Criadores de OUAT comentam a segunda parte da 4ª temporada

Once Upon a Time pode estar dizendo adeus a Frozen, mas a série de conto de fadas da ABC não estará sem vilões por muito tempo: um trio de rostos conhecidos farão sua estreia no winter finale deste domingo. A EW tem o primeiro olhar exclusivo sobre Malévola (Kristin Bauer van Straten, True Blood), Úrsula (Merrin Dungey, Alias) e Cruella de Vil (Victoria Smurfit, Dracula), também conhecidas como Rainhas das Trevas.

Continua após as recomendações

Como esses três personagens foram escolhidos para se juntar aos moradores de Storybrooke? Os produtores executivos Adam Horowitz e Edward Kitsis nos mostram o processo e apresentam esses novos inimigos:

 

Continua após a publicidade

EW: Como vocês escolhem o próximo personagem que vão usar?
Adam Horowitz: Bem, nós temos um alvo gigante. Não. Nós temos um monte de personagens que queremos explorar e estão em nossa lista de desejos, desde o primeiro par de episódios na 1ª temporada. À medida que desenvolvemos cada temporada, vimos quem se encaixa em nosso mundo, quem se encaixa em nossa mitologia, como podemos continuar a construir isso e que personagem é o mais divertido para se fazer isso.
Edward Kitsis: Para este, vimos na primeira metade da temporada que Regina (Lana Parrilla) ficou questionando se os vilões poderiam começar a ter finais felizes. Então sabíamos que queríamos uma segundo parte com vilões em busca de seus finais felizes. Nós sempre quisemos trazer Malévola volta. Nós pensamos: “Qual é o maior time do mal que poderíamos reunir para ir contra isso?”. Nós brincamos com Úrsula e Ariel (Joanna Garcia Swisher) em um episódio do ano passado, e em seguida, Cruella, porque nós simplesmente sempre quisemos trazê-la para o show e não conseguíamos descobrir como, porque no filme, ela era uma espécie de diva dos anos 50. Você sempre quer colocar o seu toque nele. Para nós, Cruella apenas se encaixa nesse trio de terror.

Quanto acesso vocês têm ao catálogo da Disney? Há personagens que estão fora dos limites para vocês por causa de direitos, ou que vocês só tem que decidir que se encaixa ou não na história?
Horowitz: Honestamente, o processo não se dá através do catálogo da Disney , folheando as páginas. O nosso processo está pensando em quais personagens gostaríamos de ter no show. Nós mostramos as nossas ideias para o estúdio e a rede e eles dão o seu feedback. Eles têm sido muito favoráveis a todos os personagens que já queríamos trazer.
Kitsis: Se há um problema de direitos, a única vez que já encontramos foi com a Terra do Nunca, que já foi trabalhado.
Horowitz: Originalmente, queríamos trazer o Capitão Gancho (Colin O’Donoghue) na 1ª temporada e ver a Terra do Nunca antes, mas havia uma questão de direitos que não foi esclarecida até o final da 1ª temporada. É por isso que a introdução de Gancho se deu no início da 2ª temporada. Quando você voltar para o piloto, você verá uma página no livro com macacos voadores de O Mágico de Oz nele. Há coisas que já tínhamos em mente. Como tivemos sorte o suficiente para continuar, a gente começou a trazer algumas dessas coisas.

Quanto tempo depois que Star Wars se tornou uma propriedade da Disney e depois que Frozen estreou vocês começaram a trabalhar para trazê-los ao show?
Kitsis: Sobre Star Wars, eram tiradas. Isso não é diferente de Buffy fazendo referências a Batman.
Horowitz: Nós colocamos um par de referências a Star Wars aqui e ali, porque somos grandes fãs de Star Wars.
Kitsis: Isso é apenas nós nos divertindo.
Horowitz: Nós tivemos um par de referências a Tron, não por causa da Disney, mas por causa do nosso próprio envolvimento pessoal com Tron, o que não significa, necessariamente, que são coisas que nós queremos trazer para a série. Na medida em que Star Wars é citado, não é algo que queremos levar a diante. Nós amamos Star Wars.
Kitsis: Star Wars é o nosso conto de fadas favorito. Mas…
Horowitz: Star Wars é citado porque há coisas que se encaixam no mundo do nosso show, mas Star Wars não é algo que queremos trazer para o mundo do nosso show, já com Frozen é diferente. Parecia um ajuste mais natural em nossa mitologia, razão pela qual nos aproximamos da empresa.
Kitsis: Anna (Elizabeth Lail) e Elsa (Georgina Haig) parecia ser um ajuste melhor do que Darth Vader e Jabba. Nós adoraríamos ter Darth Vader e Jabba na lanchonete da Vovózinha. Eu acho que o nosso público gosta dos contos de fadas. Apesar do nosso amor por Star Wars, eu não tenho certeza se esse é o nosso show.

Vocês tem um plano de longo prazo ou uma lista de personagens que querem ver na série?
Horowitz: Absolutamente. Temos uma lista de personagens que queremos trazer, mesmo em diferentes graus de detalhes. Com alguns, sabemos muito como eles se encaixam em nossa mitologia e como nós queremos que eles sejam separados do show. Alguns são como, “Oh, não seria divertido encontrá-los em um episódio?”.
Kitsis: Tipo como fizemos com Little Bo Peep (Robin Weigert).
Horowitz: Gancho é um exemplo de um personagem que sabíamos que seria uma grande parte do show.
Kitsis: O mesmo com Robin Hood (Sean Maguire).
Horowitz: São personagens que esperamos. Gancho, que era uma questão de direitos; Robin Hood, era uma questão de timing. Há outros personagens que, se tivermos sorte o suficiente para seguir em frente, queremos ver.

Vocês policiam uns aos outros, se alguém joga fora uma ideia maluca e aleatória?
Kitsis: Eu não tenho certeza se este é um show onde há uma ideia muito louca. Tivemos Peter Pan (Robbie Kay) sendo o pai de Rumplestiltskin (Robert Carlyle). Para nós, só tem que soar verdadeiro. Darth Vader simplesmente não se sente como uma parte do show, mas Anna e Elsa sim. Toda a sua história era sobre uma personagem que tinha poderes, que não os compreendia e não tinha alguém como ela, que teve que entrar em conformidade com isso, e uma maldição que foi quebrada pelo amor verdadeiro entre duas irmãs. Once é um show que tem uma maldição quebrada pelo amor verdadeiro entre uma mãe e um filho. Às vezes é apenas divertido, como o Barba Negra (Charles Mesure). Nós só queríamos escrever Barba Negra, porque sentimos que ele se encaixa no mundo de piratas que criamos. Gancho precisava de um rival. Nós realmente começamos como jovens de 12 anos que brincam com seus brinquedos no quintal e os esmaga. O que é divertido é que estamos em nossa quarta temporada, e ainda estamos fazendo isso.
Horowitz: Em um monte de níveis, é um sentimento interior. Por exemplo, usando Star Wars, há algo sobre colocarmos Emma em uma nave espacial que não parece bom para nós. Mas quando você fala sobre Robin Hood, o que não é estritamente um conto de fadas, há algo sobre a floresta e os cavalos e o tipo de ambiente que de alguma forma parece bom e vai além do nosso mundo.
Kitsis: O momento em que mais nos distanciamos seria provavelmente com Frankenstein (David Anders). Um monte de pessoas tiveram opiniões diferentes sobre isso.
Horowitz: Certo. Você empurra e você testa e ver o que funciona e onde você pode ir com essas coisas. Você apenas tenta descobrir por quais caminhos deseja trazer esses personagens e tenta soar tão certo quanto pode, que o show vai aceitá-los, aí é só esperar que os amem.

Então, vocês estão dizendo que esses vilões estão se unindo para obter o seu final feliz. Não é um ciclo vicioso? Para obter o seu final feliz, eles não vão ter que inevitavelmente fazer algo mal?
Horowitz: Final feliz não é necessariamente redenção, porque finais felizes estão no olhar do espectador.
Kitsis: Sim, é o que faz você feliz. Por exemplo, se ver dois heróis amados morrerem te faz feliz, bem, então o seu final feliz é provavelmente diferente dos finais felizes dos dois heróis que querem ver o vilão morrer.

