A corrida pelo Emmy: as Melhores Séries e Minisséries

editorialemmy

Melhor Série – Drama

Depois das despedidas de Breaking Bad e Mad Men e uma enxurrada de estreias de qualidade, a corrida pelas principais categorias do Emmy ficou aberta. Ainda temos alguns exemplares veteranos na jogada, como Game of Thrones, Homeland e Downton Abbey, mas a disputa está mais incerta do que nunca. Enquanto GoT retorna para defender o prêmio conquistado na última edição, Downton busca a consagração final com sua temporada derradeira. Além delas, ainda temos Mr. Robot, como a novidade mais ameaçadora, e House of Cards, como um dos votos mais seguros do ano. Neste quadro, quem pode levar a melhor?

Continua após a publicidade

A esta altura é impossível afirmar. Diria que três séries disputam as atenções de forma mais direta: GoT, Robot e HoC, com ligeira vantagem para as duas primeiras. Mas vamos com calma. O objetivo deste editorial é discutir os possíveis indicados. Os possíveis vencedores é assunto para outra conversa. Assim, é possível sugerir com certa segurança alguns nomes: além das três séries já citadas, outra que é garantida é Better Call Saul. Logo, das sete vagas, quatro parecem já ter dono. Mas e os outros três espaços?

Dói afirmar, mas Downton Abbey parece ter grandes chances de ser nomeada. É uma pena que a série seja indicada mesmo que sua qualidade tenha se perdido há um bom tempo. Os votantes, que teimam em indicar o programa todos os anos, devem prestar uma última homenagem, nomeando a temporada final. Caso o desfecho fosse realmente bom e tivesse gerado burburinho na mídia e entre o público, as chances de vitória, inclusive, seriam grandes. Na atual situação, a nomeação deve ser prêmio suficiente.

behind_the_scenes_game_of_thrones_battle_of_winterfell_no_film_school

Restam, então, duas vagas. E aqui a coisa se complica. Alguns jornalistas insistem em apostar em The Americans. O problema não é que a série não seja boa ou não mereça, mas sim o fato de que os votantes do Emmy parecem não gostar do programa como a crítica gosta. As chances são remotas, assim como em todos os anos que antecederam este. Os apostadores ainda falam em Homeland, e embora a série do Showtime ainda tenha fôlego, o brilho parece ter passado. De todo modo, a trama protagonizada por Claire Danes tem mais chances de indicação do que The Americans.

Neste sentido, Orange is the new Black se beneficia. Mas não se engane: a série da Netflix concorre nesta edição pela terceira temporada, e não pela quarta, recém lançada na plataforma. Orange, assim como House of Cards, é um voto seguro. Não há, até agora, temporada fraca da série, e indicá-la seria uma aposta segura que ainda agradaria público e crítica. Para finalizar, caso a Academia não indique Homeland, não se surpreenda caso veja The Good Wife na lista. Ainda que não tenha a força de outrora, a série ainda tem respeito entre os votantes, e por ter acabado no último ano, as chances aumentam.

Mas quem realmente merece estar na lista? Várias outras séries que infelizmente não possuem grandes chances. The Knick e The Leftovers são duas das melhores do ano, mas ambas estão bem distantes da indicação. E a lista continua: Penny Dreadful e sua última temporada mereciam a nomeação tanto quanto Game of Thrones; Billions talvez tenha sido a melhor coisa que o canal Showtime exibiu nos últimos meses. Ainda temos UnReal, Hannibal (também representado pela temporada final), Vinyl, Masters of Sex, The Affair, Outlander etc. Daria para fazer uma lista só com as grandes séries que ficarão de fora.

Possíveis indicadas a Melhor Série – Drama

Game of Thrones

Mr. Robot

House of Cards

Better Call Saul

Downton Abbey

Orange is the New Black

Homeland

Quem merece ser indicada: The Knick e The Leftovers, sem discussão. Billions e UnReal também cairiam bem.

Quem não merece ser indicada: Downton Abbeysérie boa que perdeu o brilho e a força.

