Crítica: 6×07 de Chicago Med deixou a série mais uma vez perdida

Crítica Chicago Med 6x07

Chicago Med e suas tramas confusas

Chicago Med segue sua sexta temporada em uma montanha-russa intrigante. Embora os três primeiros episódios tenham entregado histórias satisfatórias, a partir do quarto, a coisa desandou.

Continua após as recomendações

E acredito que isso se deve, em parte, ao problema de desenvolvimento dos personagens principais. Ou talvez, pelo fato dos roteiristas insistirem em colocar os médicos fazendo coisas erradas em praticamente todos os episódios.

Uma vez ou outra para enfrentar o sistema e salvar o paciente é legal. Mas, toda vez? Confesso que ao ver um episódio de Chicago Med eu penso, “Eu que não gostaria de ser atendido neste hospital”. Vocês também têm esse sentimento?

Continua após a publicidade

Segregação de personagens

Talvez vocês notem, mas todas as temporadas de Chicago Med acabam concentrando núcleos, e fazendo com que alguns personagens não interajam entre si. Geralmente, atrelados às histórias pessoais, o profissional acaba conectado e, basicamente, os episódios de Chicago Med repetem a dinâmica de colocar sempre os mesmos médicos trabalhando juntos.

Por exemplo: nesta sexta temporada, eu só vi a Dra. Manning trabalhando com o Dr. Marcel. O motivo? Eles estão tendo um romance. Já Will acabou ficando preso à trama do estudo clínico, e levou April junto dele. E alguns outros personagens ficam flutuando para lá e para cá, mas sem qualquer peso ou protagonismo.

Confesso que esperava mais!

Dr. Marcel assume o protagonismo

Acho que de todos os personagens da série, o único que realmente está salvando é o Dr. Marcel. E quem diria, porque o personagem chegou como quem não quer nada na quinta temporada. Confesso que, atualmente, é meu favorito.

Isso se deve ao fato de que o personagem não tem um caminho desgastado na série. E ainda, soma o fato de que ele tem um passado extremamente interessante, e disposto a ser explorado. Este, por exemplo, já é o segundo episódio que vemos ele comentando diretamente sobre sua filha que morreu. Ele até chegou a ver um vídeo dela, ao lado de Natalie, em uma cena bem emocionante.

Acredito que o personagem tem uma camada extremamente fechada por conta disso e conflitos emocionais que ainda precisam ser resolvidos. Além disso, estou esperando um caso mais complexo na série que vá bater diretamente na realidade que ele passou ao perder uma filha para o câncer. Acredito que os roteiristas têm potencial para isso e, sem dúvidas, será a coroação do Dr. Marcel como protagonista.

Imagem: Divulgação.

Aliás, neste episódio, ele tratou justamente de um caso de câncer em um homem gay, e como que isso impactou a vida de seu marido. Basicamente, a reflexão de que devemos aproveitar o tempo que nos resta, de forma total, ficou clara.

Adoro esses casos, e momentos como esse provam que Chicago Med é capaz de criar histórias incríveis. Uma pena que acaba não investindo muito nelas.

Impunidade, a gente vê por aqui

Gostaria muito que vocês deixassem nos comentários as impressões de vocês sobre os delitos que estes médicos de Chicago Med cometem.

No episódio passado, rolou aquele caso da Maggie burlar o sistema para conseguir o transplante para o Auggie. Agora, nós tivemos o Dr. Halstead fazendo coisas escondidas até mesmo do estudo que ele está conduzindo.

Eu me pergunto: como assim? Onde esses médicos estudaram? Porque a ética passa longe… Lógico, toda série médica a gente vê situações como essa, mas em Chicago Med isso é demais. Só que acredito que isso não acabará, uma vez que desde o início eles integraram isso às histórias.

Mas eu ainda sonho em ver alguém sendo punido de verdade por isso. Porque o pobre Noah foi demitido, por simplesmente atender o desejo de um paciente. Agora esses médicos e enfermeiras cometem delitos o tempo todo e ninguém fala nada. Enfim, a hipocrisia?

Enquanto isso…

O episódio ainda colocou o Dr. Charles em uma trama interessante sobre um paciente que chega tendo alucinações no hospital, em um caso que era inicialmente do Dr. Choi.

Mas Ethan, do nada, acabou desmaiando. E o motivo? Ele fez uma cirurgia de manhã, e já queria trabalhar a tarde, pressionado pelo cargo de chefe. Sério, gente? Que médico, em sã consciência, faz isso? Eu confesso que ri!

Aguardando um milagre resgatar essa sexta temporada de Chicago Med. Sou brasileiro e não desisto nunca!

E vocês, o que estão achando da temporada? Deixem nos comentários e, igualmente, continuem acompanhando as novidades do Mix de Séries.

  • Além disso, sigam nossas Redes Sociais (InstagramTwitter, Facebook).
  • Baixem também nosso App Mix de Séries para Android no Google Play (Download aqui) e fiquem por dentro de todas as matérias do nosso site.
Nota do Episódio7
Crítica do sétimo episódio da sexta temporada de Chicago Med, intitulado "Better is the Enemy of Good", exibido nos EUA pela NBC.
7