Crítica: 5×02 de Jane The Virgin explora culpa de protagonista

Mundo difícil para Jane em Jane The Virgin

As coisas não continuam nada fáceis para Jane em Jane The Virgin. A personagem está em busca de uma resposta oficial e definitiva sobre seu casamento com Michael – que agora atende por Jason. Mas mais importante do que isso (brincadeira, só é engraçadinho mesmo), foram os trocadilhos que rolaram quando #Jafael estava prestes a aproveitar a “janela” do calendário com a porta aberta. Eu ri muito!

Continua após as recomendações

Culpa católica, só que nem tanto…

Jane está tão preocupada com a possibilidade de ainda estar casada com Michael/Jason que parte dessa preocupação vem, na realidade, por conta da suposta “culpa católica” que de católica não tem nada. Na verdade, ela só estava preocupada com a reação do antigo parceiro, caso sua memória voltasse.

Acho legal que tenham se preocupado em inserir a questão da religiosidade de novo. Afinal, isso sempre foi algo importante para a família Villanueva. Tratar da questão da culpa em diversos ângulos também foi bacana para não deixar margem imaginativa no que poderia ou não ser a reação de Jane.

Continua após a publicidade

O plot de Rafael, Luiza e Sin-Rostro não nos trouxeram algo novo. Mas foi bacana ver a reação dele com as alfinetadas da Rose seguido da conversa com a irmã. A relação deles sempre passou por altos e baixos durante a série. E muitas vezes era deixada de lado fazendo com que eu esquecesse da ligação entre eles.

Na minha opinião, Luiza sempre foi uma personagem muito mal aproveitada. Mas tenho gostado de ver que ela tem melhorado bastante da dependência tóxica do relacionamento em que ela se encontrava. Meu maior medo com relação à storyline dela é de que ela retorne para os braços de Rose, como sempre fazia. Ou que ela sinta que precisa se sacrificar pelos outros, por se sentir responsável ou algo do gênero.  

Precisamos falar sobre Michael

Michael está insuportavelmente chato e não tenho ideia de como ninguém deu um sacode no cara até agora. Perder a memória não te faz perder a educação não, meu anjo! Vamos melhorar isso aí e parar de ser rude com a Jane, por favor? Credo.

Entendo que a situação dele é digna de uma telenovela. Mas as atitudes dele até o presente momento foram absolutamente injustificáveis. Talvez se tivéssemos um maior foco nele e do ponto de vista dele (não como um recurso narrativo) isso fosse resolvido. No entanto, até o presente momento ele é só um personagem irritante que rendeu um estupendo plot twist e… Só!

Eu quero saber mais sobre a nova versão dele. Quero ver como ele recebeu a notícia, como vivia antes de ser encontrado. O que tem achado de tudo, o que ele descobriu sobre a vida que ele deixou para trás, sem ser de forma intencional.

Acima de tudo, quero saber se ele quer mesmo que a memória retorne. Até o momento, o que nos entregaram não deixou nada disso claro e me pergunto se é uma estratégia dos roteiristas, ou se é apenas desleixo. De qualquer forma, aguardemos.

Gostaram do episódio? Concordam com a review?  

Deixem aqui nos comentários!

Nota do episódio7.5
Review do segundo episódio da quinta temporada de Jane, the Virgin, da The CW, intitulado "Chapter Eighty-three".
7.5

No comments

Add yours