Melhor Série – Comédia

Não é só a categoria dramática que possui diversas séries de qualidade que, infelizmente, ficarão de fora da lista final. Das sete vagas, três parecem certas: Veep, atual vencedora, Transparent e Modern Family. É bem verdade que esta entrará na jogada mais pelo nome e pelo histórico do que pela qualidade, em detrimento de outros programas melhores ou mais relevantes. Vale apontar, aliás, que é uma pena que o Emmy saia de uma mania para entrar em outra. Não há graça ou justiça em parar de premiar Modern para premiar seguidamente Veep, que é o mais provável a acontecer. Este é um problema da categoria de comédia: premiar diversas vezes o mesmo projeto apenas para pular para outro e premiá-lo várias vezes.

 

Imagem: arquivo pessoal.

Quem pode se beneficiar na corrida pelas indicações é a Netflix, que pode emplacar duas séries entre as nomeadas. Unbreakable Kimmy Schmidt e, principalmente, Master of None têm boas chances. Outra plataforma online que pode se dar bem é a Amazon: além de Transparent, Mozart in the Jungle pode surpreender. Isso porque a série com Gael Garcia Bernal venceu o Globo de Ouro e isso alavancou a carreira do show entre o público e a crítica. Além disso, Mozart é um ótimo programa, e indicá-lo seria não só lógico como justo.

Para completar a lista, temos Silicon Valley e Black-ish. A série da HBO já recebeu atenção da Academia, que pode abrir os braços para receber Black-ish, o que ainda tornaria a categoria ainda mais diversificada e abrangente. Mas quem merecia espaço? De cara, cito três títulos: Love, Those Who Can’t e Vicious. São três séries pouco conhecidas, é verdade, mas que merecem destaque. Love, apesar das críticas, é a melhor comédia da Netflix lançada recentemente; Those Who Can’t é totalmente descompromissada e boba, e, por isso, merece uma chance. Já Vicious é uma das coisas mais engraçadas que a televisão produziu nos últimos anos. Seria uma ótima chance do Emmy homenagear o programa que acabou este ano.

Possíveis indicadas a Melhor Série – Comédia

Veep

Transparent

Modern Family

Master of None

Unbreakable Kimmy Schmidt

Silicon Valley

Black-ish

Quem merece ser indicada: Love, Those Who Can’t e Vicious. Caso Horace and Pete fosse classificada como comédia, deveria ser indicada sem sombra de dúvidas. Broad City e Crazy Ex-Girlfriend também são excelentes.

Quem não merece ser indicada: The Big BanzZZzzzZZzZ

Séries Limitadas e Telefilme

Falar sobre as séries limitadas (ou minisséries, se preferir) este ano está tão bom quanto falar sobre as poderosas séries dramáticas. Isso porque a temporada 2015/2016 teve alguns exemplares impecáveis no formato. A melhor certamente será indicada: American Crime Story não só receberá uma enxurrada de indicações como vencerá várias estatuetas. Distante vem Fargo, virtual vencedora antes de ACS surgiu no horizonte. A ótima Roots parece ter sua vaga garantida. Para completa, ainda temos American Crime e Show me a Hero, que é ótima, mas deve ser indicada mais pelo nome do canal (HBO) do que por puro merecimento.

11.22.63 Other Voices, Other Rooms MAIORQuem pode ficar de fora, mas merecem muito uma indicação são 11.22.63, War and Peace e a subestimada Flesh and Bone. As regras do Emmy são confusas e, de certa forma, injustas. Embora Sherlock deva concorrer este ano como telefilme, Luther poderia entrar como série limitada. Quem também poderia entrar na corrida é Wallander, fantástica série britânica que sempre concorre como minissérie ou telefilme por ter três episódios por temporada. Ainda temos The Enfield Haunting e London Spy, programas que serão prejudicados por não serem conhecidos, ao contrário de The Night Manager, que pode se beneficiar da fama de seu elenco.

Dentre os telefilmes, duas certezas: All the Way e Confirmation. Completando a lista podemos ter Sherlock, Luther e The Dresser. Wallander pode surpreender e entrar na corrida. De todo modo, os votantes não podem indicar o terrível especial da Netflix, A Very Murray Christmas. No mais, a categoria parece bem definida.

Possíveis indicadas a Melhor Série Limitada

American Crime Story

Fargo

Roots

American Crime

Show me a Hero

Possíveis indicados a Melhor Telefilme

All the Way

Confirmation

Luther

Sherlock

The Dresser

Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

No comments

Add yours