Estas são três personagens muito fortes e maléficas, são as Rainhas das Trevas, por direito. Elas realmente podem trabalhar juntas?
Horowitz: Isso é parte da diversão – essas mulheres fortes com agendas ligeiramente alinhadas, mas com suas próprias pretensões, e observando as faíscas voarem entre elas.
Kitsis: Você tem três líderes e todas querem liderar. Naturalmente, apenas uma pode. Para nós, o que é interessante é assistir vilões tomarem uma página do livro dos herói. Heróis sempre trabalham em conjunto e nunca colocam seu ego em primeiro lugar. Vilões, todas as vezes que colocam seu ego em primeiro lugar, perdem. Estes são os vilões mais inteligentes que voltam para corrigir os erros do seu passado.

Vamos falar de Cruella de Vil. Você pode dizer de que mundo ela vem?
Kitsis: Tomamos alguma liberdade aqui. Nós vamos perceber que a nossa Cruella pode ter se originado na Floresta Encantada, e podemos descobrir que ela tem um pouco de magia própria. Ela é parte vilã, parte Zelda Fitzgerald. Há algo glamouroso da era do jazz, mas algo muito mortal sobre ela também.
Horowitz: Ela é uma personagem divertida para nós. Nós esperamos que tenhamos encontrado uma maneira de girá-la e fazê-la diferente e parte do universo de Once e também ter a abundância de acenos de iconografia da Cruella que todo mundo adora.
Kitsis: A atriz que interpreta ela, Victoria Smurfit, é simplesmente fenomenal. É divertido de assistir.
Horowitz: Espere até você ver o carro dela.
Kitsis: Foi mais caro do que o Sven.

Nós só vimos uma Úrsula de CGI antes, dublado por Yvette Nicole Brown (Community). O que você pode nos dizer sobre essa personagem, e se isso significa que veremos Ariel novamente?
Horowitz: Espero que sim. Quando você está no mundo de Úrsula, você também está no mundo de Ariel. Em nossa história com Ariel na 3ª temporada, vimos que ocorreu com uma falsa Úrsula sob a forma da Rainha Má. Mas nós introduzimos a mitologia de Úrsula. O que nós estamos planejando fazer é explorar essa mitologia no nosso show e explorar uma história de fundo sobre quem ela é e o que Úrsula representa.
Kitsis: Nós sempre dissemos que o mal não nasce, ele é criado. Uma das coisas que estamos mais animados com estas três vilãs é mostrarmos as suas histórias de origem. Nós nunca vimos as histórias de origem de Malévola, Úrsula ou Cruella, por isso estamos animados sobre isso.

Como vocês escolheram Merrin Dungey para interpretar Úrsula?
Horowitz: Quando vimos o seu lado vilã em Alias , acho que me apaixonei por ela.Temos sido grandes fãs dela por um longo tempo. Ela é uma atriz incrivelmente forte que pode fazer tal profundidade e humanidade em diferentes níveis para todos os personagens que ela faz. Isso é o que estávamos procurando para Úrsula – não alguém diretamente mal, mas alguém que tenha uma profundidade esperançosa e surpreendente para ela. Mas também tenacidade e força.

