e sobre a atmosfera da série, são elencadas por aqueles que o recebem. O local é famoso por atrair pessoas estranhas e o recém-chegado tem uma presença gélida ao ponto de diminuir a temperatura de quem está ao redor. Um combo de suposições que aumenta as dúvidas em torno desse homem que é intrigante, mas não mais que seu passado deixado nas entrelinhas.

 

O passado é um grande tema da série e a hipnose entra como resolução. Arenas se sobressai como um elemento-chave para tornar as reticências dos tormentos de quem recorre por seu auxílio em ponto final. No primeiro episódio, temos um gostinho disso por meio de Lucía, que descobre do jeito mais doloroso quem se escondia atrás de uma máscara de pássaro. Em contrapartida, o hipnotizador não consegue se ajudar. O que o atormenta não foi resolvido e é dado em curtos e incógnitos retrocessos que só aumentam a curiosidade de saber o que aconteceu.

Em clima de mistério, há espaço para o conflito, e isso acontece na forma de Darek. O vilão, muito bem interpretado por Chico Diaz, não gosta da ideia de ter um concorrente que domina a hipnose mil vezes melhor que sua pessoa. O que o personagem quer é afundar Arenas em um sono profundo para ser o único ponto de referência com relação à prática dessa habilidade.

O Hipnotizador tem uma pegada inicial de resolver um caso por meio da hipnose a cada semana. Resoluções assertivas que não dão brecha para pensar no que virá a seguir. Esse viés foi bem alinhado na trama para mostrar a habilidade de Arenas e o efeito dela nas pessoas. Contudo, isso deixou uma insegurança no ar, pois sabemos que nada se muda no passado. A princípio, a ideia é envolvente, mas foi impossível não cogitar a ausência de ganchos impactantes no futuro. Há a promessa disso mudar após o 3º episódio, então, só acompanhando para saber.

Por outro lado, O Hipnotizador fugiu das apresentações típicas. Geralmente, damos de cara com pilotos que se preocupam com a introdução dos personagens, do local, e que deixam claros possíveis parcerias e inimizades. Nada disso acontece no primeiro episódio da série. O coração da narrativa é a hipnose, a habilidade que salvará muitas pessoas e, assim espero, o protagonista que não consegue desvendar o próprio passado. Nesse quesito, o começo dessa história foi fiel à proposta.

A trama se apoia na intriga entre verdade e ilusão que, muitas vezes, se fundem e nos impedem de ver um problema ou um trauma em sua forma crua. Há muitas conexões na trama e todas se amarram na proposta de que os problemas da vida estão relacionados ao passado. Tudo direciona a uma noite de sonhos ruins e Arenas é a única incógnita, muito consciente do que deve temer e de quantas barreiras deve quebrar. Isso, mentalmente falando.

 

Acreditem no que digo: essa superprodução é extremamente ousada e de encher os olhos! O clima denso é atrelado a um suspense que promete ser impregnante e arrebatador. Um trabalho entregue a uma direção de arte impecável, com recortes da cidade de Montevidéu. A edição de som e de imagem é um motivo a mais para conferir esse projeto que demorou 2 anos para ficar pronto.

Se há uma forma de resumir a série, diria que é a psicologia em tom resoluto. É um embate entre mentes em que só a mais treinada conseguirá ser vitoriosa.

 

Outros detalhes que vocês precisam saber

O-Hipnotizador

Imagem: Stefs Lima

 

Eis alguns highlights da coletiva de imprensa que contou com a presença de parte do time de produtores, os diretores, parte do elenco nacional – Chico Diaz, Bianca Comparato e Juliana Didone -, e, claro, Leonardo Sbaraglia.

 

A tecla SAP entre português e espanhol

Um dos pontos altos de O Hipnotizador é o diálogo bilíngue. Arenas manda ver no espanhol enquanto Anita, personagem de Comparato, manda ver no português. Há aqueles que dialogam nas duas línguas também. É um processo que transcorre de um jeito muito natural. É até engraçado o  impacto dessa troca, pois uma hora escutamos o protagonista em espanhol e depois Darek em português. Você fica um pouco zonzo, mas logo se acostuma.

Essa mistura de línguas foi um detalhe que a própria HBO Latin America deu cartão verde. Rodrigo Teixeira, um dos produtores, explicou que a troca entre português e espanhol é o grande diferencial da série. Trata-se de uma oportunidade para o projeto dialogar com outros países, especialmente porque o Brasil é muito isolado no quesito linguagem. Maria Angela de Jesus, também produtora, afirmou que essa diferença de idiomas é intencional, pois ela faz parte dos dois mundos da série, que é dividido por uma fronteira.

Vale um adendo sobre o discurso de Arenas na série, um falar muito marcante. Sbaraglia afirmou que seu personagem é um aconselhador, por ter influência sobre os demais, e os diálogos vêm com a proposta de hipnotizar o telespectador e mexer com a imaginação.

 

Diferenças entre a série e os quadrinhos

Nesse caso, há mais semelhanças que diferenças. O que aconteceu foi a expansão do universo partindo da mesma premissa, o que abriu espaço para a maioria dos personagens crescer. Os quadrinhos funcionaram como um excelente guia para desdobrar e destrinchar plots e subplots que foram escritos por Pablo em 3 ou 4 páginas. A série inchou o material, aprofundou algumas histórias e estreitou algumas relações. E isso inclui os casos de hipnose.

 

Ambientação

O Hipnotizador é uma série que brinca com a nossa imaginação. Os envolvidos querem a imersão total do público. Que criemos impressões do que acontece a cada episódio.

Isso se aplica ao tempo da série. Não há um século, tampouco um país. Sabemos que há uma fronteira, que simboliza a importância da troca de línguas, mas Arenas pode estar em qualquer lugar. O plano de fundo fica à mercê do que captamos e moldamos como certo nas nossas mentes.

Alex Gabassi, um dos diretores gerais, citou uma referência temporal para salientar a lógica da trama: o período entreguerras. Uma época em que as pessoas estavam desoladas e desesperadas para saber do futuro.

Mesmo sem querer, dá para captar esse melancolia na série. A sombriedade dos episódios denuncia essa tristeza, essa necessidade de traduzir pensamentos e sentimentos por meios nada confiáveis.

 

Anotem aí!

O Hipnotizador estreará no dia 23, próximo domingo, com exibição simultânea às 21hrs. Ela contará com 8 episódios de 1 hora. Calma que se você perder um, há chance de vê-lo nas plataformas HBO GO, HBO On Demand, hbomax.tv e no canal do YouTube da HBO Brasil.

E não só isso: se você estiver em São Paulo, corre lá no shopping Cidade São Paulo (Av. Paulista nº 1230). Há um espaço interativo para que todos sintam o feeling da série, com cenários chave dos personagens principais. A experiência vai até 31/08 e a entrada é gratuita.

 

Fiquem com a promo do 1º episódio:

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=JK1MLFM392E[/youtube]

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

2 comments

Add yours

Post a new comment