Crítica: 3×14 de 9-1-1 foi um episódio eletrizante

Em fórmula orquestrada “à la filmes de assalto”, 9-1-1 triunfou e, enfim, percebeu qual é o seu verdadeiro ritmo!

Ao promover uma síntese bastante direta sobre a terceira temporada de 9-1-1, é possível perceber uma série de equívocos provocados, provavelmente, pelo mal planejamento do todo. Ainda assim, quando o entretenimento a que a série se propõe decide ser a principal válvula dos roteiristas, o respiro toma conta do que antes poderia ser cansativo e insosso.

Tudo dá certo com uma costura bem feita

Quando Greg adentrou a narrativa, lá no 12º episódio, e reforçou um possível investimento a longo prazo, ao se relacionar com Josh e defenestrá-lo ao primeiro momento, 9-1-1 deixou nítido que o seu aparecimento não pararia por ali. Se envolver com um atendente dos chamados de emergência, violentá-lo, e depois roubar suas credenciais, afinal, só poderia vir junto de um plano mirabolante.

Enquanto preparava o terreno para possíveis investimentos, 9-1-1 deixou pistas, as conduziu durante 3 episódios, e aplicou uma costura que, de tão bem feita, calhou em uma narrativa que usa o entretenimento como base para ótimas doses de tensão e humor, na medida certa.

9-1-1: Qual é a sua….?

Greg e a sua quadrilha tinham um plano: entrar nas dependências aonde as ligações a clamar por ajuda chegam. Então para, justamente, impedir que algo estragasse a “sua ideia” de roubar pinturas milionárias no centro de Los Angeles.

Continua após a publicidade

Com essa premissa, The Taking of Dispatch 9-1-1, o décimo quarto episódio do seriado, conduziu uma gama de personagens rumo a um desfecho pra lá de satisfatório. Foi o perfeito equilíbrio entre a suspensão da descrença, o uso de personagens-chave e o senso de ameaça, visto, principalmente, nos personagens secundários por quem já criamos afeição. Incluindo Josh e Linda, muito bem posicionados em seus papeis.

Quase como num filme de assalto, o episódio ainda proporcionou pequenos plot-twists que até foram bastante surpreendentes. Tiffany, a presença marcante, potente, que subverteu as preconcepções estabelecida pela própria narrativa. Ótima maneira de enganar o espectador. E, aliás, mandem mais muitas personagens femininas incríveis assim.

Aliás, veja só como tudo acaba de maneira simbólica: na resolução dos impasses, existem substitutos para operacionalizar aquilo que não pode ser interceptado de maneira nenhuma. Se o 9-1-1 não funciona, as problemáticas perduram. Literalmente!

E então, o que acharam do episódio? Deixem nos comentários. Além disso, continuem acompanhando todas as novidades das séries aqui no Mix de Séries. Abaixo, o vídeo promocional do próximo episódio.

 

Nota do Episódio 9
Crítica do décimo quarto episódio de 9-1-1, série criada por Ryan Murphy, Brad Falchuck e Tim Minear, exibida nos Estados Unidos pelo canal Fox.
9
Tags 9-1-1
Avatar

Lucas Wilker

Estudante de Jornalismo e grande admirador do Ryan Murphy e suas fábulas. Apaixonado pelo universo audiovisual desde que os X-Men o convidaram para adentrar em suas aventuras. Chora facinho com This Is Us e é extremamente afeiçoado aos personagens das séries, dos filmes e dos livros que consome. Eterno aprendiz da escrita.

1 comment

Add yours

Post a new comment