Crítica: 5×16 de Chicago Med agitou a trama com sequestro de médicos

Critica Chicago Med 5x16

Episódio de Chicago Med surpreendeu

Após uma sequência bem sem graça de episódios, Chicago Med voltou a surpreender. Não que eu ache isso ruim, mas repito o que já disse em outras resenhas: a série precisa parar com essa montanha russa intercalando um episódio muito bom com alguns ruins.

De qualquer forma, o décimo sexto episódio foi importante para construir – ou aprimorar – a relação de dois médicos, e não foi da melhor maneira possível.

Além disso, boas notícias chegaram para um dos nossos personagens.

Sequestrou agitou a trama

O grande destaque, sem dúvidas, foi para a trama de Natalie e Marcel, que foram sequestrados na porta do Chicago Med. Na verdade, dois bandidos os capturaram para que eles pudessem ajudar um deles que estava ferido – provavelmente vítima de um tiroteio.

Continua após a publicidade

Mesmo a situação sendo ruim, ela foi extremamente importante porque de alguma forma uniu ainda mais Crockett e a Dra. Manning. Tenho certeza que os fãs já tinham notado uma aproximação entre eles, que estavam sempre brincando ou fazendo algum tipo de comentário um com o outro. Agora, eles possuem um trauma em comum e isso poderá turbinar essa relação. A ação foi muito boa, e a tensão foi a mil com eles tendo de ajudar o bandido sob a mira de uma arma.

O episódio, ainda, trouxe uma reviravolta quando eles viram que um dos bandidos tinha outro problema em casa – um filho, em estado terminal. Achei meio desconexa a trama, mas a tensão daquele momento serviu para uma das melhores cenas do episódio – que foi quando Natalie, após ouvir um tiro, descobrir que estava tudo bem com Marcel. Ela saiu correndo para abraçá-lo e melhor: na frente da April, que observava tudo com uns olhos de “tô morrendo de ciúmes”.

Falando sério, eu ia adorar que Natalie e Crockett tivessem algum tipo de envolvimento. Iria fazer bem para os dois e, quem sabe, ela afastava o fantasma de Will para sempre de sua vida. Já sabemos que os ex-pombinhos não dão certo juntos, então quem sabe a Dra. Manning faz um bom par com o Dr. Marcel? Eu vou ficar na torcida.

April e Ethan: o que fazer?

A trama de Ethan e April se complica a cada episódio. Eu gostei do caso que eles cuidaram aqui, com uma mulher mentindo ter achado a mãe biológica para que ela recebesse um transplante a salvasse de uma doença hepática. Mas o casal parece extremamente perdido quanto a relação pessoal deles.

Primeiro, que April ainda tem claros sentimentos por Crocket, e isso é muito louco: ela nunca viveu nada com o médico, só o beijou uma vez e, de repente, ela viu estes sentimentos sufocando o amor que ela sempre sentiu por Ethan. Não bastasse isso, ela pensou que o fato dela topar ter um filho com o Dr. Choi iria suprimir todos este amor que ela não queria sentir pelo seu colega. Qual é…?

Agora, eles estão passando por um momento conturbado porque, além de tentarem engravidar de forma artificial, eles estão tendo dificuldades. April já disse que não poderia ter filhos, mas eles estão insistindo, desgastando a relação e vivenciando situações difíceis. Se eles fossem um casal estável, tudo bem. Mas eles não são, e o próprio casal sabe disso. Eu realmente não sei o que virá disso, mas o pressentimento não é o dos melhores.

Boas notícias em Chicago Med

Ao menos tivemos uma notícia boa em meio a todas essas confusões: Maggie entrou oficialmente em remissão. E isso não poderia ter vindo em hora melhor. A enfermeira lutou contra o câncer e passou boa parte da temporada fazendo tratamento. Mas o melhor: Chicago Med não optou por fazer disso tudo um drama, colocando a personagem sofrendo e chorando. Ela continuou ali, durona e trabalhando, sem deixar a peteca cair. Mas ela também mostrou sensibilidade nas horas necessárias e isso só fez aumentar a admiração que tenho por ela.

No fim do episódio, ela e Ben estavam tão felizes que eles tiveram a ideia de se casarem. Eu espero muito que dê certo, porque os personagens se completaram. Quero muito ver mais da personagem em tela, e espero que eles tenham um lindo casamento. Ou rápido, no cartório, mas que seja efetivo e duradouro.

Bom, ainda tivemos uma trama do Will com a Dra. Asher, mas ela estão tão chata que acho que nem vale perdermos muito tempo comentando disso não é? Só que, mais uma vez, Will faz coisa errada ao levar remédios para a moça na reabilitação. Sério gente, dá para defender? Senhores roteiristas, levem Will e tragam o Dr. Rhodes de volta. Seria uma ótima permuta, não acham?

E então, gostaram do episódio? Deixem nos comentários. Além disso, sigam a TAG de Chicago Med no Mix de Séries para ficarem sabendo de todas as novidades da série.

Abaixo, o vídeo promocional do próximo episódio, que comemorará a marca de 100 exibições da série. Até lá!

 

Nota do Episódio8.5
Crítica do décimo sexto episódio da quinta temporada de Chicago Med, intitulado “Who Should Be The Judge”. Episódio foi exibido nos EUA pela NBC.
8.5
Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

1 comment

Add yours

Post a new comment