Crítica: 4×11 de Riverdale manteve o mistério no forno

Critica Riverdale 4x11

Mais mistérios tomam conta de Riverdale

Tudo bem que tivemos grandes momentos nesse episódio de Riverdale, principalmente relacionados ao crescimento de Cheryl e Veronica como sócias. Todavia, o grande mistério da temporada ainda está bem gradual. Eu acredito muito no potencial da série, de verdade. Apesar das suas loucuras, é algo bem teen e agrada diversos públicos.

Entretanto, não sei se é uma série para 22 episódios ou então para apenas uma trama principal por temporada. A série já soube entregar mais seus mistérios e pode estar sofrendo um tempo perdido por agora.

Tudo igual, mas diferente!

Veronica Luna e o eterno dilema da briga com Hiram Lodge. Já estamos de cabeça cheia ao presenciar essa eterna briga familiar. Quando tudo ainda era um grande casos de família, ok, a gente até se divertia bem. Agora que as coisas estão cada vez mais parecidas, parece ter ficado monótono. A grande chave desse plot é a adição de Cheryl. A garota vem pra dar uma renovada na briga e trouxe Penelope Blossom pro jogo. Sabemos que a matriarca não é muito confiável e provavelmente programará uma grande traição no final, mas até lá, conseguimos refrescar um pouco a cabeça.

Imagem: CW/Divulgação

Continua após a publicidade

Dentre tantas coisas que tem me incomodado no episódio, precisamos falar sobre Kevin! Eu juro que não entendo porque os roteiristas insistem em abordar apenas temas relacionados a sua sexualidade. As vezes até chegando a limites nunca antes abordados em uma série adolescente. Eu acredito que a abordagem é necessária, principalmente ao público alvo da série. Contudo, estão criando o personagem com foco único. Logo alguém que tem uma capacidade gigantesca de abordagem emocional e profunda.

Esquecidos no churrasco…

Alguém mais percebeu que dois personagens foram simplesmente deixados de lado depois de uma entrada triunfal. Primeiro, tivemos a irmã de Veronica. Chegou, fez o que fez, abalou as estruturas da cidade e sumiu no mapa. Depois, temos Chick sendo cúmplice de Charles em um plano maligno, mas que também nunca mais foi abordado. As vezes esses momentos perdidos acabam comprometendo a continuidade da série. Gostaria de ver uma continuação mais específica nos próximos episódios.

Ao fim, chegamos aos comentários do casal Betty e Jughead. Já não é de hoje que vemos Betty carregar boa parte dessa série nas costas. A desconstrução de uma menina meiga de colegial fez com que a personagem ganhasse milhares de fãs. Sua disputa pessoal com Bret instiga ainda mais o mistério do desaparecimento de Jughead. A provável disputa entre os colegas de Stonewall pode dar início a todo o desenrolar do plot principal que, espero eu, não dure 11 episódios. Retornamos ao que disse no início, temos que saber dividir bem a temporada pra evitar monotonia.

O episódio da próxima semana traz Katy Keene, personagem da Archie Comics que muito em breve estreará sua nova série na CW. Espero que seja uma introdução triunfal no mundo de Riverdale e que venha alguns crossovers em um futuro próximo.

Aguardo vocês na próxima semana! Um grande abraço!

Continuem acompanhando tudo sobre Riverdale e outras séries aqui no Mix de Séries. Abaixo, um vídeo promocional do próximo episódio.

Nota do Episódio7.5
Review do décimo primeiro episódio da quarta temporada de Riverdale, exibido pelo canal CW, intitulado: "Chapter Sixty-Eight: Quiz Show".
7.5
Tags Riverdale
Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours