Crítica: 2×13 de The Good Doctor traz a emoção ao extremo!!

Cardíacos de plantão, cuidado, vocês podem não aguentar chegar ao final deste episódio de The Good Doctor. Já nos emocionamos muito até aqui, mas agora as coisas estão ficando cada vez mais complicadas. Shaun e Glassman sempre protagonizam as melhores cenas e aquele final não foi diferente. Poderia jurar que Shaun o encontraria desacordado ou sem pulso no banheiro, mas, felizmente, ele ainda está vivo. Glassy é um ponto chave da série e nessa temporada vem sendo abordado constantemente pela sua patologia. Ainda não estou preparado para continuar sem a presença do bom velhinho…

Emoção também temos entre Shaun e Lea. Não sei bem até onde os diretores pretendem levar essa relação. Se definitivamente a amizade vai imperar ou é apenas um motivo para despertar sentimentos novos no protagonista, o que eu espero que aconteça. Mas o que nós sabemos é que toda a relação confusa deles é mais do que especial. Mesmo que as atitudes dele sejam um tanto quanto desesperadas e fora do contexto, Shaun é assim… e é assim que convivemos bem com ele.

Imagem: ABC/Divulgação

Uma mudança um tanto quanto especial!

Sabe que eu to aprendendo a gostar de Reznick? Não sei bem o porque mas conseguiram trazer uma outra personalidade nela que me deixou curioso. É bacana ver esse amadurecimento que o programa de residencia e a convivência do hospital deu a personagem. Nesse episódio em especial, consegui refletir uma posição interessante. Ela é a única ali que trata Shaun além da sua condição. Mesmo que ainda seja um pouco de ignorância, ela consegue passar a visão de que o olhar vai além da sua doença.

Exatamente no autismo, encontramos uma paciente tão apaixonante quanto o protagonista. Mesmo que bem pouco, conseguiram expressar parte da visão do médico se encontrar no paciente. Na psiquiatria vemos muito esse ponto. Quando um paciente vira pra você e consegue relatar muito de sua experiência e vida pessoal, afinal, o médico também é um ser humano – mesmo que as vezes não pareça. Essa relação vai muito além da relação médico e paciente…

Duvido alguém não chorar com essa promo de The Good Doctor

Se você já está com palpitações sobre as consequências daquele momento final, saibam que será mais divertido do que imagina, pelo menos é isso que estão querendo apresentar. Segue a promo para vocês entenderem o que estou falando e nos vemos na semana que vem com mais um episódio. Um abraço e até lá!

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours