Crítica: 1×05 de Law & Order: Organized Crime entrou nos eixos

An Inferior Product, Law & Order: Organized Crime
Imagem: Heidi Gutman/NBC

Todos merecem uma segunda chance

Após quatro episódios que alternaram entre o ruim e o regular, Law & Order: Orgnized Crime retorna de um breve hiato com a missão de finalmente engrenar. Para isso, temos um novo crossover com a série mãe. A proposta é interessante, afinal, tais eventos sempre aumentam a audiência e ainda melhoram o aspecto criativo. As narrativas não precisam ser corridas e têm o devido tempo para crescer. Sendo assim, afirmo com muita satisfação que o quinto episódio finalmente mostra que a série engrenou.

Continua após publicidade

Em An Inferior Product, temos Stabler (tentando) lidar com uma operação mal sucedida. Ao mesmo tempo, ele continua investigando o assassinato da falecida esposa. Correto ou não, estamos falando de Elliot Stabler, não é mesmo? Além disso, Bell (Danielle Moné Truitt) se vê diante de mais um caso de brutalidade policial. Desta vez, com seu próprio filho.

Continua após a publicidade
An Inferior Product, Law & Order: Organized Crime
Imagem: Heidi Gutman/NBC

Primeiramente, vamos aos problemas

Pela breve síntese que apresentei anteriormente, é possível inferir que, no que se refere a Stabler, teremos o roteiro praticamente no piloto automático. O que infelizmente é bem verdade. Contudo, a questão da brutalidade policial me deixou animado. Afinal, a vítima é filho de um policial da NYPD. O problema é que logo após a sequência, a narrativa é completamente abandonada.

Continua após publicidade

Sabemos que o jovem é músico, mais precisamente guitarrista, e teve todos os ossos da sua mão quebrados por um policial. Ressalto, primeiramente, que uma mão possui incríveis 27 ossos. E sabendo que ele ganha a vida a partir de habilidades manuais, o caso ganharia notoriedade. Ainda mais reiterando que ele é filho de uma policial de alta patente. Surpreendentemente, essa narrativa é ignorada. Sequer temos a indicação de que será lembrada nas próximas semanas. Uma lástima, portanto.

An Inferior Product, Law & Order: Organized Crime
Imagem: NBC/Divulgação

Agora, os refrescos

Apesar dos problemas supracitados, o episódio traz um ritmo diferente dos outros. Mais dinâmico, sem firulas e objetivo. Sugerindo que, de fato, vem amadurecendo e se tornando uma série melhor. Elogia-se, com certa razão, as qualidades técnicas de Law & Order: Organized Crime. Ressalto, contudo, que o público quer assistir muito mais do que isso. Queremos qualidade. Tanto do roteiro quanto do elenco de dublês.

Continua após publicidade

O gancho é realmente surpreendente. Confesso que estava com uma enorme preguiça desse romance entre Gina (Tamara Taylor) e Stabler, mas agora tudo faz sentido. Pelo menos neste momento. Será muito interessante, portanto, descobrir como que eles vão desenvolver a partir dessa reviravolta.

Sendo assim…

Em suma, acredito que Law & Order: Organized Crime está no caminho certo. Força, inteligência e agilidade. Ao mesmo tempo que Law & Order: SVU, por lidar com crimes sexuais e abusos dos mais diversos, precisa ter sensibilidade, inteligência e força. Os próximos episódios serão ainda mais decisivos. Julgando pelo trailer abaixo, confesso, estou empolgado desde já.