Crítica: 6×12 de Chicago PD dá destaque para Jay em trama com tensão

Caso antigo deixa Jay com os nervos a flor da pele em Chicago PD

Continuando o inferno astral do time de Chicago PD, dessa vez Jay entrou para a dança. Um antigo criminoso com assuntos inacabados com Jay acabou balançando os ânimos e deixando a situação do time mais complicada que já estava. Acho que Trudy deveria fazer uma peneira sobre casos que envolvem sentimentos pessoais do time, porque está ficando complicado isso.

Continua após as recomendações

Um caso de drogas acabou em várias ramificações.

O tal do Garrett realmente é um criminoso nojento e não sentiremos sua falta. Porém, Jay cometeu deslizes. Sabendo de tudo o que está acontecendo, com a política consumindo todas as investigações, o policial foi dar essa mancada? Fala sério!

Haviam proibido ele de chegar perto do Garrett e ele desligou o rastreamento e o celular… para ir atrás do cara! Exatamente algo que Voight faria, e daí podemos levantar uma discussão. Esse chefe, esse líder, fez ou não sua cama ao dar maus exemplos?

Continua após a publicidade

Aliás, preciso elogiar Kim Burgess. Achei ela muito focada e badass nesse décimo segundo episódio. Além disso, vale ressaltar esse Kelton, que eu quero que suma. E pode ser de qualquer maneira, porque francamente que cara mala, chato e que quer ver Voight acabado. Se ainda tivesse adiantado, mas Jay nem conseguiu saber onde o corpo da menina do caso anterior estava enterrado. Entretanto, não tenho dúvidas que Garrett tenha culpa nesse departamento.

Sobre sentimentos e trabalho…

E se Jay tivesse chamado a ambulância logo, mudaria algo? E se ele não tivesse desligado o celular? Ele estava proibido de estar lá de qualquer maneira. Será que teremos uma baixa na equipe essa temporada também? Como Upton disse, eles não podem salvar todos, e devem parar de se sentir culpados por todos que não conseguem salvar. Senão a cruzada fica muito pesada, violenta e vingativa… Tanto que vão passar a vida se vingando de bandidos que conseguem sair da cadeia e esconder bem alguns corpos.

Posso adicionar também que senti um clima entre Upton e Jay e uma aproximação entre Burgess e Ruzek. Será que teremos um troca-troca para o desespero do chefe Voight? Daí só falta Atwater e Antonio formarem um casal hahahaha brincadeira, gente.

Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

No comments

Add yours