O novo traje de Malévola parece ser muito semelhante ao que Angelina Jolie veste no filme que estreou neste verão, em que Malévola não é necessariamente má. É o traje dando uma dica?
Kitsis: É a criatividade do figurinista Eduardo Castro. Ele gosta de mudar as roupas. Se você notar, por vezes, Lana terá 20 mudanças em um episódio por nenhuma outra razão escrita por nós.
Horowitz: Para ser completamente honesto, Malévola apareceu no segundo episódio do show. Agora, todos, os escritores e os estilistas tem tido mais tempo para realmente desenvolver o personagem em um nível de personagem, em um nível visual e em um nível de efeitos especiais.
Kitsis: Eu diria que ela provavelmente vai ter mais alguns vestidos antes de finalizarmos.
Horowitz: Sobre o filme Malévola, nós somos grandes fãs desse filme, mas nós não estamos fazendo esse filme. Estamos fazendo a nossa versão sobre Malévola. Pode haver referências a esse filme e a clássica história.
Kitsis: Definitivamente referencia o clássico. Como Adam disse, nós a apresentamos no episódio 2, por isso, já tínhamos pensando nela por nossa conta. Assim como Frozen, que ia ficar mais para o filme. Este é um caso em que esta metade da temporada vai ser muito mais sobre a versão de Once do que de qualquer outra.
Horowitz: Uma das coisas que estabelecemos desde muito cedo com Malévola na 2ª temporada foi a de que ela e Regina tiveram um relacionamento, de modo que é um segmento que pretendemos explorar.

Com o retorno de Malévola, podemos esperar o retorno de Aurora (Sarah Bolger) ou Mulan (Jamie Chung)?
Kitsis: Nós estamos definitivamente mergulhando na história de Malévola.Veremos Aurora. Mulan que amamos. Nós amamos Jamie Chung. Nós com certeza temos esperanças de trazer de volta Mulan. Sua história está sendo estudada no momento.Mas ela é uma grande personagem e nós adoraríamos vê-la de volta.
Horowitz: Queremos continuar a sua história. No curto prazo, não há mais Aurora do tinha de ter.

Regina fez inimizades com Úrsula e Malévola. É seguro dizer que ela estará lidando com um pouco disso na segunda parte?
Kitsis: Oh sim. Eu diria que na segunda metade da temporada, nós estamos realmente testando Regina de uma maneira que ela nunca foi testada antes.
Horowitz: Ela vai ter suas mãos cheias.
Kitsis: Dragões e tentáculos e dálmatas.

É Heroes Vs. Villains uma descrição justa para a segunda metade da temporada?
Kitsis: Absolutamente. Esse é o título do episódio 11.
Horowitz: É “Heroes and Villains“.
Kitsis: Isso é realmente nomeado após a música dos Beach Boys.

Parece que Rumple vai ficar no lado das vilãs, mas isso é uma luta para de que lado Regina vai ficar?
Horowitz: Eu diria que sempre foi uma luta para Regina. Isso não vai fazer a sua luta mais fácil.
Kitsis: Especialmente quando todas elas estão atrás da mesma coisa.

Parece que Rumple é praticamente mal novamente quando terminar a primeira metade da temporada. Será que elas vão estar trabalhando com ele?
Kitsis: O winter finale vai definir isso.
Horowitz: Eu não sei se Rumple é totalmente mal. O mal implica em uma perda de humanidade, e eu acho que por mais escuro que Rumple pareça, ainda há uma humanidade nele que está lutando contra o mal. Isso é algo que vamos explorar.
Kitsis: Rumple gosta de pensar que os fins justificam os meios. Ele está disposto a fazer coisas para conseguir o que quer, mas a maioria das pessoas não estão. Em sua mente, ele não é mal. Ele não é cruel. Ele não destrói a vida das pessoas sem nenhum motivo. Geralmente é porque devem a ele.

Emma (Jennifer Morrison) finalmente tem seus poderes sob controle. Como a Salvadora, qual o papel que ela desempenhará contra as Rainhas das Trevas?
Kitsis: A segunda metade da temporada vai ser muito mais psicológica do que a magia contra magia. Não vai ser um monte de agendas em jogo e mistério. Regina e Emma vão estar trabalhando em conjunto para tentar derrotar essas três.
Horowitz: Elas são ótimas juntos.

São estes três os únicos vilões que vamos estar vendo?
Horowitz: Nunca diga nunca.
Kitsis: Este é um show sobre heróis. Para que servem os heróis se eles não tem vilões para lutar?

O winter finale de Once Upon a Time vai ao ar nesse domingos no ABC.

Nenhum comentário

Adicione o seu